Faca no chicote elétrico e rombo de R$140 mil

Com o aumento da tecnologia no carros, causar danos no chicote elétrico pode render um prejuízo enorme ao dono do carro

Danificar o chicote elétrico pode custar caro
Danificar o chicote elétrico pode custar caro (Foto: Bentley)
Por Boris Feldman
11 de maio de 2022 21:32

Quanto mais moderno e sofisticado o automóvel, mais complicado e perigoso interferir nos componentes e nos sistemas instalados pela fábrica.

Então, agora com os carros repletos de eletrônica para todo lado, tem o tal do chicote elétrico, aquele conjunto de fios que leva corrente elétrica de um lado para o outro do carro.

E agora eu vou contar um “milagre mas omitir o santo”…

Eletricista de um grande frotista resolveu instalar, num carro elétrico da Renault, o sistema de rastreamento. Como o dispositivo precisa de corrente para funcionar, cortou um fio do chicote elétrico para a tal adaptação. O que pode ser perigoso em qualquer outro automóvel.

VEJA TAMBÉM:

Mas, neste carro, o resultado foi que, ao interromper este chicote, ele simplesmente danificou a bateria do Renault Elétrico. O prejuizo foi de “apenas” R$ 140 mil. Num carro que custa R$ 180 mil…

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
Boris Feldman

Jornalista e engenheiro com 50 anos de rodagem na imprensa automotiva. Comandou equipes de jornais, televisão e apresenta o programa AutoPapo em emissoras de rádio em todo o país.

Boris Feldman
20 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Jeison tc 19 de maio de 2022

Ou seja, se um “pobre” comprar um carro elétrico financiado em 120x tá na *erda…. vai ter que vender o carro pro ferro velho se nesse período a bateria vier a ficar viciada, pois se o carro custa 180mil e só a bateria é 140mil….

Avatar
Marcelo Melo 19 de maio de 2022

Amigo, baterias de carro elétrico não “viciam” as baterias antigas de NÍQUEL CÁDMIO viciavam sim as baterias de automóveis não são desse material…

Avatar
William 19 de maio de 2022

Sou mecânico de autos trabalho em um auto center bem grande e que tem uma infra estrutura enorme e oque a matéria diz faz sentido sim pois um dia desses chegou um Corsa clássic que a dona tinha tirado o alarme da pósitron porém o carro não queria funcionar mais nem ferrando depois de muitos e muitos testes descobri que um fio que tinha sido cortado veio ocasionar um curto circuito que ocasionou na queima do módulo e a dona teve que trocar o módulo e recodificar a chave em outro caso um Nissan versa estava com um dos fios do chicote esmagado e isso estava fazendo com que o carro parasse de funcionar do nada então fica a dica não sabe mexer não se aventurem pois o prejuízo pode sim ser muito grande. Obs e referente os carros elétricos e complicado mesmo pois só pra mecher nesses carros a luva de Auta tenção específica custa em torno de 3 mil reais agora imagina uma bateria 🔋

Avatar
André 18 de maio de 2022

Não precisa nem ser um renault… nem eletrico..pra quem duvida, estou com uma spin da Chevrolet… sim um carro aparentemente simples… mas que um eletrecista usou uma lâmpada de teste para verificar o chicote, porém mal sabia ele que o fio que ele estava testando era o da rede can… acabou danificado a rede can de alta … resultado foi um enorme prejuízo ao cliente foram necessários a troca de 3 módulos de controle para resolver o defeito… módulos de conforto, módulo BC, e modulo do ângulo da direção, e sem cortar um único fio… portanto não tentem testas ou tentar adaptar sistemas novos sem antes conhecer e dominar o sistema que envolve o veículo

Avatar
Jonny Q 17 de maio de 2022

He He os mecânicos antigos, k não se profissionakisou-se virou mindigo ou morreu de fome. Isso na época carburador X injeção eletrônica, a mesma coisa hj em dia.
Uma média oficina está a anos com um Mercedes Bens elétrico encostado por problema na bateria, o caro custa em torno de 160 mil (usado) a bateria 140 mil e tem k importar.
Uma grande empresa de SP recebeu um furgão elétrico pra reformar, e na hora H teve de parar tudo, demorou + de 2 meses entre pesquisas consulta com ex funcionário da fábrica e concecionaria para mexer no carro boa parte da fiação é alta voltagem, além de não poder soltar (desplugar) parte da fiação. Carro elétrico é novidade pra todo mundo e não é pra qualquer um, tanto donos quanto a mecânicos e eletricistas para mexer. Inclusive para recarregar a bateria não é só chegar em casa u plugar na tomada da sala.
Em outros países de 1° e meio complicado recarregar, imagine no nosso país de 5° MUNDO, inclusive vira e mexe estamos de bandeira vermelha pagando uma fortuna de imposto por incompetência de vários governantes federais, imagine ter Energia para abastecer carros e quanto isso custa.

