Carro aos 40 mil km: cuidado para não cair na ‘empurroterapia’…

Ninguém sabe ao certo o porque certas marcas de peças estipularam prazo para a troca delas aos 40 mil quilômetros

Por Boris Feldman22/04/20 às 08h30

Quarenta mil quilômetros é o número oficial da ‘empurroterapia’ no Brasil. Que começou com a Cofap, forçando a barra para se trocar seus amortecedores aos 40 mil km. Outras marcas gostaram, também dizendo: “troque amortecedores aos 40 mil”.

Depois, veio a história do catalisador, que deve durar 80 mil quilômetros – no mínimo. Mas para baratear o preço no mercado de reposição para carros usados, houve um consenso de se produzir catalisador projetado para o mínimo de 40 mil.

Claro que muitas oficinas gostaram e não quer nem saber se é catalisador para 80 mil ou para 40 mil. Entrou na oficina, “já passou dos 40 mil, vamos trocar o catalisador”.

E, finalmente, a marca inglesa Lucas decidiu limitar, ninguém sabe porque, a durabilidade dos seus cabos de velas em 40 mil quilômetros.

Profissional analisando quais peças devem ser trocadas nos carros usados
Fique atento na ‘empurroterapia’ dos 40 mil quilômetros! (Foto Shutterstock)
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário