Frontier argentina chega ao Brasil, mas Nissan sustenta mentira

Picape, que é irmã da Mercedes-Benz Classe X e Renault Alaskan, não tem a suspensão multilink anunciada pela Nissan

fotos nissan frontier fsi 01 13
Por AutoPapo
30 de julho de 2018 17:00

A fabricação da Nissan Frontier argentina foi iniciada, segundo informa a marca. A picape passou a ser produzida na cidade de Córdoba em uma nova linha de montagem, de onde virá para o Brasil. Ainda assim, a japonesa insiste que a picape conta com uma suspensão multilink que não existe.

nissan frontier argentina
(Nissan | Divulgação)

A mentira começou em 2015, quando a geração atual da picape foi lançada na Argentina. A marca passou a anunciar, então, a nova suspensão multilink. O equipamento, entretanto, não está presente na picape.

Para que a suspensão traseira da Frontier fosse do tipo multilink, as rodas teriam que ser independentes. Isso é impossível, já que o eixo traseiro da picape é rígido. Nós explicamos a incongruência com mais detalhes quando premiamos a picape com o Pinóquio de Ouro 2017.

Ao que tudo indica, a Nissan continuará insistindo na presença do equipamento, como consta no site oficial da marca. O Brasil será o primeiro país a receber a Frontier argentina.

A nova fábrica é dedicada à produção de picapes e conta também com uma pista de testes para veículos da categoria. Ali, serão produzidos modelos para a aliança Renault-Nissan e também para a Daimler.

A própria Frontier é fruto de uma parceria entre as três marcas: chassi e estruturas mecânicas e motor do modelo são os mesmos para as picapes Renault Alaskan e Mercedes-Benz Classe X. As três dividirão, assim, a nova linha de montagem.

A fábrica tem capacidade para produzir 70 mil veículos por ano e é fruto de um investimento de US$ 600 milhões (cerca de R$ 2 bilhões, em conversão direta). Dos veículos produzidos, 50% serão destinados a exportação.

nissa frontier suspensão multilink
Em seu site, Nissan afirma que a Frontier é equipada com suspensão multilink, o que não é verdade (Nissan | Reprodução)

Com a inauguração da planta, a marca espera aumentar seu retorno financeiro e alcançar um crescimento sustentável em escala global, segundo afirma no comunicado. O grupo considera a América Latina como uma região importante para alcançar essas metas.

“Há três anos, a Nissan decidiu apostar fortemente na Argentina. Anunciamos a chegada da Nissan ao país como subsidiária e fabricante de veículos, confirmando um grande investimento que dá sustentação ao nosso plano de nos tornarmos uma das maiores marcas automotivas na região”, declarou o presidente da Nissan América Latina, José Luis Valls.

A Frontier vendida no Brasil desde o ano passado vem do México, já dentro do projeto conjunto das três montadoras. A picape também já foi produzida no Brasil.

Agora, só resta uma dúvida com relação à Frontier argentina: será que as irmãs da Mercedes-Benz e Renault vão reproduzir a mentira do ano?

SOBRE
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Gustavo 12 de julho de 2021

Caramba, que falta de conhecimento de quem escreveu essa bobagem toda. Aliás, já senti que vocês são bem tendenciosos com algumas marcas.
Suspensão multilink é uma tecnologia que pode ser aplicada em conjuntos independentes ou de eixo-rígido. E este é um conceito que já tem algumas décadas e vocês já deveriam saber. Misturaram tudo aqui. Que vergonha.

Avatar
Nelson Ribeiro 10 de dezembro de 2020

Quem escreveu essa bobagem é engenheiro? Não sabe a diferença de multi-link para sistema independente? Duas coisas diferentes.

Avatar
Andrade 8 de dezembro de 2020

Engano de vocês. A suspensão é sim multilink, apenas não é independente.
A suspensão multilink não precisa ser independente, pois pode ser de eixo rígido e ainda ser fixada por multilinks.
Inúmeros artigos técnicos estrangeiros mostram isso, e outros veículos no exterior usam este conceito, e também o chamam de multilink de eixo rígido.
Acho que o “Pinóquio de Ouro” deveria ir para vocês.

Avatar
Deixe um comentário