Esses 5 carros complicam manutenções que deveriam ser simples

Itens de manutenção periódica costumam ser de fácil acessos para ganhar tempo, mas em alguns carros trazem complicações

land rover discovery 4 xxv special edition prata frente em movimento estrada
Uma simples troca de lâmpada ou de pneu deveria fácil, certo? (Foto: Land Rover | Divulgação)
Por Eduardo Rodrigues
24 de setembro de 2021 19:01

Carros com manutenção simples são bastante apreciados. A simplicidade torna os serviços rotineiros mais rápidas e em alguns casos até possível de fazer em casa. E os itens que deveriam ser mais fáceis de cuidar são justamente os que necessitam de trocas periódicas.

VEJA TAMBÉM:

Correia dentada, velas, bateria, fluídos e lâmpadas são alguns desses componentes que não deveriam ter mistérios na manutenção. Porém, alguns carros complicam o trabalho do mecânico ou do proprietário que gosta de se aventurar no cofre do motor. Os motivos são diversos, podendo ser falta de espaço ou apenas decisões equivocadas da engenharia. Separamos cinco casos:

1. Lâmpadas dos faróis do Honda Fit (1ª geração)

Nos EUA existe a cultura do “do it yourself” (faça você mesmo em português), que é popular entre os entusiastas de automóveis. Em fóruns norte-americanos é comum ver comentários elogiando os carros da Honda por terem tudo de fácil acesso no cofre do motor, como se fosse projetado por alguém que cuida do carro em casa.

Esse elogio é válido para o compacto Fit até certo ponto. O carro possui um aproveitamento de espaço inteligente no interior que resultou em um cofre do motor apertado. Por isso, é preciso esterçar as rodas dianteiras e retirar o para-barro interno das caixas de roda e uma capa interna do farol para poder trocar as lâmpadas dos faróis.

No manual do carro existe a instrução para o processo, que ocupa duas páginas. Para quem tiver tempo livre e quiser trocar as lâmpadas em casa será apenas mais tempo gasto, mas imagina ter que trocar uma lâmpada queimada na estrada?

2. Correia dentada do Audi A6

audi a6 4 2 quattro avant vinho frente
Quando chega a hora de trocar a correia dentada do Audi A6, toda a frente precisa ser desmontada (Foto: Audi | Divulgação)

O layout tradicional dos carros da Audi é de motor longitudinal dianteiro à frente do do eixo. Essa herança vem do Audi 100, o primeiro projeto independente da marca na Nova Auto Union. Esse esquema mecânico facilitou a existência da famosa tração integral quattro.

Nos carros mais modernos da Audi, os motores são fisicamente maiores e possuem mais acessórios dentro do cofre do motor. Na segunda geração do A6, as versões V6 e V8 ficaram com o motor muito próximo do suporte do radiador, impossibilitando ao acesso à correia dentada.

O processo para trocar esse componente importante tem vários passos: primeiro é preciso retirar o para-choque do carro, em seguida é preciso drenar o radiador, desconectá-lo do motor e separar o suporte do para-choque das longarinas. Para ver o processo de forma mais detalhada clique aqui.

Depois de desmontar toda a frente do veículo, é “só” trocar a correia dentada do motor e montar tudo isso novamente. Esse processo também é usado pelos A4 e A8 da mesma época com motores V6 e V8.

3. Estepe da Chrysler Town & Country

chrysler town country vermelho frente parada
O estepe da Chrysler Town & Country fica literalmente no meio do assoalho (Foto: Chrysler | Divulgação)

O estepe dos carros costumam estar no fundo do porta-malas ou no lado de fora, sob o porta-malas. Alguns carros são diferentes, como o Fiat Mille com seu estepe no cofre do motor. Na Town & Country, a Chrysler precisou do espaço na traseira onde o estepe costuma ir para colocar o alçapão onde os bancos ficam embutidos quando fora de uso.

Por isso, o estepe da minivan fica no lado de fora, sob o assoalho e no centro do carro. Para tirar o estepe do lugar é preciso montar uma ferramenta presente no porta-malas que serve para desapertar um parafuso sob o console central que faz o estepe abaixar.

Depois é indicado puxar o estepe, que está embaixo do carro, com essa ferramenta. O último passo é soltar o cabo que prende o estepe em uma capa protetora. O estepe é fino para uso emergencial, portanto o pneu furado e a capa protetora do estepe terão que ser colocados no interior da minivan.

Esse vídeo da Mopar mostra o passo a passo.

4. Bateria do Dodge Journey

dodge journey vermelho dianteira parado com montanhas ao fundo
A Chrysler inovou na posição da bateria dos seus carros projetados nos anos 90 e 2000, mas não foi uma medida positiva (Foto: Dodge | Divulgação)

Assim como o estepe, a bateria é um item que costuma estar localizado de forma previsível. A mais comum é no cofre do motor, mas também pode ser encontrada no porta-malas ou sob o banco do motorista. O Dodge Journey, o Chrysler Stratus, o Dodge Viper e outros carros do grupo Chrysler dos anos 1990 e 2000 escondem a bateria em um lugar exótico.

