Caloi Mobylette está de volta, mas agora é 100% elétrica

Inspirado no modelo do passado, retorno agora é como bicicleta elétrica e com preço sugerido de quase R$ 10 mil

caloi mobylette preta frente
Modelo é inspirado no sucesso do passado (Fotos: Caloi | Divulgação)
Por AutoPapo
17 de março de 2022 10:24

Por mais de duas décadas, dominando os anos 80 e até invadindo os 90, a Caloi Mobylette foi sonho de consumo de jovens de diversas idades. Agora, ela está de volta, com motorização 100% elétrica. A Mobylette está à venda apenas na loja virtual da marca com preço a partir de R$ 9.199. Depois, entre os dias 28 e 31 de março, bikeshops de todo o país começarão a vender a bicileta elétrica.

A Caloi Mobylette elétrica tem autonomia de até 30 km, segundo a marca. O modelo é equipado com um motor de cubo de 350W de potência que pode ser acionado tanto pelo movimento da pedalada, como pelo acelerador integrado ao display. A bateria fica embaixo do banco.

A velocidade máxima da bicileta elétrica está restrita a 25 km/h e autonomia de até 30 km com três níveis de pedal assistido: Eco, Mid e High.

VEJA TAMBÉM:

Inspiração na mobilete do passado

Para desenvolver a nova Mobylette, a Caloi mesclou no produto algumas releituras do quadro do passado, como a parte frontal, com as novas necessidades do consumidor. Toda a geometria da bicicleta elétrica foi pensada à antropometria do ciclista brasileiro para uma pilotagem vertical que fosse versátil e facilitasse a obtenção de uma velocidade eficiente, ideal para encarar trechos urbanos curtos, do dia-a-dia, assim como passeios mais longos.

O modelo tem ainda tubo rebaixado, assim como na primeira Mobylette, fator que facilita ao ciclista subir na bike, permitindo assim uma melhor pedalada. Os pneus de quatro polegadas são outros atrativos que proporcionam maior estabilidade e conforto.

Para reviver esse clássico, o logo da linha Caloi Mobylette foi redesenhado. A bicleta elétrica do passado serviu de inspiração, mas foi aplicado um traço de contemporaneidade. A aplicação da marca, colocada na lateral, tem acabamento cromado em relevo resinado.

Caloi Mobylette: vermelho inconfundível

As cores do modelo remetem ao clássico Caloi, desde a lateral sóbria até os detalhes com o vermelho inconfundível da marca, destacando, por exemplo, o bagageiro, que tem capacidade para 5 kg.

“Trabalhar no projeto Mobyllete foi como um retorno ao passado, onde buscamos não só resgatar a experiência de mobilidade exercida pela Mobyllete nos anos 70, mas também trazer de volta características únicas que só um produto com mais de 50 anos pode ter. Todo o projeto buscou remeter a clássica Mobylette dos anos 70 mas sempre de forma modernizada, afinal não estamos falando de uma réplica ou releitura de um clássico, mas sim de um novo caminho para a mobilidade”, explica Marcos Ribeiro, head de produto da Caloi.

Carro elétrico: futuro ou passado? Boris Feldman explica:

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
7 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
jose henrique 29 de março de 2022

dar 10 mil numa bicicleta eletrica.So doido mesmo.kkk

Avatar
Recruta Zero 18 de março de 2022

O jeito vai ser andar de bicicleta elétrica, porque daqui uns tempos ninguém vai conseguir mais manter carro , aí o oportunista do governo vai vir querer cobrar impostos em cima das bicicleta.

Avatar
Dorotea Klemz Cnossen 18 de março de 2022

Essas bicicletas são indicadas pra estrada de terra?? No interior?? Ou só pra cidade?

Avatar
Alexandre Zamariolli 17 de março de 2022

A Mobylette aportou aqui em 1975, com o motor francês Motobecane AV7, de 2 cv. Em 1979, recebeu o AV10, de 3 cv (nacionalizado em 1983), que manteve até o final da produção.
Os 350 W dessa “nova” Mobylette correspondem a aproximadamente 0,48 cv.
Nunca será.

Avatar
Motorx 17 de março de 2022

Será que vendem só o Banco, pois é a única coisa que Lembra a Mobilete !!!

Avatar
Robson 17 de março de 2022

esgotou em segundos, postaram essa matéria muito tarde

Avatar
Eduardo Teixeira Kull 17 de março de 2022

Legal!

Avatar
Deixe um comentário