Vale a pena comprar um híbrido usado?

É possível encontrar, no Brasil, híbridos por R$ 50 mil; será que a manutenção desses veículos viabiliza a compra de um usado?

Por Laurie Andrade 11/06/18 às 08h00

Para analisar se vale a pena comprar um híbrido usado, selecionamos os modelos com a tecnologia que estão disponíveis no mercado brasileiro há mais tempo, Ford Fusion e Toyota Prius, e analisamos algumas variáveis, como o valor das revisões até 80 mil quilômetros rodados e o preço de componentes que se diferem dos automóveis convencionais e são substanciais para o carro parcialmente limpo se mover: as baterias.

Para além da satisfação de ter um carro que agride menos o meio ambiente, os híbridos têm a vantagem do baixo consumo. O valor das revisões também conta a favor.

VEJA MAIS

No caso do Fusion, que tem a versão EcoBoost, as manutenções do híbrido são consideravelmente mais baratas. Na compra do veículo usado, sofre-se menos com a desvalorização inicial.

Os pontos negativos, no entanto, estão relacionados ao preços pouco acessíveis dos zero-quilômetro, das baterias e o despreparo das oficinas para lidar com a nova tecnologia.

A bateria dos híbridos se recarrega com a regeneração de energia, que acontece quando o carro é freado. No híbrido usado, o componente é uma grande questão. A preocupação se justifica quando observamos o valor da bateria do Fusion Hybrid.

O valor gira em torno de R$ 40 mil – e o preço ainda varia de acordo com a oscilação do dólar. A garantia do componente cobre os problemas por oito anos.

A bateria do Prius, por sua vez, tem valor mais baixo, aproximadamente R$ 10.500 com a instalação incluída. A cobertura é de 8 anos, independente da quilometragem. Passado esse prazo, fica a cargo do dono substituí-la. O valor deste serviço varia de acordo com a localidade e o distribuidor em questão.

A assessoria da fabricante afirmou, também, que a vida útil da bateria do híbrido é de aproximadamente 10 anos.

Você sabe como o Toyota Prius funciona? Boris Feldman explica no vídeo:

Valor das revisões do Ford Fusion

Quilometragem Valor da revisão do Fusion EcoBoost  Valor da revisão do Fusion Hybrid
10 mil km R$ 384,00 R$ 244,00
20 mil  Km 660,00 R$ 460,00
30 mil km R$ 660,00 R$ 452,00
40 mil Km R$ 1588,00 R$ 1296,00
50 mil Km R$ 660,00 R$ 165,00
60. mil Km R$ 1408,00 R$ 784,00
70 mil Km R$ 660,00 R$ 452,00
80 mil Km R$ 1588,00 R$ 1296,00
  • Valor da bateria: Por volta de R$ 40 mil (sujeito à variação do dólar)
  • Valor do carro 0 km: R$ 160.900
  • Unidade usada mais barata encontrada na internet: R$ 49.900
  • Consumo: De acordo com dados do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBE), do Inmetro, o carro faz 16,8 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada.
Como tudo na vida, existem prós e contras na compra de um híbrido usado. O que não se pode desconsiderar, na hora de escolher o seu, é a idade da bateria!

Como é possível observar, o valor de uma bateria nova é quase o equivalente ao preço do Fusion Hybrid mais barato encontrado na internet. A conta não se difere muito quando o Toyota Prius é colocado à prova.

Valor das revisões do Toyota Prius

Quilometragem Valor da revisão do Toyota Prius
10 mil km R$ 239,49
20 mil km R$ 624,00
30 mil km R$ 438,00
40 mil km R$  897,00
50 mil km R$  510,00
60 mil km R$ 999,00
  • Valor da bateria:  R$ 10 mil e 500
  • Valor do carro 0 km: R$ 126.600
  • Unidade usada mais barata encontrada na internet: R$ 60 mil
  • Consumo: 18,9 km/l na cidade e 17 km/l na estrada – dados do PBE.
Como tudo na vida, existem prós e contras na compra de um híbrido usado. O que não se pode desconsiderar, na hora de escolher o seu, é a idade da bateria!

A conclusão é simples. Os híbridos têm o seu valor pela tecnologia, pela responsabilidade ambiental, baixo consumo de combustível e até mesmo pelo valor reduzido das revisões. O consumidor precisa, no entanto, ser muito cauteloso ao escolher um híbrido usado.

