[Vídeo] Carros populares por R$ 60 mil? Não reclame, vai piorar!

"Os modelos zero-quilômetro mais acessíveis do Brasil, Renault Kwid e Fiat Mobi, já estão na faixa de R$ 60 mil para cima. Mas o pior ainda está por vir"

mão feminina empilha moedas abaixo de carrinho de brinquedo simulando aumento do preço dos carros
Preços tanto dos carros zero-quilômetro quanto dos usados estão em alta (Foto: Shutterstock)
Por Boris Feldman
13 de março de 2022 15:19

A turma está reclamando, e com razão, dos preços dos carros ditos “populares”; porque os modelos zero-quilômetro mais acessíveis do Brasil, Renault Kwid e Fiat Mobi, já estão na faixa de R$ 60 mil para cima. Mas o pior ainda está por vir: assista ao vídeo!

VEJA TAMBÉM:

Vocês nem imaginam que as fábricas não estão satisfeitas com os resultados, com a rentabilidade desses carros “baratos”. Até porque desses R$ 60 mil aí, cerca de R$ 20 mil a R$ 25 mil já ficam direto para os tributos federais e estaduais.

Então, a fábrica ganha dinheiro mesmo é vendendo carro acima de R$ 120 mil, R$ 130 mil. Até porque, se ela tem um carro de R$ 160 mil e, por qualquer motivo, tem que passar para R$ 170 mil, esses R$ 10 mil não fazem muita diferença.

Mas para quem está comprando um carro de R$ 60 mil, você põe mais R$ 2.000, mais R$ 3.000, já pesa no bolso. E o que é pior: os carros não param de subir de preço por causa da inflação, por causa dos componentes importados. Estão lembrados disso, que ainda tem uma parte da eletrônica que é importada, e que encarece ainda mais o preço do nosso automóvel?

O fim dos carros “populares”

Então existe já uma política, uma filosofia, na maioria das fábricas, para deixar de lado, deixar de produzir, em volumes, esses carros mais “populares” e se dedicar aos mais sofisticados, aos SUVs, por exemplo, pelos quais sempre se cobra mais do que por um sedan ou por um hatch. E isso é uma política que está tomando conta das nossas fábricas.

Então, se você está achando que o popular está caro, ainda dê-se por satisfeito. Porque, pelo que eu estou percebendo, a tendência das fábricas é de restringir a gama a modelos mais sofisticados, mais caros, maiores, e cada vez se dedicar menos a esses carros mais em conta, mais populares para o mercado.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
SOBRE
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
HAF 25 de março de 2022

Tio Vladir achou pouco o estrago do virus chines… acreditem ou não… já estamos na 3ª guerra… estamos vivendo o mesmo momento em que o mundo viveu após a Alemanha invadir a Polônia em 39… é só questão de tempo até todos os países’ chegarem as vias de fato… estamos apenas no entreposto de tempo de preparação estratégica… estoquem alimentos! Reservistas estejam alertas ou fujam logo.

Avatar
HAF 25 de março de 2022

*Vladmir

Avatar
Antonio Pereira 14 de março de 2022

Desculpe a sinceridade,mas estou adorando carros e combustível cada vez mais caros, só terá carro quem realmente tem condições de manter, metade dos carros nas ruas são velhos com manutenção negligênciada , sem seguro e com documentos e muitas atrasados.
Para quem defende, espera até um carro com 10, 15 anos de fabricação bater em você e pergunta se ele tem seguro?
O prejuízo será todo teu.
Os mimizentos podem deixar seu choro a vontade.

Avatar
Deixe um comentário