Lancer finalmente é tirado de linha no Brasil

Sem grandes modificações desde 2007, sedã era vendido entre R$ 70 mil e R$ 80 mil; equipamentos importantes, como ESC, não equipavam o modelo

lancer pcd
Por AutoPapo
08 de janeiro de 2020 13:10

O Lancer não aparece mais no configurador do site da Mitsubishi. Produzido no Brasil desde 2014, sedã era vendido com preços entre R$ 74 mil e R$ 80 mil e não sofria modificações relevantes desde que a oitava geração foi apresentada, em 2007.

Apesar de só ter saído de linha no Brasil em 2020, o Mitsubishi Lancer já tinha deixado o mercado norte-americano, por exemplo, desde 2017.

No último ano, o rival de Toyota Corolla, Honda Civic, Chevrolet Cruze e Volkswagen Jetta emplacou apenas 1.353 unidades. O número indicava o fim do modelo – que tinha versões que se encaixavam nas isenções para pessoas com deficiência (PcD).

Histórico do Lancer no Brasil

O sedã da Mitsubishi chegou ao país em 2011, importado do Japão com motor 2.0 e câmbio manual de cinco marchar ou CVT ou – nas versões esportivas -, com o 2.0 turbo com câmbio de dupla embreagem e 6 marchas.

Em 2014, a produção começou a ser realizada no Brasil. Eram oferecidas para o mercado interno as versões HL e HL-T.

Com equipamentos de série como sistema EBD (Eletronic Brake Distribuition), que distribui a frenagem entre as rodas e o BAS (Brake Assist System), que aplica força máxima no acionamento dos freios em situações de emergência, o Lancer ficava devendo itens comuns aos concorrentes, como o controle de estabilidade e tração (ESC).

Com a extinção do Mitsubishi Lancer, a linha de montagem de Catalão fica focada na fabricação do Eclipse Cross, que foi nacionalizado no final de 2019.

Fotos Mitsubishi | Divulgação

SOBRE
9 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Volnei Marcos Mocelin 26 de janeiro de 2021

Uma pena, adoro o Lancer e acho que ele deixa Civic, Corolla e Cruze no chinelo.
Baita carro, estou adorando dirigir ele todos os dias.

Avatar
Maurício Aparecido Maia Dos Santos 15 de janeiro de 2021

Eu gostei muito do lancer. Podia voltar com o lancer .
A Mitsubishi p

Avatar
Maurício Aparecido Maia Dos Santos 15 de janeiro de 2021

Eu gostei muito do lancer. Ele podia voltar com nova geração esse ano.

Avatar
João Abrante 5 de junho de 2020

O Lancer foi morto pela própria fabricante. Aonde já se viu apresentar um carro com tendências esportivas com um câmbio CVT manco que brigava com o motor? Eu mesmo dancei quando comprei um GT em 2013, e me decepcionei com o desempenho. Manutenção cara demais graças a mão de obra da MMB. Não fará falta.

Avatar
Moralizador 23 de junho de 2020

Bela bostejada irmão

Avatar
Eduardo 18 de janeiro de 2021

Isso ai!

Avatar
Jonathan 27 de março de 2020

Pipoca não tem antena

Avatar
Milton Portella 16 de janeiro de 2020

A Mitsubishi não poderia começar a comercializar, aqui no Brasil, o Space Star???

Avatar
Milton Portella 16 de janeiro de 2020

Com a saída do Lancer, por que a Mitsubishi não tenta trazer ou montar por aqui o Space Star.???

Avatar
Deixe um comentário