É prudente analisar a idade da bateria e a quilometragem do carro. O motorista que adquirir um híbrido produzido em 2010, por exemplo, deve estar consciente de que poderá desembolsar, em pouco tempo, o valor correspondente ao do carro por uma bateria nova.

27 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Leo 1 de agosto de 2020

    Ate para comprar uma bateria Moura tenho que financiar em 6 vezes, imagine uma bateria de hibridos

  • Avatar
    Leandro 23 de julho de 2020

    Compra a bateria do Toyota que e 10 mil e adapta no fusion pronto ..

  • Avatar
    Marcelino 29 de março de 2020

    Um absurdo. Jamais comprarei um fusion, que possui um componente custando 40k. Pode ser que dure 10, 12 anos, mas e se der problema. Afinal não sabemos como foi usado. Híbrido só 0km

  • Avatar
    paz 18 de julho de 2019

    so tem jumento aki

  • Avatar
    AIRTON ALVES 10 de maio de 2019

    OLA BOA TARDE VCS ESTAO ESQUECENDO DO QUE VC VAI ECONOMIZAR EM DINHEIRO DE COMBUSTIVEL DURANTE O TEMPO QUE FICAR COM O CARRO
    EXEMPLO EU GASTO 20 REAIS POR DIA DE ETANOL MULTIPLICA POR 30 DIAS E EM SEGUIDA POR 12 MESES E FAZ UMA POUPANÇA DEPOSITANDO ESSE DINHEIRO

    EU JA FIS ESSE CALCULO R$7.200,00 POR ANO MULTIPLICADO POR 10 ANOS DARIA R$72.000,00

    EU ACHO QUE VALE APENA COMPRAR

    • Avatar
      Diego Costa 7 de outubro de 2019

      Amigo, isso se chama custo de oportunidade. Eu comecei a fazer isso quando converti meu carro a gás, mas colocando em ações, rsrs. Hoje o rendimento anual com o que já economizei com o Fusion híbrido gira em torno de R$12mil reais, só de dividendos que ele me trouxe ao economizar, dinheiro que independente do carro que eu tiver daqui pra frente, vai continuar me rendendo, posso até voltar para um somente com motor à combustão (brincadeira).

  • Avatar
    Marco 7 de outubro de 2018

    Quanta especulação sobre esse assunto…. vamos lá.

    Há uma grande confusão e especulação sobre as baterias HV (High Voltage – Alta Tensão) dos híbridos… vamos lá:

    Inicialmente, para termos uma referência, vamos utilizar o Ford Fusion, que tem a versão híbrida, a versão somente gasolina (Ecoboost) e a versão Flex

    Manutenção: Os custos das manutenções periódicas de um híbrido são mais baratos que de um carro somente a gasolina, devido ao desgaste menor do motor a gasolina e dos freios…. podem verificar e comparar os custos das revisões no site da Ford (como informado nesta reportagem), entre um um Fusion Hybrid vs Ecoboost…. tem Ford Fusion Hybrid com mais de 160k km e rodando com ótima autonomia (conseguindo chegar até uns 30km/l) e nunca trocou as pastilhas de freios… devido ao freio regenerativo… observem as rodas dianteiras dos carros híbridos e elétricos, ficam praticamente limpas o tempo todo…. não fica com aquela fuligem preta como nos carros comuns.

    Baterias do Híbrido: muito se especula sobre as baterias HV, primeiro NÃÃÃO precisa trocar a bateria HV, como muitos pensam…. tempo de garantia não é a vida útil (o seu carro tem 3 ou 5 anos de garantia, mas vc não precisa trocá-lo quando vence a garantia, certo?… o seu carro continua funcionando depois da garantia, certo?… é a mesma coisa!)

    O fato é que as baterias HV trabalham bem folgadas, elas ficam entre 40% a 75% da carga total durante 99,999% do tempo…. uma região recomendada para as baterias de lítio e que trabalham muito bem… e outra coisa é sobre a vida útil, já vi diversos números, que dura 14 anos, vida inteira do carro (inclusive está informação está no manual do Ford Fusion Hybrid), o fato é que tem muitos híbridos rodando com mais de 200k km e rodando como novo.

    Mais uma observação, nós carregamos os nossos smartphones e notebooks de forma totalmente errada, esperando chegar até 0% e deixando horas carregando depois que chega em 100%…. isso é um veneno para as baterias de lítio…. já no carro híbrido, isso não existe, o sistema do híbrido é que gerencia automaticamente a carga e a descarga das baterias (HV), inclusive quando a temperatura estiver muito alta ou baixa, o sistema desativa a bateria e aciona apenas o motor a combustão, até a temperatura das baterias entrarem na região de temperatura ideal.

