Condições “severas”! Como assim?

Inúmeras condições podem ser consideradas severas. Por isso, atente-se para o momento certo de trocar o óleo do motor

Por Boris Feldman 09/06/21 às 21h30
Muitos motoristas leem o manual procurando as condições "severas". Mal sabem eles que várias condições são severas
Muitos motoristas leem o manual procurando as condições "severas". Mal sabem eles que várias condições são consideradas severas (Foto: Shutterstock)

O que são as tais condições severas que, segundo o manual, obrigam o motorista a trocar o óleo na metade da quilometragem, ou seja, 5.000 mil km ao em vez de 10.000 km? Quando se pergunta sobre isso, cada um responde uma coisa diferente. E se cada um responde uma coisa, é porque várias condições são consideradas severas.

Então as duas principais no dia a dia são, primeira: a do motorista que sai de manhã, roda poucos quilômetros, estaciona o carro. De noite roda alguns poucos quilômetros de volta para casa. O motor não tem tempo de se esquentar e atingir a temperatura ideal de funcionamento.

VEJA TAMBÉM:

A segunda: é o carro que praticamente só roda no trânsito urbano e envolvido em congestionamentos. Nesse caso, o carro só roda 5.000 km, mas o motor com ele parado é como se tivesse rodado os 10.000 km.

Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
5 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Marcello 9 de junho de 2021

Outras condições severas:
1) Utilização do veículo em locais poluídos (partículas de sujeira ou fuligem suspensas no ar), com poeira, maresia, areia ou ruas de terra;
2) Utilizar reboque ou carreta frequentemente;
3) Expor o veículo a condições de trânsito frequente, em que o motor permanece em marcha lenta ou com paradas frequentes;
4) Baixíssima utilização do veículo, menos de 10 km por dia;
5) Condições de uso que envolvam viagens com o veículo carregando muito peso;
6) situações em que o veículo fica frequentemente exposto a água (alagamentos, cruzamento de pequenos córregos etc.).

Avatar
Fernando B 10 de junho de 2021

Seu comentário foi melhor que a matéria publicada.

Avatar
Deivid 10 de junho de 2021

Realmente, matéria preguiçosa…

Avatar
Marcello 11 de junho de 2021

Gente, pega leve. O que vocês chamam de matéria, é a transcrição do texto das dicas que o Boris veicula em várias rádios no país inteiro. Esses textos têm que ser pequenos em tamanho para se encaixar no tempo disponibilizado pelas rádios, portanto não dá, em uma entrada só, para o Boris explicar todas as condições severas possíveis. Além do mais, olhem lá no começo do segundo parágrafo, que o Boris indica que vai comentar sobre duas, as principais, na opinião dele: “Então as duas principais no dia a dia são…”

Avatar
Polvo 10 de junho de 2021

É isso aí. Na matéria só fala da quilometragem, mas também é preciso considerar o tempo que rodou. Um carro que roda muito pouco, o óleo precisa ser trocado antes do tempo. Nesse ano pandemia, em pouco mais de uma ano rodei só 3 mil km e troquei o óleo, pois estava muito contaminado.

Avatar
Deixe um comentário