O componente fica à frente da roda dianteira esquerda, atrás do para-choque. Pelo menos esses carros possuem os polos para fazer a chupeta no cofre do motor. Nos EUA essa posição da bateria é criticada por ficar exposta aos elementos, sendo comum o suporte enferrujar em regiões onde neva.

Para trocar a bateria, é preciso tirar a roda e desmontar o para-barro interno da caixa de roda. O procedimento mais seguro é levantando o carro em um elevador. Nesse vídeo mostra como é feita a troca da bateria e podemos ver sinais de oxidação no local e até folhas secas presas no suporte.

5. Correia dentada do Land Rover Discovery

land rover discovery 4 scv6 hse cinza parado no campo
No Land Rover Discovery é preciso separar a carroceria do chassi para a troca periódica da correia dentada (Foto: Land Rover | Divulgação)

Esse é famoso, muitos leitores já devem ter visto nas redes sociais fotos do Land Rover Discovery em uma oficina com a carroceria separada do chassi. E sim, esse é o procedimento recomendado para realizar a troca da correia dentada e vários reparos nesse SUV e em seu irmão de plataforma Range Rover Sport.

Assim como ocorre no Audi A6 que citamos anteriormente, o motor fica apertado no cofre e sem uma forma de acesso por cima. O Discovery usa um estrutura que une um monobloco com um chassi do tipo escada, para deixar a carroceria mais rígida. E, por isso, é possível separar a carroceria do chassi.

Mas fazer essa separação não é tarefa simples como em uma picape antiga, os SUV britânicos são carregados de tecnologia e eletrônica. Na hora de unir a carroceria ao chassi é preciso reprogramar os módulos para que tudo volte a funcionar.

14 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
arai 2 de outubro de 2021

Sabia que troca de correia dentada de Marea era complicada. mas essa de Audi superou!
Quanto ao estepe da Town & Country, como se faz para calibrar uma vez que é local de difícil acesso? Só “suspendendo” no elevador?

Avatar
ELIO RICARDO ALVES DA SILVA 30 de setembro de 2021

Olha loucura manter esse tipo de veículo quem pode pode eu prefiro manutenção maus simples carroça ou não tenho um fiat ideia adventure trocar a lâmpada da lanterna e meio ruim tem que desmontar o para choque não da para tirar o farol o do ford fiesta da e mais fácil trabalhei em um o quadradinho motor rocan

Avatar
Jorge Luis Bogdanov Kussarev 30 de setembro de 2021

Por essas e muitas outras que eu amo a simplicidade mecânica do Uno quadrado, o Uno velhinho… Tudo simples e barato de fazer, se tiver paciência,algum conhecimento e ferramentas, faz em casa mesmo quase tudo ! Estou no meu terceiro Uno já !

Avatar
Joelson 30 de setembro de 2021

É por isso que eu adoro meu carro, um VW Fox 1.6. O bicho é bom, resistente, fácil de mexer e tem uma manutenção muito simples e barata. Dos carros citados nessa matéria eu não tenho atração por nenhum. Carro bom é aquele que a gente pode comprar e manter

Avatar
joão monteiro 28 de setembro de 2021

alguém sabe como se troca as lâmpadas de cortesia dianteira do geei compass? Nem a concessionária foi capaz de explicar. O manual muito menos…

Avatar
Paulo henrique guedes 28 de setembro de 2021

Correias dentadas infelizmente ainda botam como o amigo citou na land rover. absurdo um carro desse com.correia dentada no motor. Correias dentadas so dar prejuízos se passar do prazo da troca. No século 21 carros com correias dentadas não tem ABS na traseira.infelizmente é o brasil agora o preços das carroças é absurdo o problema que as pessoas compram esses lixos.

Avatar
Fábio 27 de setembro de 2021

Carro jornalista que fez a matéria ,vou falar só de um que de cara até sabia qual seria o assunta Land rover ! Bom ,eu tenho e também antes de comprar me assinei sobre o assunto correias , enfim código do catálogo da concessionária é 107 não è nescessário descabinar para substituir correia e polias assim diz o catálogo da concessionária tanto a de trás como a dianteira !!!!

Avatar
Polvo 27 de setembro de 2021

Audi e Land Rover usando correia dentada é sacanagem. Isso só é bom para as concessionárias/oficinas, pro dono é um pesadelo.

Avatar
Rodolfo 25 de setembro de 2021

Acho que para esses carros o ideal seria corrente de comando. Daqui pra frente vou dar preferência a corrente de comando na escolha do meu próximo carro. Imagine quanto custa pra trocar a correia dentada deste Land Rover Discovery…

Avatar
Regicardo Antônio Rosa 26 de setembro de 2021

Preço astronômico foi o da capa do retrovisor em uma recente matéria publicada. Acredito que o proprietário ainda está em choque.

Avatar
Danilo 26 de setembro de 2021

Aproximadamente 15 mil reais amigo.

Avatar
Rodolfo 27 de setembro de 2021

Muito obrigado pela resposta!
Gasto surreal!

Avatar
Marcus Ferreira 25 de setembro de 2021

passei maus bocados para trocar a bateria do meu Fiat Freedom

Avatar
Esfolado 24 de setembro de 2021

Tem o reparo do turbo do Mini, aos 160k. Desmonta-se metade da dianteira do carro, incluso parachoques.

Avatar
Deixe um comentário