    Então, não tem essa que as baterias HV dos híbridos precisam trocar, e com a extensa garantia, é um bom tempo para averiguar a saúde das baterias.

    • Avatar
      Paulo 1 de novembro de 2018

      Olha, tô quase indo num desses pouco usado, com um ano só de uso… Será?

      • Avatar
        Bruno 26 de abril de 2019

        Estou pensando exatamente a mesma coisa, me livrar de um Passat 2013 e partir pra um híbrido semi-novo.

      • Avatar
        Regis 20 de maio de 2019

        Pesquisa Gnv de 5a geração . Poderá ficar c seu maravilhoso carro economizando 70%

      • Avatar
        Diego Costa 7 de outubro de 2019

        Tenho 2 carros, o Fusion híbrido e um com GNV 5a geração. Nem de longe o GNV é mais econômico, sem contar os gastos com vistoria, com regulagem, perda de potência e a mala que não consigo colocar nem o estepe. Isso no rio de janeiro, porque quando viajo o custo com GNV é muito mais alto. Hoje só viajo no Fusion.

    • Avatar
      Regis 20 de maio de 2019

      Concordo com 90 % do que disse , mas o fusion híbrido do faz 30km:l se for uma descida de Serra p praia . Pensei em comprar um enja testei e pesquisei varios . Para o porte, ele è econômico , mas a média fica entre 14 e 15 km/l na gasolina . Outra coisa sobre manutenção e durabilidade , todos os fusions turbo oi híbrido os pneus não duram mais q 25 a 30 mil km e custam uma fortuna.

      • Avatar
        Pedro 26 de julho de 2019

        Gente,quanta besteira, quem pode comprar um carro híbrido vai trocar o carro de 5 em 5 anos no maximo, é o mesmo perfil de donos de BMW e Mercedes. Estão pouco se importando se a autonomia é 10 ou 20km/l.só querem pisar, usar e depois deixar o bagaço pra quem vai comprar, e só lembrando, manutenção de carro zero e usado é o mesmo valor, um fusion 0km e um do mesmo modelo ano 2012 tem o mesmo valor de manutenção, então pensem bem antes de comprar um carro de luxo de segunda mão.

      • Avatar
        Diego Costa 7 de outubro de 2019

        Negativo. Que idéia errada a sua. Compramos carro híbrido pensando na economia. Ninguém vai sair acelerando carro híbrido, não faz nenhum sentido.

      • Avatar
        Diego Costa 7 de outubro de 2019

        Boa noite amigo, mas você está enganado. Você encontra pneu novos a menos de 300 reais (no rio de janeiro) e não é difícil fazer 30km/L, até mesmo em estrada isso é possível. Nunca faço menos de 20km/L de média no meu e não preciso andar a 10km/h para conseguir isso não. Não estou falando sem provas, pois possuo um e já fiz vários registros. 2013/2014.

    • Avatar
      Alcântara 17 de julho de 2020

      Marco , muito obrigado por seu comentário esclarecedor !
      Eu e a minha esposa estamos procurando um carro para a nossa família e o Ford Fusion Hybrid está entre eles , justamente pelo consumo . O investimento vale à pena .

  • Avatar
    Vince 16 de junho de 2018

    Conta porca. Em 10 anos tanto a moeda quanto política e a indústria oscilam, e no caso a tendência é baratear o custo conforme o oportuno pelo custo marginal de cada unidade adicional, basta aumentar a demanda pelo item que a oferta vem correndo atrás. Carros, no geral, já foram considerados investimentos a uns 40 ~ 50 anos atrás, de rarefeito que era o item no mercado, hoje (no geral) é puro prejuízo, assim como toda inovação -Novas tecnologias, novas vantagens e novos problemas- ou prefere pegar seu velho Nokia com botões de volta?

    Carro elétrico é o futuro, carro híbrido é um começo.

    • Avatar
      Mana 29 de julho de 2018

      Conta correta, levando -se em conta que se vc comprar um Fusion 2010 hoje por 50mi a bateria custa 40mil se precisar trocar.

  • Avatar
    Rodolfo 13 de junho de 2018

    CARLOS MINKAP,
    …. Que graça tem ter um carro híbrido que não funciona os motores elétricos?
    …. E outra os motores elétricos dele serão peso morto no carro caso o dono opte arrancar as baterias dele quando acabar a vida útil.

    • Avatar
      Paula Tejano 26 de julho de 2018

      quanta burrice!!!