Avatar
CARLOS ROBERTO DE 17 de maio de 2022

Nem o diabo que é o pai da mentira acreditou nisso. 🤦🏽‍♂️

Avatar
Paulo 17 de maio de 2022

Concordo também está meio exagerado essa matéria se for assim ninguém mais vai colocar rastreamento em seus veículos

Avatar
Carlos 17 de maio de 2022

O problema não é colocar o rastreio e sim quem irá colocar tem que ser muito competente e entender desta nova tecnologia, mecânicos de carburador tem que passar longe disto.

Avatar
Junior 17 de maio de 2022

É verdade,um fio cortado,, esmagado danifica sim todo o chicote,e traz consequências terríveis.
Eu já vi,precisar trocar o chicote de um Honda Accord pq o fio do plugue do farol foi danificado,por um descuido a roda passou por cima( estava sem farol)
Só custou 9 mil reais…

Avatar
Fernando Henrique Ribeiro dos Santos 17 de maio de 2022

Um frotista
Um fio
Um carro da Renault
Até a estória dos três porquinhos é mais bem ilustrada.

Avatar
Giancarlo Luggeri 17 de maio de 2022

Artigo horrivel e incompleto, mal feito, pouca informaçao, isso eh fofoca como varias outras no google, do mesmo estilo, pra postar uma coisa dessa tem que estudar mais e fazer uma materia mais completa.cortou um fio e o preju eh 140mil? Imagine se cortasse 3. Kkkk

Avatar
Marco Antonio 16 de maio de 2022

Nada a ver essa matéria. Eu acho que bele quis dizer 1400 ou no máximo 14000. Ta na hora de aposentar.

Avatar
Eu 16 de maio de 2022

No caso se bater o carro e por acaso na pequena batida e arrebentar este tal fio .Deu perda total ?Acho melhor apura isto pois devido a grande tec. Em barcada o sistema tem suas proteções.

Avatar
Israel 14 de maio de 2022

Durante 1 curso em 2002 no Senai o que representava uma linha de produção, que representava ser um carro e todo o chicote tínhamos que conectar plug-in corretamente com tempo cronometrado só que era muitos plug-in e cada um tinha conexão diferentes que ao final do tempo estipulado o professor apertava interruptor que logo em seguida acendia ou lâmpada verde ou vermelha. Diziam q somente 1 pessoa conseguiu realizar o teste 100%

Avatar
Jovi 14 de maio de 2022

O detalhe interessante aí é que certamente esse frotista deve ser uma grande locadora de carros, e depois os milhares de carros cujos chicotes foram cortados são vendidos como originais, íntegros, para dar problema na mão dos incautos.

Avatar
Polvo 12 de maio de 2022

Ou seja, um eletricista de autos tradicional não conseguirá fazer instalações de acessórios ou até mesmo reparar veículos elétricos, sem antes ser capacitado para tal. Agora o preço da bateria custar 140 mil é dose, hein?

Avatar
Giancarlo Luggeri 17 de maio de 2022

Primeiro que essa reportagem sem,pe nem cabema termina do nada, nao eh reportagem, e so uma unformaçao incompleta, e depois se o cara eh frotista deveria saber que nao se altera chicote original, o melhor eh se fazer uma instalaçao independente em paralelo para naobse alterar a tecnologia embarcada no carro.

Avatar
Tiago 12 de maio de 2022

Esse artigo é péssimo, e mais desinforma do que informa.

Avatar
Sincero 14 de maio de 2022

Concordo. Essa matéria mais parece uma fofoca, mas é assim mesmo, lê quem quer né…

Avatar
Laerte de Souza 16 de maio de 2022

História muito mal contada. Cortar um fio nunca vai estragar uma bateria. Repito… é impossível danificar uma bateria cortando qualquer fio que seja, isso não existe. Melhor ouvir um especialista de verdade e ignorar a bobagem que esse “eletrecista” disse.
Pior ainda é criar pânico entre os proprietários com uma bobagem dessas. Vocês deveriam apurar melhor a notícia antes de publicá-la.

Avatar
Deixe um comentário