Preço dos carros cai com o dólar?

Que quando a moeda norte-americana sobe, o valor dos veículos aumenta, a gente sabe... Mas e o contrário, acontece?

calculadora e chave de carro em cima de contrato
Dólar interfere no preço dos carros porque muitos dos equipamentos e tecnologias são importados (Foto: Shutterstock)
Por Laurie Andrade
12 de março de 2021 16:00

É comum encontrarmos reportagens com títulos como “Alta do dólar faz preço dos carros dispararem”. Isso porque a moeda norte-americana tem influência direta no valor dos veículos vendidos no Brasil. Acontece que o contrário é, no mínimo, difícil de se observar. Por quê?

LEIA MAIS

Em primeiro lugar, é importante lembrar que até mesmo os automóveis nacionais precisam importar componentes e tecnologias.

Joel Leite, Diretor da Agência Auto Informe, afirma que não se lembra de nenhuma vez em que anunciou queda nos preços dos carros em razão da diminuição da disparidade entre o real e a moeda norte-americana.

A indústria reclama do dólar alto porque os carros utilizam muitos equipamentos e tecnologias importados. Mas é óbvio que quando a moeda cai não reduz o preço dos produtos. É que, em especial os importadores, afirmam que estão em defasagem.

Ainda de acordo com o especialista, os comerciantes de automóveis realmente acabam considerando o lucro resultante da queda do dólar como uma reposição da margem que fica defasada na maior parte do tempo.

O valor do dólar comercial, cotado hoje a R$ 5,57, interferiu bastante no preço dos carros brasileiros no início da pandemia. Em meados de maio, a moeda norte-americana chegou a bater os R$ 5,90. Na época, o Jeep Wrangler, que desembarcou em 2019 a R$ 259.990, era oferecido por R$ 347.990. Uma alta de aproximadamente R$ 88 mil ou 33,8%.

Especialista em indústria automobilística da Bright Consulting, Cassio Pagliarini disse, em entrevista ao Jornal do Carro, que “No mínimo 30% do custo de um veículo está ligado a itens importados. Se o motor e o câmbio vierem de fora, o impacto direto da cotação da moeda pode chegar a 70% do custo do veículo”.

De acordo com dados do Ministério da Economia, o Brasil importou US$ 13,2 bilhões em componentes automotivos em 2019. O valor, R$ 52,8 bilhões em conversão direta, inclui de aço à lubrificantes.

No mesmo ano (2019), a China forneceu 13% dos componentes usados pelas fabricantes e montadoras do Brasil, seguida pela Alemanha (12%), Estados Unidos (9%), Japão (8%), Argentina e Coreia do Sul (7% cada), México (6%), Tailândia e Itália (3%). Apesar dos países terem moedas distintas, a base para as negociações é o dolar.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
8 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
DMN 22 de março de 2022

Tudo conversa fiada das empresas: não existe e nunca existiu “defasagem” em lucro de grandes empresas no Brasil, o mundo INTEIRO sabe disso. Temos uma margem de lucro altíssima! Na Alemanha, lucro que chega a 10% é comemorado, é apenas para os melhores empresários. Aqui as margens de lucro são superiores a 100%. É apenas uma sociedade egoísta e injusta. Não repassa benefício à população. São gananciosos. Verdade seja dita, pelo menos.

Avatar
Ademir 21 de março de 2022

Dólar sobe os preço sobe, dólar caie os preço não cai!!!!

Avatar
Jonas SF 15 de junho de 2021

Quanto maior a demanda, maior o preço, quanto menor a demanda, menor o preço. A demanda dos veículos diminuiu, mas o preço sobe em qualquer contexto. Mercado que não segue a lógica normal está viciado. Será cartel?

Avatar
Rolegan 18 de agosto de 2021

Se a maioria fizesse como eu, vendi o meu para comprar um mais novo subiu não comprei.

Avatar
Guilherme Paniguel Gehring Cardoso 8 de junho de 2021

O que importa é que o salário sobe junto com o dólar… Sqn

Brasil sendo Brasil… Se pudesse ir embora…

Avatar
Raphael 8 de junho de 2021

Ahh ta. Aumenta dólar, aumenta o preço. Diminui o dólar, é, então vamos conversar..
Isso é prática abusiva. Cade os orgãos públicos para fiscalizarem esse tipo de prática abusiva?

Avatar
Sir.Alves 6 de junho de 2021

A tendencia do dolar eh so cair, pois ate o final do ano toda a populacao tera recebido ao menos uma dose, e o fim das restricoes de quantidade de funcionarios nas fabricas, maior oferta e menor procura… Tudo deve cair em termos de custo na casa dos 35%, mas o preco dos veiculos nao cai??? Dale importacao independente, comprar no mexico e trazer de navio… Danem-se fabricas nacionais…

Avatar
Luciano 3 de junho de 2021

Realmente os fabricante de carros em nosso país, estão agindo igual aos políticos…
Não aceitam reduzir valores.
Só pensam em ganhar cada vez mais.
Exemplo disso é a Jeep, quê no início do mês, lançou o Jeep compass atualizado, quando o dólar estava $ 5,79… Hoje o dólar está $ 5,08, e mesmo assim eles aumentaram o valor do carro. Esse aumento chega R$ 11 mil .
Acho quê isso é uma falta de respeito com o consumidor Brasileiro.

Avatar
Deixe um comentário