Seguro de carro: é possível pedir desconto ou pausa durante a pandemia?

Especialistas indicam que a negociação é o melhor caminho para resolver a questão, já que não há respaldo legal para pausa em casos de crise

Por Laurie Andrade 01/05/20 às 10h00

A pandemia do novo coronavírus influenciou diretamente em diversos serviços. A garantia e os prazos de revisão dos veículos foram adiados, assim como financiamentos foram pausados por alguns meses. Mas e o seguro de carro, como fica? Consultamos a Superintendência de Seguros Privados (Susep) e a Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para responder a pergunta.

De acordo com o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB Minas Gerais, Bruno Burgarelli, não há respaldo, no Código de Defesa do Consumidor, para que haja redução do valor do seguro de carro durante uma situação como a atual pandemia – ainda que a exposição a riscos esteja menor.

O que, segundo o advogado, não impede o consumidor de tentar negociar com a empresa responsável pelo serviço.

LEIA MAIS

A assessoria de imprensa da Susep lembra que a menor incidência de sinistros implica na melhoria da classe de bônus do segurado/consumidor no ano seguinte.

Sobre a redução do valor do seguro de carro no ano vigente, a Superintendência explica que não há previsão de desconto no prêmio pelo período em que o segurado não utiliza o veículo. Por opção, a sociedade seguradora pode conceder redução durante a vigência do atual contrato ou na sua renovação.

Essa é, inclusive, uma estratégia para não perder clientes durante a após a crise. Nos seguros pay per use (sob demanda), naturalmente, quanto menos o produto é utilizado menos o segurado paga. Esta modalidade está regulamentada desde 26 de agosto de 2019 no Brasil, em função da publicação da Circular Susep nº 592/2019.

Questionada pelo AutoPapo se recomendou que as seguradoras estejam mais dispostas a negociar o seguro de carro, a Susep afirmou que um dos avanços obtidos no mercado, com o seu apoio, é a flexibilização.

“Acreditamos que a esfera administrativa e a negociação são uma boa forma para que consumidor e seguradora equacionem suas questões e incentiva esta prática”, finaliza.

Número de sinistros registrados por seguradoras

carro vermelho dentro de uma bolha, indicando seguro de carro
De acordo com o Grupo Tracker, o roubo de veículos subiu durante o isolamento social

A Susep informou que, apesar de já ter solicitado os dados, ainda não pode afirmar que o número de sinistros diminuiu durante a epidemia do novo coronavírus. As primeiras informações serão recebidas no início de maio e possibilitarão um acompanhamento do nível de cobertura do setor.

A expectativa é, segundo a entidade, de que haja uma redução de sinistros durante o período de menor circulação de veículos.​

O Grupo Tracker, maior empresa de rastreamento e localização de veículos do Brasil, constatou que o número de roubo e furto de veículos – considerando todas as categorias: leves, pesados e motocicletas – cresceu 12,35% nas últimas duas semanas (entre 12 e 25 de abril), na comparação com as duas semanas anteriores (de 29 de março a 11 de abril), em todo o país.

As ocorrências com caminhões tiveram um crescimento de 25% no período. No comparativo anterior (entre 15/03 a 28/03 x 29/03 a 11/04), os veículos pesados já haviam registrado alta de 7,7%.

O segmento composto por automóveis, picapes e SUVs também apresentou alta de 12,9% em todo o país – fato que pode pesar na decisão por manter o seguro de carro, ainda que o cenário econômico esteja complexo.

Os eventos com motocicletas, por sua vez, caíram 17,6%.

Os consumidores que optarem por encerrar o contrato de seguro de carro devem consultar a apólice para entender os prejuízos determinados no acordo.

Foto Shutterstock

0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário