7 carros icônicos que saíram de linha sem série especial de despedida

Eles tiveram trajetórias de sucesso no país e deixaram saudade em milhares de consumidores, mas não receberam uma última e justa homenagem dos fabricantes

Por Alexandre Carneiro 10/05/20 às 10h05

Quase sempre, os automóveis deixam do mercado de maneira discreta. Alguns, porém, adquirem tanta importância para seus fabricantes que ganham uma série especial de despedida. Embora seja compreensível que essa “honraria” permaneça restrita a uma minoria, às vezes ocorrem injustiças. Afinal, existem carros que conquistaram enorme sucesso, mas saíram de linha sem a devida homenagem.

VEJA TAMBÉM: 

O listão de hoje é justamente sobre esses modelos. Após relembrarmos as séries especiais de despedida produzidas pela indústria nacional, chegou a vez de enumerar 7 carros que saíram de linha sem a devida reverência pela trajetória vitoriosa. Já que não houve reconhecimento dos próprios fabricantes, fica a homenagem do AutoPapo. Confira:

Carros icônicos que saíram de linha sem a devida homenagem com uma série especial:

1. Dodge Dart

carros que saíram de linha: dodge dart sedan 1975 de frente
Unidades sobreviventes do Dodge Dart são cobiçadas por colecionadores atualmente

A menção vale para qualquer um dos “Dodjões” nacionais. Até porque Dart, Charger, Magnum, Le Baron e cia eram variações sobre um só tema. Todos eram equipados com fogoso motor 318 V8 e utilizavam a mesma estrutura que, acredite ou não, formava a linha de compactos da Chrysler nos EUA. Por lá, a matriz a designava como A Body (carroceria A). Somados, esses modelos tiveram 93.008 exemplares fabricados por aqui.

Dodge Dart fez 50 anos: para comemorar, dirigimos um com placa preta e 100% original. Assista ao vídeo!

O primeiro da linha a chegar o Brasil foi o Dart, em 1969, com carroceria de quatro portas. O cupê veio um ano depois. Esse modelo também foi o último a sair das linhas de montagem brasileiras, em 1981. Após forte queda nas vendas provocada pela crise do petróleo, as operações da Chrysler no país foram adquiridas pela Volkswagen. A marca alemã não teve interesse em reverenciar os produtos da concorrente estadunidense.

2. Chevrolet Omega

carros que saíram de linha: chevrolet omega cd 3.0 cor de vinho visto de frente
Omega teve carreira bem mais curta que o antecessor Opala, mas ainda assim marcou época

Alguns dos carros da Chevrolet que saíram de linha foram contemplados com a série especial Collectors. O primeiro foi o Opala, mas duas gerações do Vectra, além da Zafira e da Meriva, também tiveram direito à homenagem. Mas e o Omega? Surpreendentemente, um dos produtos mais icônicos feitos pela empresa foi descontinuado sem honras.

O Omega foi o automóvel brasileiro mais luxuoso da década de 90. Mecanicamente, os destaques eram a tração traseira e os motores de seis cilindros. Lançado em 1992, o modelo deixou o mercado em 1998, após a produção de 93.282 unidades, incluindo o sedã e a perua Suprema. Depois disso, duas outras gerações chegaram ao país importadas da Austrália.

3. Chevrolet Monza

carros que saíram de linha: chevrolet monza 1996 cor de vinho visto de frente
Após uma reestilização desenvolvida para a linha 1991, o Monza ganhou o apelido de “Tubarão”

Para muitos, Monza é sinônimo de saudade. A aceitação é comprovada pelos números de vendas até hoje invejáveis: foram 857.810 unidades produzidas ao longo de 14 anos. O modelo liderou o segmento de sedãs médios durante praticamente toda sua existência e chegou a ser o carro mais emplacado do Brasil entre 1984 e 1986.

Além do mais, o Monza é lembrado por ter sido um dos veículos mais modernos do país durante a década de 80. Nada disso, porém, foi suficiente para que a Chevrolet lançasse uma série especial alusiva ao fim da produção. Em agosto de 1996, foram fabricadas as últimas unidades, na versão básica GL, sem qualquer reverência à história do modelo.

