Verdades sobre a ‘gasolina formulada’: saiba tudo sobre o combustível

Ela pode ter menos densidade e, por consequência, aumentar o consumo; os demais boatos não passam de especulação

Por Laurie Andrade 04/04/18 às 14h15
diesel

Os combustíveis são fontes quase inesgotáveis de boataria. Muito se fala sobre fórmulas mágicas para aumentar potência e diminuir o consumo. A especulação da vez é sobre a gasolina formulada. Alguns postos de combustíveis estão tão preocupados com a má fama desse tipo de gasolina que até colocaram faixas afirmando que só vendem a gasolina refinada.

VEJA TAMBÉM: 

Mas, afinal, o que é a gasolina formulada?

Bem, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), toda a gasolina produzida no Brasil é formulada. Isso porque a gasolina é uma mistura de correntes de hidrocarbonetos que pode ser obtida por diferentes processos. Podendo ser feita por refinaria ou por outros agentes econômicos autorizados pela ANP, como formuladores e centrais petroquímicas.

O Diretor de Combustíveis da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Rogério Gonçalves, explica que a afirmação está correta, mas que existe uma diferença entre os processos citados: a gasolina refinada é feita pelas refinarias e a gasolina apelidada de formulada é “montada” pelos formuladores.

“A ANP criou há algum tempo a função de formulador, que é a empresa que compra a matéria-prima das refinarias e monta um composto chamado de gasolina formulada” explica Gonçalves. Como a ANP não exige, desde 2015, um padrão de densidade para a gasolina, as empresas formuladoras podem fazer um composto mais leve, com menos massa e, consequentemente, menos energia.

O diretor de combustíveis completa “a ‘gasolina formulada’ produzida adequadamente, com matérias-primas de qualidade, não traz nenhum malefício para o carro. Isso porque as especificações da ANP valem também para esse tipo de gasolina. A única diferença possível é o pior consumo”. Para tentar sanar esse problema, a AEA propôs à ANP estabelecer limites de densidade na especificação do combustível. De acordo com o especialista, a Europa também adota massa específica para a gasolina. Gonçalves afirma, ainda, que fazer essa análise é fácil, os medidores poderiam, inclusive, ficar instalados nas bombas dos postos.

Como saber se a gasolina é formulada?

Um Projeto de Lei tramita na Câmara dos deputados com o intuito de obrigar os postos a informarem se a gasolina vendida é refinada ou formulada. Alguns Estados, como o Paraná, já exigem que os postos de combustíveis a indicar qual o tipo de gasolina estão oferecendo aos consumidores.

Já ouviu falar em gasolina formulada? Desvendamos os boatos mais comuns sobre esse tipo de combustível que nada mais é que uma gasolina feita com matéria-prima comprada nas refinarias por empresas autorizadas pela ANP.

Visto que é um direito do consumidor saber a origem dos produtos que compra, a AEA enxerga com bons olhos a iniciativa do PL. De acordo com a ANP, desde que a gasolina atenda às especificações estabelecidas, a origem da sua produção não interfere na qualidade do produto.

Formuladores

Para trabalhar como agente formulador de combustíveis, a empresa precisa atender aos requisitos técnicos, econômicos e jurídicos dispostos na Resolução ANP nº 5, de 26/01/2012. Atualmente apenas três instituições estão autorizadas pela ANP para produzir a gasolina formulada. São elas: Copape Produtos de Petróleo LTDA,  Decal Brasil LTDA e EGCEL, sendo que a última ainda está em construção.

A reportagem tentou entrar em contato com as duas empresas em operação para saber para quem as formuladoras vendem a sua gasolina, mas não obteve sucesso.

Veja, abaixo, as falácias mais comuns quando o assunto é gasolina formulada:

  • Rende de 10 a 15% menos que a gasolina comum

Não há pesquisas registradas que analisem uma quantidade suficiente de ‘gasolinas formuladas’ para confirmar o número. Mas é uma possibilidade.

  • É mais fácil de ser adulterada

A gasolina de fomuladores pode ser adulterada, assim como a refinada. Inclusive as duas possuem o mesmo comportamento no teste da proveta.

  • Uso a longo prazo pode entupir bicos injetores

Essa afirmação não faz sentido. Até porque, se a gasolina é mais leve, tende a depositar menos resíduos.

  • É feita a partir das sobras do processo de refinamento de outros combustíveis

A ‘gasolina formulada’ é feita a partir de matérias-primas compradas das refinarias

  • Deve ser vendida por preços inferiores

Não há nenhuma determinação na lei que obrigue os postos a discriminar os dois tipos de gasolina

Na dúvida, abasteça em postos de confiança.

Irrelevante

Em fevereiro, os dois agentes econômicos denominados formuladores – Copape e Decal – produziram cerca de 12 mil m³ de gasolina, enquanto a produção total do país foi de cerca de 4,2 milhões de m³. A quantidade de ‘gasolina formulada’ corresponde a 0,2% do total do combustível produzido no mês.

15 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Tom Stan 13 de outubro de 2020

O problema é que, NAO HÁ FISCALIZAÇÃO SOBRE OS COMBUSTIVEIS FORMULADOS,E onde tais formuladoras estão sediadas o mercado local está destruído e centenas de revendedores falidos, obrigando-os, infelizmente, a iniciar adulteração/sonegação para manter suas vendas e cumprirem seus contratos com suas bandeiras, ou na pior das hipóteses vender (dar) seu posto à delinquentes do crime organizado. Tudo isso traz alto prejuízo ao consumidor final. NAO MAIS EXISTE ” POSTO DE SUA CONFIANÇA” NESSAS PRAÇAS.

Avatar
Emerson Pacheco 3 de fevereiro de 2020

O que falta neste pais e honestidade com responsabilidade.

