Carro ‘beberrão’ ou trapaça do posto de gasolina?

O problema pode estar na alta porcentagem de etanol na gasolina do posto de combustível e não no seu automóvel

sequencia de bombas em posto com fundo desfocado
O posto de gasolina pode ser o responsável pelo consumo do seu carro (Foto: Montagem AutoPapo | Ernani Abrahão)
Por Boris Feldman
10 de junho de 2022 07:32

Você abastece seu carro flex com gasolina. Mas percebe que o consumo está muito elevado e não sabe o porquê. Saiba que suas chances de ser trapaceado são enormes, por dois motivos:

VEJA TAMBÉM:

  1. Você imagina primeiro que o problema está no motor e leva o carro para a oficina. Mas, se ela não for honesta, vai sugerir limpeza de bicos ou do corpo da borboleta, vai trocar isso e aquilo e te apresenta um “senhor” orçamento. Mas o carro sai de lá do mesmo jeito que entrou.
  2. Sabe onde estava a real trapaça? No posto que te vendeu a gasolina adulterada. Para quem não acredita, é interessante acompanhar as ações da ANP.

Na semana passada, a ANP ela divulgou o resultado de uma fiscalização em dezenas de postos, um deles na zona norte do Rio. Ele foi interditado por vender gasolina com 62% de etanol, em vez dos 27% permitidos.

Aí está um problema do motor flex: ele foi projetado para aceitar gasolina e etanol em qualquer proporção, sem reclamar. Fosse um carro só para gasolina, ele iria espirrar e tossir até parar.

No caso do carro flex, a trapaça vai direto para o seu bolso, mas você só a percebe ao fazer as contas do consumo e ainda acusa o carro de “beberrão”…

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
henrjk 13 de junho de 2022

Poderia já ter no mercado kits prontos para testagem de gasolina como também indicativo no painel do carro da quantidade de gasolina. Acho que assim estariamos mais protegidos desses fraudadores.

Avatar
Yo Roberto 12 de junho de 2022

Além do problema citado, tenho notado em alguns postos que a bomba pode estar adulterada.
Explico:
No meu carro atual e no anterior, a luz de reserva sempre acende quando o carro consumiu entre 37 e 38 litros.
Ao reabastecer logo após a luz de de reserva acender, o normal é entrarem entre 37 e 38 litros até o click da bomba.
Em vários postos, tanto na cidade, como nas rodovias, já ocorreram casos de entrarem 39, 40 litros ou mais, quando a luz de reserva ainda nem acendeu. Com certeza nesses postos ocorreu adulteração nos medidores das bombas de forma que o cliente é cobrado por litros não abastecidos.
Quem sempre reabastece antes da luz de reserva acender, nunca vai perceber este tipo de fraude e, pode até desconfiar de combustível adulterado, mas nunca desconfiar da bomba adulterada.

Avatar
Deixe um comentário