Escassez de arla 32 ameaça o setor de transporte

A ureia é um componente usado como fertilizante e também na produção do arla 32, sem esse líquido os caminhões modernos não funcionam

bocal de abastecimento de veiculo diesel com injecao de arla 32 sutterstock
A ureia é o componente principal do Arla 32 (Foto: Shutterstock)
Por Eduardo Rodrigues
13 de dezembro de 2021 11:31

A situação dos fabricante automotivos está cada vez mais complicada: normas de emissões cada vez mais exigentes aceleram o processo de eletrificação dos veículos, mas a crise dos semicondutores afetou justamente as novas tecnologias que os carros estão adotando. Agora uma escassez de ureia ameaça os veículos leves e pesados com motor à diesel.

Essa falta de ureia está afetando o setor do transporte e fazendeiros. O elemento é usado na produção de fertilizantes e do líquido Arla 32 (também conhecido como AdBlue), usado no controle de emissões de motores diesel modernos.

VEJA TAMBÉM:

A ureia usada nessas aplicações não é a que vem do fígado das pessoas, ela é um subproduto da produção industrial de amônia. Ela é produzida com carvão ou gás natural, tendo a China e a Rússia como principais produtores.

Como está ocorrendo a crise da ureia

shutterstock caminhao mack australiano roadtrain sujo
A Austrália depende do transporte rodoviário, mas sem o Arla 32 os caminhões não rodam (Foto: Sutterstock)

A República Popular da China optou por barrar a exportação desse produto e priorizar o uso interno dele, favorecendo seus fazendeiros e garantindo a produção de alimentos para o país. Caminhoneiros da Coréia do Sul, que é dependente da ureia chinesa, estão tendo que recusar viagens longas por não terem como abastecer o tanque de Arla 32 de seus caminhões.

A Austrália também depende da China, cerca de 80% de sua ureia vem de lá, e está começando a passar por dificuldades. Maior parte do transporte feito no país é através de caminhões. Segundo o jornal The Guardian, toda a cadeia produtiva do país está em risco e podem faltar produtos nas prateleiras dos supermercados.

A Coréia conseguiu negociar um acordo de fornecimento com a China, mas os australianos ainda não conseguiram algum tipo de acordo.

O Brasil não está sendo afetado

Por ora, a situação continua normal no Brasil. Nosso país produz ureia localmente e importa parte do Irã e do Catar. Porém o volume de importação desse produto está aumentado, devido a alta demanda do agronegócio.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Andre Rocha 13 de dezembro de 2021

Se tivéssemos investido em malha ferroviária ao invés de rodoviária, o custo de transporte seria infinitamente menor, além de poder transportar uma quantidade muito maior. Por enquanto, conforme a reportagem, não nos afeta, mas breve veremos nosso país passar algo que nem a Austrália

Avatar
Deixe um comentário