Do Willys à atualidade: veja 7 fatos históricos sobre a Jeep

Enumeramos 7 curiosidades sobre a marca: confira e, de quebra, saiba um pouco mais sobre a trajetória dos veículos 4x4

eve jipe2
Por Alexandre Carneiro
07 de abril de 2019 09:57
Com Felipe Boutros

Você é jipeiro ou fã de carros 4×4? Então, esse listão é para você! Enumeramos 7 curiosidades sobre a marca norte-americana especializada em veículos desse tipo: a Jeep. Da época do Jeep Willys – que já foi marca – à atualidade, confira alguns pontos de destaque na trajetória do fabricante.

Quais deles você já sabia ou ainda desconhecia?

1. Jeep faz parte da cultura pop

Foto imcdb.org | Reprodução

A Jeep estima que seus veículos já foram mostrados em cerca de 7.000 filmes no mundo todo. Além disso, a marca já apareceu em 432 jogos, incluindo os de tabuleiro e os digitais. A marca é pop porque tem muita mídia espontânea ou tem muita mídia espontânea porque é pop?

Fundador do Jeep Clube do Brasil conta a história do icônico modelo, confira:

2. Fabricante considera que houve erro de design em uma das gerações do Wrangler

Wrangler é descendente direto do Jeep Willys
Fotos Jeep | Divulgação

O Wrangler é descendente direto do Jeep Willys, de origem militar. Ele foi o sucessor do modelo original, lançado nos anos 80. É justamente na linhagem que durou de 1987 a 995, na qual o modelo adotou oficialmente a tal nomenclatura, a mais controvertida esteticamente. Tudo por causa dos faróis quadrados, tão em voga na época, que parecem não casar bem com o estilo do veículo.

Nas safras seguintes, a Jeep retomou os faróis circulares e nunca mais os abandonou. A marca chegou a afirmar que houve um erro de design naquela geração durante um evento para jornalistas.

3. Os primeiros Jeep Willys não tinham grade dianteira de sete aberturas

Fotos Jeep | Divulgação

Pode conferir: todos os atuais modelos da Jeep têm uma grade frontal com sete aberturas. Essa característica é considerada um elemento identitário da marca e, portanto, precisa estar presente em todos os produtos.

Todavia, nem sempre foi assim. Em veículos mais antigos, a quantidade de tomadas de ar dianteiras pode variar. Os primeiros produtos, feitos durante a Segunda guerra, por exemplo, têm nove fendas dianteiras para refrigeração do motor. Já no modelo civil, aperfeiçoado após o conflito, o número de aberturas foi reduzido para sete.

4. O Jeep Willys foi um dos primeiros automóveis fabricados no Brasil

Jeep Willys foi um dos primeiros automóveis fabricados no Brasil, em 1957
Fotos Jeep | Divulgação

Não é por acaso que, no Brasil, as pessoas passaram a chamar veículos off-road de jipes. É que o Jeep foi um dos primeiros veículos legitimamente brasileiros: passou a ser produzido no país em 1957, pela extinta Willys Overland. Naquele mesmo ano, a Volkswagen nacionalizou a Kombi. Pouco antes, em 1956, as pioneiras DKW Vemaguet (então chamada de Universal) e Romi Isetta já eram fabricadas aqui.

O Jeep Willys teve carreira longa e permaneceu em produção até 1983. Àquela altura, ele já havia sido integrado à linha Ford, que adquirira as operações brasileiras da fabricante anterior.

5. Marca deu origem à palavra que é sinônimo de veículo fora de estrada

Wrangler é descendente direto do Jeep Willys
Fotos Jeep | Divulgação

O dicionário Michaelis Online define jipe como um “veículo pequeno, em princípio fabricado para fins militares; facilmente manobrável em terrenos acidentados, com tração nas quatro rodas.” Essa palavra surgiu a partir dos modelos da Jeep, em especial o nacional Willys, que se popularizou nas décadas de 50 e 60.

6. Existe um dia do jipe: 4 de abril

Fotos Jeep | Divulgação

É oficial: a Lei Municipal 14.026 de 2005 instituiu em São Paulo (SP) como dia do jipe! A data é comemorada nesta semana, mais precisamente em 4 de abril. Entendeu o simbolismo? Dia 4/4, bem parecido com 4×4- tração adotada pelo Jeep Willys e seus sucessores!

7. Nem a própria Jeep sabe ao certo a origem de seu nome

Fotos Jeep | Divulgação

Não existe certeza sobre a origem da palavra Jeep. Nem mesmo a própria empresa aponta para uma única explicação sobre o significado de seu nome. Em vez disso, a multinacional enumera três prováveis hipóteses para o surgimento de sua insígnia.

A primeira é intimamente ligada à Segunda Guerra Mundial. Os Estados Unidos lançaram um edital para que as indústrias do setor automotivo desenvolvessem um veículo para ser utilizado no conflito. Entre outras características, o utilitário deveria necessariamente ter tração 4×4 e capacidade para transportar três soldados e uma metralhadora.  O projeto era chamado de General Purpose Vehicle, que significa algo como “veículo para utilização geral”. As letras GP, pronunciadas em inglês, soam como Jeep.

A segunda hipótese também ligada à origem bélica do modelo, mas aponta para outra causa. A palavra Jeep seria formada pelas iniciais das palavras Just Enough Essential Parts, algo como “apenas peças essenciais”. Isso porque o veículo militar era produzido por diferentes empresas: todas fabricavam o mesmo projeto e intercambiavam peças. Era uma consequência do esforço de guerra, no qual toda a indústria do país se voltou para produção de artigos essenciais ao conflito.

A terceira e última possibilidade é a de que o nome seria uma alusão ao personagem Eugene the Jeep, da série de desenhos do Popeye. Para quem não se lembra, trata-se de uma criatura com poderes mágicos, capaz de se teletransportar de um lugar para outro. Eis a alusão: um modelo da marca pode até não chegar a tanto, mas também consegue se deslocar entre dois locais impossíveis para carros normais.

6 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Wanderley Souza 15 de agosto de 2021

Falar que Renegade e Compass é Jeep é a mesma coisa que dizer que A é B

Avatar
Claudio 17 de março de 2021

Tenho um 1957, chodo da família, um veículo que tem tamanho apego, que faz com que …………

Avatar
José Amauri Almeida da Silva 24 de janeiro de 2021

Hoje tenho 56 anos e,lembro quando tínhamos 7 anos quando comecei a passear de carro com papai.
Ai começou minha grande paixão por um jeep.
Ainda não pude comprar mas se Deus quiser vamos ter essa condição muito em breve.
Sou fã incondicional do jeep.

Avatar
Wagner 7 de janeiro de 2021

A história dos faróis quadrados serem um erro é pura balela. Em 2008 a Jeep volta com os faróis quadrados na Cheroke/Liberty chassis KK.

Avatar
JAMES 8 de abril de 2019

Tenho.um j5 Ford Willys tenho 10000% tZ por ele em relação a oúteis carros é caro ter e manter pois tudo povão que vendo pneus etc. Enfiam a faca o meu a mecânica entre outras coisas está atualizado mais conforto hehe quem anda de Jeep curte é adrenalina conforto é coisa de carro de passeio econômia?hehe sem comentários exemplo tenho familia a 180km ida e de volta mais 170km de casa indo e voltando com carro popular gasto R$130,00 com o monstro hehe carinhosamente chamado meu Jeep R$350,00 ida e volta então é tZ mesmo gosto é gosto etc. Porém é assim quem usa caminhão caminhão na rua sabe quantas fechadas toma em relação a carro comum exemplo de 1000 que levo no dia a dia com o comum hehe 0000 com ele porquê será?nada o para,enchente barro,terra,chuva só Deus etc então bora ter um??eu não troco o meu minha familia filhos adoram eles preferem assim como eu andar com ele,que com o popular,hehe não troco por 2 comum ou 1 de luxo fazemos de 1 tudo com ele acampados viajamos fazemos trilha andamos sem capota com capota hehe

Avatar
César Augusto Westin 7 de abril de 2019

bom dia, Bóris! Grato por mais estas pérolas sobre nossos queridos “General Purpose” (ou, livremente, Pau prá toda obra) !
Pena que são TÃO CAROS e tão espartanos no quesito conforto !
Continue nos brindando com seus conhecimentos!
César Westin

Avatar
Deixe um comentário