  • Avatar
    Carlos Minkap 12 de junho de 2018

    Mas o híbrido sem a bateria fica inutilizado mesmo, ou o motor a combustão continua funcionando independente ?

  • Avatar
    Rodolfo 12 de junho de 2018

    E o descarte das baterias dos carros elétricos ou reciclagem será que vinga? Pois não vejo ninguém reciclar bateria de celulares que é o mesmo princípio… ions de lítio, nem mesmo pilhas AAA Duracel, Rayovac, etc, de relógio, lanterna, etc. Comprar celular, pilha é fácil, vai você querer descartar isso em algum lugar de coleta… se achar ótimo nas metrópolis, mas nas cidades do interior duvido que a maioria delas tenha pontos de coleta.

    E ainda reciclar tem seu custo, lembro que li uma vez uma revista do ramo marítimo que a Polícia Federal uma vez apreendeu no Porto de Santos lixo doméstico e lixo reciclável vindo da Europa…

    Vejam uma reportagem do tipo no link abaixo:

    Contêiner com lixo doméstico europeu chega a porto no RS – 17/ago/2010:

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/conteiner-com-lixo-domestico-europeu-chega-a-porto-no-rs/n1237751476802.html

    Assim se lixo reciclável alguns não reciclam… mandam para os países de terceiro mundo… então será que os jogos de baterias de lítio de um carro elétrico serão de fato reciclados?

    Se temos que diminuir o uso de combustíveis fósseis a solução seria o governo investir melhor em transporte público, pois o metrô e os trens estão num ritmo de crescimento insatisfatório com relação ao da população. No ônibus, metrô ou trem a gente parece dentro de uma lata de sardinha. Pois se um dia o transporte público for no nível de Londres, Nova York etc, aí sim muita gente vai deixar o carro na garagem e então o meio ambiente vai agradecer.

    Por fim, a pessoa ecologicamente correta que mora nas grandes metrôpoles como por exemplo São Paulo/SP, ao invés de ir trabalhar de carro, poria ir de transporte coletivo ou alugar a própria casa e alugar outra próxima ao trabalho, podedo assim ir trabalhar a pé. Assim unido o útil e o agradável e ganhando qualidade de vida fugindo desse trânsito caótico que é aqui em São Paulo/SP, onde para se andar 15 km se leva mais de 1 hora no horário de pico (7:00 às 10:00 hs e 16:00 às 20:00 hs).

    Eu por exemplo vou trabalhar de ônibus, pois não suporto o trânsito caótico de São Paulo/SP, trabalho a uns 5 km de casa… em torno de 30 minutos chego no meu trabalho. Ganhei qualidade de vida deixando o carro na garagem para ir trabalhar…

  • Avatar
    Rodolfo 12 de junho de 2018

    Para o Fusion que foi informado o valor da bateria (R$ 40.000,00)… considerando um reajuste de preços de 2% ao ano a bateria custará em 10 anos R$ 47.803,70.

    E o carro que hoje custa R$ 160.000,00, considerando uma depreciação “suave” de 10% ao ano, então em 10 anos o carro valerá: R$ 61.987,28 .

    Então o custo da bateria nova e o valor de um carro desses estimado acima com 10 anos de uso (R$ 61.987,28), assim custo da bateria nova reajustado o valor para 10 anos ( R$ 47.803,70) representa 77% do valor do carro… ou seja, foi decretada a perda total!

    • Avatar
      ALEXANDRE FERREIRA 4 de julho de 2018

      SEM CONTAR QUE EM 10 ANOS OS CARROS ELÉTRICOS LEGITMOS JÁ ESTARÃO INVADINDO O BRASIL COM PREÇOS “MELHORES” E COM MELHORES PROPOSTAS DE VÁRIAS MARCAR!!!!!

    • Avatar
      Paula Tejano 26 de julho de 2018

      Rodolfo falando bobagens, se hoje uma bateria moderna custa 40 mil, daqui 10 anos, com a constante evolução do mundo moderno, ela vai custar bem menos.

      • Avatar
        Paula Fora 24 de maio de 2020

        Depende. Se a montadora levar em consideração que o seu projeto custa 4X mais que o seu concorrente e resolver modificá-lo consideravelmente, pode ser que os clientes de anos anteriores tenham até que pagar mais caro por uma tecnologia já ultrapassada…

  • Avatar
    Ton 11 de junho de 2018

    Ótima explanação. Tema pouco abordado .

Avatar
Deixe um comentário