Combustíveis iniciam setembro com preços em alta

Depois de 11 semanas em queda, valor do etanol apresenta alta; subvenção do diesel acaba e gasolina também fica mais cara

Por Laurie Andrade 03/09/18 às 13h18
shutterstock 595425665

O preço dos combustíveis apresentou alta na última semana de agosto – e setembro chega sem perspectiva de melhora. Depois de 11 semanas seguidas de queda, o etanol teve alte de 0,2%. A gasolina, por sua vez, está 0,38% mais cara que nos sete dias anteriores. Os dados não consideram, ainda, a notícia de que uma nova greve dos caminhoneiros está por vir. O até então boato foi espalhado como reação a alta de 13% que o diesel sofreu na última sexta-feira (31).

Combustíveis em números

A gasolina terminou a semana custando aproximadamente R$ 4,44 – primeira alta em mais de um mês. No acumulado do ano, o derivado do petróleo subiu 8,5%. O preço do combustível nas refinarias bateu R$ 2,1704 por litro, um novo recorde.

O diesel começa setembro com alta de 0,05%, custando R$ 3,373 por litro, em média. Em 2018, o preço do óleo diesel acumula alta de 1,4%. Vale ressaltar que na semana passada terminou o prazo de congelamento do preço do combustível nas refinarias, realizado pela Petrobras em acordo os caminhoneiros, em maio.

Na sexta-feira, o valor do combustível aumentou 13% e passou para R$ 2,2964 por litro nas refinarias.

Desde a véspera dos protestos, o valor médio do diesel calculado pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) caiu 6%, ou cerca de R$ 0,22. O valor previsto pelo acordo entre o governo e os caminhoneiros para encerrar a paralisação foi de recuo de R$ 0,46.

Pela primeira vez nas últimas semanas, preço dos combustíveis está em alta. Setembro começa com filas nos poços e sem perspectiva de melhora.
Foto Shutterstock | Reprodução

O valor do etanol passou para R$ 2,626, representando uma alta de 0,2% sobre a semana anterior. No ano, o único dos combustíveis que apresentou queda foi o etanol. No acumulado, a diminuição acumulada foi de 9,8%.

Os dados são da ANP e consideram a média dos preços dos combustíveis no Brasil.

A ANP apresentou tabelas com os novos valores de preço de referência (PR) do diesel calculados pela fórmula na Resolução nº 743/2018, bem como os Preços de Comercialização (PC), resultantes da subtração de R$ 0,30/litro, como determinado pelo programa de subvenção de acordo com Medida Provisória Nº 838/2018. Veja.

4 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Robert junior De silva 10 de abril de 2019

Sou surdo verdade…gosta Gmail você…

Avatar
Wilson Albuquerque 24 de outubro de 2018

“Em 2018, o preço do óleo diesel acumula alta de 1,4%.” De onde vcs tiraram esses dados ?? Pelas minhas contas o valor do diesel nos postos subiu 52,5 % de julho/2017 até Julho/2018.

Avatar
Marcus 3 de setembro de 2018

O Brasil deve ser o único país no mundo que uma empresa tem o monopólio do refino de petróleo e ainda tem autonomia para determinar os preços ao mercado.
E sendo mais de 50% capital estatal.
Por isso que não veremos tão cedo carros elétricos em nossas ruas e logo estaremos pagando 8,00 no litro da gasolina. A petrobras tem muito corrupto para enriquecer!

Avatar
Rogerio 3 de outubro de 2018

Espero ver essa empresa quebrada. Pq ela esta nos quebrando!!!!

Avatar
Deixe um comentário