4. Volkswagen Santana

carros que saíram de linha: volkswagen santana azul visto de frente
Volkswagen produziu o Santana ininterruptamente por 22 anos no país

O arquirrival do Monza também merece um lugar na lista. A Volkswagen fez duas edições especiais de despedida para o Fusca: a Última Série, em 1986, e a Série Ouro, em 1996; houve ainda a Kombi Last Edition, em 2013. O Santana, porém, que levou a marca ao segmento de luxo, teve um fim bem menos glamouroso.

Um dos destaques da carreira é o fato de o Santana ter sido o primeiro veículo nacional equipado com freios ABS. A longa história do modelo, que iniciou-se em 1984, só chegou ao fim em 2006. Ao todo, foram 548.494 exemplares fabricados, incluindo a perua Quantum, que já havia saído de linha quatro anos antes.

5. Ford Escort

carros que saíram de linha: Ford Escort XR3 1987 vermelho de frente
Carroceria de dois volumes e meio, com uma discreta rabeta na parte traseira, é marca registrada do Ford Escort

A Ford nunca criou uma edição especial para seus carros que saíram de linha no Brasil. Caso tivesse decidido fazê-la, o Escort seria forte candidato à homenagem. Primeiramente, por sua importância comercial: foi o produto mais vendido da marca entre meados dos anos 80 e 90. Ademais, a versão esportiva XR3 foi verdadeiro sonho de consumo, especialmente com carroceria conversível.

Quando foi lançado, em 1983, o Escort representou uma verdadeira revolução para a linha Ford. Com projeto global e alinhado ao similar Europeu, o modelo transpirava jovialidade diante de Corcel, Belina e Del Rey. Em 1996, o modelo deixou de ser produzido no Brasil, mas continuou no marcado, importado da Argentina. A carreira foi encerrada em 2003, aos 20 anos de idade.

6. Ford Galaxie

carros que saíram de linha: ford landau preto visto de frente
Galaxie e Landau compartilhavam uma enorme carroceria com mais de 5 metros de comprimento

Devido ao preço elevado e ao consumo de seus motores, o Ford Galaxie não se destinava às massas. Por isso mesmo, não foi vendido em grandes volumes: a produção no país atingiu apenas cerca de 78 mil unidades de 1966 até 1983. Todavia, existem diversos motivos para incluí-lo entre os carros que saíram de linha sem uma merecida reverência.

Para começo de conversa, o Galaxie foi o primeiro automóvel fabricado pela Ford no Brasil. Antes dele, havia apenas caminhões, utilitários e picapes. Foi também o último nacional equipado com motor V8. Ao longo de toda a sua trajetória, ocupou o posto de mais sofisticado carro do país, tanto que um Landau, o derivado mais luxuoso da gama, serviu à presidência da república até 1991, quando já estava fora de linha há oito anos!

7. Fiat Palio

carros que saíram de linha: fiat palio 1.6 16v 1996 vermelho visto de frente
Palio é um dos maiores sucessos comerciais da Fiat no Brasil

Ao contrário dos demais automóveis da lista, o Fiat Palio não tem uma imagem ligada a luxo ou sofisticação. O mérito do modelo é justamente ter se firmado no mercado como opção acessível, prática e econômica. Entre 1996 e 2018, foram fabricadas mais de 3 milhões de unidades das duas gerações. O hatch foi o carro mais comercializado do Brasil em 2014, após permanecer na vice-liderança por mais de uma década.

Vale lembrar que o modelo deu origem a uma linha completa de derivados, todos bem-sucedidos: a Weekend só saiu de linha no último mês de janeiro, enquanto Grand Siena e Strada seguem em produção. A picape, inclusive, acabou de ganhar uma nova linhagem. Graças a essa família de produtos, a Fiat foi a marca mais vendida do país entre 2002 e 2016. Diferentemente do antigo Uno, o Palio se despediu sem série especial.

Sentiu falta de algum carro icônico que saiu de linha sem série especial na lista? Então mencione-o nos comentários!

Fotos: Divulgação

1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Mede um Ceará 11 de maio de 2020

    Num 7. Palio – já foi tarde….

Avatar
Deixe um comentário