Conflitos na Ucrânia podem intensificar escassez mundial de chips semicondutores

Especialistas alertam para possível segunda onda de escassez de chips semincondutores, em momento que as fabricantes mal superaram a primeira

Setor automotivo pode enfrentar uma nova escassez mundial de chips semicondutores
Setor automotivo pode enfrentar uma nova escassez mundial de chips semicondutores (Foto: Shutterstock)
Por Bernardo Castro
08 de março de 2022 15:04

A invasão da Rússia na Ucrânia tem impactado negativamente o setor automotivo de diferentes formas: alta no barril do petróleo, fabricantes anunciando a suspensão das atividades em sua fábricas, e agora uma possível “segunda fase” da crise dos chips semicondutores.

A primeira escassez, acentuada pela pandemia do novo coronavírus, nem chegou ao fim e especialistas prevêem que a guerra no leste europeu resulte em uma nova falta dos componentes necessários para a eletrônica dos veículos.

Isso porque a Ucrânia é responsável por aproximadamente 70% da produção mundial de néon, gás necessário para a fabricação dos chips semicondutores. As fabricantes de chips dos EUA, por exemplo, dependem quase inteiramente do gás laser da Ucrânia e da Rússia.

VEJA TAMBÉM:

Segundo Carla Bailo, CEO do Centro de Pesquisa Automotiva, “é claro que as pessoas procurarão fontes alternativas de néon o mais rápido possível – mas isso não é algo que pode ser facilmente substituído. Eventualmente, se os semicondutores não vierem, estaremos de volta ao ponto em que estávamos no ano passado.”

Contudo, de acordo com especialistas, o impacto não será sentido de forma imediata. Afinal, as fabricantes de chips semicondutores se prepararam para eventuais imprevistos e acumularam meses de estoque de néon. No entanto, à medida que a guerra se estende, a nova crise fica cada vez mais próxima de se tornar realidade.

E mesmo com o fim da guerra, o cenário também não se torna dos mais favoráveis. Pois o néon da Ucrânia é produzido como um subproduto de fabricação de aço de origem russa.

Escassez pode não ser apenas nos chips semicondutores

A Rússia ainda é um grande produtor de paládio, um importante componente presente nos catalisadores, e atende um terço da demanda global com sua produção.

Além das paralizações em fábricas, a guerra resultou na diminuição do fornecimento de chicotes elétricos – que também tiveram sua produção interrompida. Estudiosos prevêem que o conflito pode afetar toda a Europa Oriental, e toda a produção automotiva esteja em risco num futuro próximo.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário