Em que as picapes americanas são diferentes das brasileiras?

As opções de picapes americanas vem lentamente aumentando no Brasil e elas são bastante diferente do que estamos acostumados

gama de picapes da ram 1500 2500 3500
As picapes americanas são vendidas em três categorias distintas e todas com foco em rebocar (Foto: Ram | Divulgação)
Por Eduardo Rodrigues
16 de agosto de 2021 09:04

Por anos o mercado de caminhonetes no Brasil era dominado por modelos americanos: as Ford F100 e Chevrolet C14 protagonizavam, enquanto a Dodge D100 era um mero coadjuvante. Em 1979 a Fiat criou a categoria das picapes compactas derivadas de carros de passeio, mas dentre as picapes tradicionais as americanas reinavam.

Com a abertura das importações nos anos 90 chegaram as picapes médias japonesas. Nessa mesma época os fabricantes americanos apostaram nesse segmento de picapes médias, decisão que se mostrou acertada. Com a Chevrolet Silverado saindo de linha em janeiro de 2002 restou apenas a Ford F250 no segmento de picapes grandes.

VEJA TAMBÉM:

ford f 250 1999 nacional vermelha frente
A Ford F250 foi a última picape americana fabricada no Brasil (Foto: Ford | Divulgação)

A então Daimler-Chrysler, hoje Stellantis, tomou uma decisão ousada de importar a Dodge Ram 2500 para o Brasil. A picape vinha em uma configuração maior que a da F250 e com interior mais equipado, saindo da imagem de veículo de trabalho. O sucesso não foi estrondoso, mas foi o suficiente para mantê-la em linha.

As picapes americanas estão voltando ao Brasil

No final de 2020, a Ram anunciou a vinda do modelo 1500 Rebel, equipada com motor V8 a gasolina. O primeiro lote da picape esgotou em menos de 24 horas, mesmo sem vir com o motor diesel que os brasileiros amam tanto nesse tipo de veículo.

Agora foi a vez da irmã maior da nossa conhecida Ram 2500 ser confirmada para o Brasil, o modelo 3500. Essa picape gigante utiliza rodagem dupla no eixo traseiro, algo que estamos acostumados a ver em veículos comerciais.

A Ford e a Chevrolet não confirmam, mas elas podem estar prestes a anunciar picapes grandes americanas no Brasil. A Chevrolet Silverado 1500 já é vendida em países da América do Sul como o Chile, Paraguai e Uruguai; já a F150 pode ser encontrada na Argentina, Uruguai e Paraguai.

A alta do agronegócio, popularidade do estilo de vida rural e até as músicas sertanejas influenciam no interesse por essas picapes americanas. Muitos as chamam de “picapes de verdade” por serem grandes e imponentes quando comparadas com as picapes médias.

Picapes americanas têm uso diferente do que estamos acostumados

Historicamente, as picapes grandes se popularizaram em zonas rurais. As antigas caminhonetes Ford e Chevrolet auxiliavam fazendeiros em regiões longe do asfalto, mesmo sem ter tração 4×4. Por isso o brasileiro prioriza a capacidade de carga nesses veículos.

Com a legislação permitindo os motores diesel em caminhonetes com capacidade de carga acima de 1.000 kg, os fabricantes aumentaram a capacidade de carga das picapes americanas feitas no Brasil. As picapes médias japonesas conquistaram o Brasil rapidamente por lidarem bem com grandes cargas na caçamba e também pela confiabilidade.

Capacidade de reboque é quem manda

Enquanto isso nos EUA, as picapes ganharam mercado pela capacidade de reboque. Os tradicionais sedãs e peruas com chassi separado da carroceria eram bastante usados para rebocar, mas com as leis de emissões estrangulando os motores V8 desses carros, os consumidores migraram para as picapes e SUV grandes.

A legislação de trânsito atual dos EUA torna praticamente impossível para que um carro de passeio seja homologado para puxar reboques, prática comum na Europa até hoje. Por isso temos hoje picapes americanas que possuem capacidade de carga inferior a de modelos compactos brasileiros.

Na Ram 1500 a capacidade de carga é de apenas 610 kg, mas a capacidade de reboque é de 5.062 kg. A Ram é por enquanto a única da categoria também a oferecer molas helicoidais no eixo traseiro, tendo uma suspensão a ar como opcional (nos EUA), mostrando que o foco é rebocar trailers no asfalto com conforto e estabilidade.

Conheça a Ram 1500 em detalhes em nossa avaliação:

Tecnologia é aliada das picapes

Nas categorias acima a capacidade de reboque dessas picapes é ainda maior, com a Ford F450 capaz de puxar quase 17 toneladas. Isso é resultado de uma guerra publicitária que está acontecendo nas últimas décadas nos EUA, onde todo fabricante quer ostentar o título de maior capacidade de reboque da categoria.

Junto dessa briga existe uma paralela sobre qual fabricante oferece mais equipamentos para ajudar nessa tarefa: modulação eletrônica dos freios do reboque, controle de estabilidade com calibração específica e câmera de ré que torna o trailer “invisível” são algumas das tecnologias que nasceram dessa competição.

ram 2500 tradesman power wagon package crew cab frente vermelha em lamacal
Fora de estrada não é o forte dessas picapes, mas existem versões específicas para essa proposta (Foto: Ram | Divulgação)

E diferente do brasileiro, que exige tração 4×4, as picapes 4×2 ainda são populares nos EUA por usuários que moram em regiões onde não neva. Os interessados por usar a caminhonete em trilhas procuram modelos específicos para isso como a Ford F150 Raptor, a Ram 2500 Power Wagon ou a Chevrolet Silverado TrailBoss.

Entendendo as categorias

Caminhonetes e caminhões são classificados em classes que vão de 1 a 8 nos EUA, divididas pelo peso bruto total (PBT). Os veículos até a categoria 6 podem ser dirigidos com carteira de habilitação comum, com a habilitação de uso comercial (equivalente a CNH E brasileira) sendo exigida apenas para as classes 7 e 8.

A Classe 1 engloba as nossas conhecidas picapes médias, com PBT de até 2.722 kg; A Classe 2a é a da Ford F150, Ram 1500 e Silverado 1500, com PBT de até 3.856 kg; Acima vem a classe 2b, da Ram 2500, F250 e Silverado 2500, com PBT até 4.536  kg. A classe 3 é a última com picapes, englobando as Ford F350 e F450, Silverado 3500 e Ram 3500, com PBT de até 6.350 kg.

As classes 4, 5, 6 e 7 já são caminhões feitos para receber implementos como baú ou carga seca. Por fim existe a classe 8, com cavalos mecânicos.

Os números – como 1500, 2500 e 3500 usados pela Ram – são herança de classificações antigas das picapes. Esses números representavam a capacidade de carga das picapes em libras, ou seja, uma Ford F100 era homologada para 453 kg (1.000 libras), já a Chevrolet C20 era homologada para 907 kg (2.000 libras).

Essa regra caiu em desuso com a evolução das caminhonetes e também com as diferentes opções de capacidade de carga que cada modelo oferecia. Mas os números foram mantidos pela facilidade de identificar a categoria de cada modelo.

10 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Paulo 20 de agosto de 2021

Realmente epra quem gosta e tem dinheiro , porquê com o dinheiro de uma picape desta daria pra comprar um cavalo mecânico da escania,volvo,Mercedes etc…,para arrastar estes trailers de cavalos que simbolizam poder aquisitivo.

Avatar
Alexandre 20 de agosto de 2021

As picapes brasileiras também são Americanas ou são picapes europeias

Avatar
Geraldo Fernandes Baptista 19 de agosto de 2021

Gostaria de saber para q serve está reportagem com o caos econômico do país. Com carrocas sendo vendidas a partir de 60 mil e pseudo suv já acima de 120 e lá vai fumaça. Uma montadora vai fechar atrás da outra….faz uma matéria mais realista.

Avatar
Ado 18 de agosto de 2021

Tem gente com dinheiro comprando RAM sem necessidade. O uso dessa caminhonete na cidade é péssimo para estacionar.

Avatar
Antonio Matozinhos 17 de agosto de 2021

Só os pneus…e todo o resto.

Avatar
alecs 16 de agosto de 2021

Um país tem complexo de superioridade,e o outro é vira-lata mesmo!!!

Avatar
Junior Bertini 16 de agosto de 2021

Moro aqui nos States e digo, se levarem a RAM 3500 rodagem simples, vai ser um fiasco, pois ela nao tem grandes diferencas para a 2500, a nao ser a capacidade de reboque.

Avatar
marcelo 16 de agosto de 2021

veiculos com rodagem dupla atras requerem carteira de habilitacao para caminhao , aqui no Brasil ? Podem circular livremente dentro do municipio de SP ?

Avatar
Gabriel Reis 22 de agosto de 2021

Se eu não me engano a questão de rodagem dupla não interfere na CNH só aguenta mais peso msm. Mas para guiar uma caminhonete dessas aqui no Brasil vc vai precisar de pelo menos a CNH categoria C pq esse veículo passa dos 3500 kg. A própria ram 2500 já precisa

Avatar
Rogério Figueiredo Bertelli 16 de agosto de 2021

“Essa picape gigante utiliza rodagem dupla no eixo traseiro, algo que estamos acostumados a ver em veículos comerciais.” Essa rodagem dupla é um OPCIONAL nos EUA. Então, ela pode vira pra cá com rodado simples. Ainda não sabemos por qual versão da 3500 a Ram irá trazer.

Avatar
Deixe um comentário