Avatar
Evandro Cerdeira Dos Santos 2 de fevereiro de 2020

Na época da greve dos caminhoneiros enchi o tanque do meu taxi com gasolina formulada em um posto da Petrobras depois de duas horas na fila, olha ,saí pra trabalhar e vou dizer uma coisa, o funcionamento do meu carro ficou horrível, pra vocês terem uma idéia no dia que acabou a greve, fui completando com etanol até o funcion amento ficar normal. Agora, todo posto que abasteco pergunto sobre essa tal gasolina formulada, nunca mais.

Avatar
Claudionor da Silva cruz Netto 2 de fevereiro de 2020

Há muito tempo falo, a falta de respeito ao consumidor, sobre qual produto está adquirindo, refinada ou formulada.
Para mim a formulada, que era a antiga gasolina adulterada, e que a fiscalização, não conseguia resolver, oficializou a adulterada, que é a formulada.
Estes valores indicados na matéria, é muito abaixo do que está no mercado para venda.

Avatar
Nilmar 27 de agosto de 2019

Todo postos sem bandeira comercializa gasolina formulada quer gasolina boa de qualidade posto Petrobras

Avatar
JOSI 15 de maio de 2020

ISSO É UMA MENTIRA HORRENDA, TRABALHO A ANOS EM UM POSTO BANDEIRA BRANCA ONDE OS PROPRIETÁRIOS SÃO SUPER HONESTOS, E SÓ COMERCIALIZAM COMBUSTÍVEIS BONS, CARREGAM NA RAÍZEN…RUFF
Já tem postos bandeirados na cidade que comercializam porcarias.
ENTÃO O IDEAL, É SE INFORMAR SOBRE A CONFIABILIDADE DO POSTO 😉 INDEPENDENTE DA BANDEIRA.

Avatar
Eduardo 29 de maio de 2019

Shell 100% formulada? Que mentira!

Avatar
Marcelo Ferreira 3 de junho de 2018

A Shell que introduziu esse lixo no mercado, seus postos são 100% formulada.

Avatar
Sandro 23 de julho de 2019

Onde obteve essa informação??

Avatar
Rodolfo 6 de abril de 2018

Eu estava pensando agora… já que essa gasolina “formulada” não faz mal algum ao motor, então o “Auto Papo” podia entrevistar um produtor e distribuidor de renome mundial, como por explemplo a própria “Shell”, e perguntar pra “Shell” porque eles não usam a gasolina “formulada” para passar a todos os postos de gasolina que possuem a sua bandeira.

Avatar
Rodolfo 5 de abril de 2018

“Bem, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), toda a gasolina produzida no Brasil é formulada. Isso porque a gasolina é uma mistura de correntes de hidrocarbonetos que pode ser obtida por diferentes processos. Podendo ser feita por refinaria ou por outros agentes econômicos autorizados pela ANP, como formuladores e centrais petroquímicas”.

Mas gasolina é hidrocarnoneto, assim como solventes (querosene, diesel, tiner, aguarras, etc) são também hidrocarbonetos, ou seja, derivado de petróleo é um hidrocarboneto. Mas uma coisa é certa: “gasolina é gasolina” e “querosene é querosene”…

Avatar
Rodolfo 5 de abril de 2018

Corrigindo o texto acima…

Onde se lê: “Gostaria de saber se a gasolina “formulada” pode causar danos”

Leia-se: “Gostaria de saber se a gasolina “formulada” pode causar danos ao óleo do motor”.

Avatar
Rodolfo 5 de abril de 2018

Bom artigo!

Gostaria de saber se a gasolina “formulada” pode causar danos, pois li na tese de mestrado abaixo que a gasolina “batizada” pode estragar o lubrificante do motor, então a logo ou médio prazo pode provocar a temida borra de óleo que pode fundir o motor por falta de lubrificação.

Veja os seguintes trechos da referida tese:

“Em motores de combustão interna, os estudos dos efeitos da adulteração do combustível se concentram nos problemas que ocorrem no sistema de alimentação, porém pouca atenção é dada ao lubrificante. Esta análise avalia esta degradação precoce do lubrificante a partir das alterações físicas e químicas sofridas por este ao utilizar gasolina adulterada em um motor de combustão interna”.

“Foram utilizados combustíveis adulterados com etanol, querosene e thinner nas proporções de 5%, 10%, 15% e 20%, além de um teste com gasolina adulterada com querosene na razão de 1% até 8%. Os ciclos foram de 40 horas cada, o que equivale a aproximadamente 2.000 km rodados”.

“Os resultados mostraram as alterações de rotação conforme o esperado, quanto aos outros testes, foi mostrado que o lubrificante também sofreu alterações. Alguns elementos aditivos foram consumidos com a adulteração. O desgaste de máquina foi pequeno, porém os níveis de sulfatação, nitretação e oxidação foram alterados indicando a degradação do óleo lubrificante”.

Grato,

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA ADULTERAÇÃO DE COMBUSTÍVEL NA DEGRADAÇÃO DO LUBRIFICANTE E DO MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA
Autor: RONALDO LOURENÇO FERREIRA
Ilha Solteira
2017

Disponível em:

https://repositorio.unesp.br/handle/11449/149975

Avatar
Leirto Eliad 4 de abril de 2018

Oi Boris, gostaria de saber sua opinião sobre o do vapor de gasolina, traz alguma consequência ao motor do carro?

AutoPapo
Felipe Boutros 6 de abril de 2018

Olá, Leirto. Obrigado por prestigiar o AutoPapo. Por favor, envie a sua dúvida em https://autopapo.uol.com.br/blog-do-boris/

Avatar
Deixe um comentário