Carros 1.0 foram um mau negócio em 2021: só o Fiat Argo esteve acima da média

Enquanto o mercado nacional de carros seminovos registrou média de 23,5% de valorização, os chamados 'populares' anotaram índices abaixo desse percentual

fiat argo drive 2021 prata visto de frente
Modelo da Fiat teve valorização de 26,96% (Foto: Fiat | Divulgação)
Por AutoPapo
18 de março de 2022 11:40

Start-up do segmento automotivo que mais cresceu em 2021 e um dos três maiores marketplaces de carros usados do país, a Mobiauto realizou um levantamento em sua base de dados, apoiados em milhares de anúncios no decorrer do ano, para verificar o comportamento de preços dos carros 1.0 do país. E o resultado é claro: os populares foram um mau negócio.

Diferentemente de picapes, SUVs e até importados premium, que foram analisados recentemente e exibiram performances invejáveis nas altas de cotações, os carros 1.0 não acompanharam a evolução de preços dos demais segmentos.

VEJA TAMBÉM:

O levantamento foi feito com carros 1.0 cotados em janeiro e dezembro de 2021, extraindo-se a variação de preços, sempre com veículos “modelo 2021”, isto é, seminovos. Na média geral, as 20 versões apuradas tiveram valorização de 14,05% de acordo com a pesquisa da Mobiauto, bem abaixo, portanto, dos 23,5% registrados pelo mercado total.

Motivos

“Há vários motivos para determinar essa má performance. Um deles é o natural desinteresse do consumidor por carros populares, visto que o segmento representa cerca de 20% das vendas de modelos zero km atualmente, ou a metade dos SUVs, por exemplo”, destaca o consultor automotivo e CEO da Mobiauto, Sant Clair Castro Jr. Ele prossegue: “O segmento incorpora hoje modelos muito sofisticados, com motores de 1 litro turboalimentados, como o VW Polo. Esse fenômeno os aproxima da mesma faixa de preços dos SUVs. E é uma covardia disputar vendas com esses utilitários”.

Alguns dos modelos 2021 mais modernos desse segmento, de fato, possuem cotações na faixa de R$ 65 mil a R$ 75 mil, como Hyundai HB20 e HB20S, Chevrolet Onix e Onix Plus, além do Fiat Argo. E este último foi a exceção que confirmou a regra: com 26,96% de valorização no decorrer de 2021, foi o único modelo 1.0 do país a se posicionar acima da média de mercado. “Fizemos uma pesquisa recente nos mesmos moldes com as picapinhas: a valorização média foi de mais de 34%”, lembra Castro Jr.

Veja a lista:

Modelo Média Jan/21 Média Dez/21 Variação
Fiat Argo R$ 53.445 R$ 67.853 26,96 %
Fiat Mobi R$ 43.669,50 R$ 53.198,87 23,39 %
Hyundai HB20 R$ 55.745,33 R$ 66.238,08 18,82 %
VW Polo R$ 62.350 R$ 70.062,89 13,24%
Chevrolet Onix R$ 65.217,50 R$ 73.797,57 13,16 %
Renault Kwid R$ 44.485 R$ 50.233,40 12,92 %
Hyundai HB20S R$ 62.900 R$ 69.014,30 9,72 %
Renault Sandero R$ 52.472,50 R$ 57.295,49 9,19 %
Ford Ka R$ 53.615,45 R$ 57.813,95 7,83 %
VW Gol R$ 53.105 R$ 55.838,62 5,15 %
Chevrolet Onix Plus R$ 71.990 R$ 72.012,86 0,03%

Com a crise de fornecimento de semicondutores em 2021, que restringiu a produção de modelos mais baratos – as montadoras usavam as poucas peças que chegavam às linhas de montagem para produzir veículos de maior valor agregado –, a tendência era de alta desses carros 1.0.

“Como a produção foi restrita, nada mais natural do que a alta nas cotações dos seminovos. Mas nem assim isso ocorreu. Entendo que é desinteresse puro do consumidor”, explica o executivo.

Carros 1.0 estão caros? Vai piorar! Boris Feldman explica:

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Andre Rocha 18 de março de 2022

No MEU ponto de vista o problema da “decadência” dos 1.0 é outro: potência x consumo x conforto
Atualmente pela empresa que trabalho um Ford Ka 2018 1.0 (3 cilindros, 80cv (A)/75cv(G)). O Ford Ka, com todas as manutenções em dia, e eu andando SOZINHO e com ar condicionado ligado, obtenho uma média de 13km/L. Atualmente tenho um Fiesta 1.6 (128cv(A)/125cv(G)) e andando também com ar condicionado ligado e carro cheio obtenho o mesmo consumo do Ford Ka, sendo que o Fiesta é muito mais carro que o Ka!

Avatar
Deixe um comentário