Financiamentos e empréstimos de caminhoneiros podem ser suspensos

Projeto de Lei que tramita na Câmara dos Deputados quer adiar o pagamento de parcelas enquanto durar a pandemia do novo coronavírus

Por AutoPapo28/05/20 às 13h00
Com Agência Câmara

O Projeto de Lei 2722/20 quer suspender pelo prazo de 90 dias, prorrogável por igual período, as parcelas dos financiamentos e empréstimos de caminhoneiros ligados à compra de seus veículos e de insumos para a manutenção e conservação do caminhão. Para isso, o caminhão terá que estar registrado na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O texto em análise na Câmara também suspende, pelo mesmo prazo, as parcelas de qualquer empréstimo bancário realizado pelo chamado transportador autônomo de cargas. Conforme a proposta, as parcelas serão acrescidas ao final do contrato.

LEIA MAIS

Caminhão vermelho com dois reboques em rodovia brasileira
Parlamentares pediram urgência para votação da matéria

“Em que pese que o trabalho efetuado pelos caminhoneiros seja considerado essencial, sendo uma das categorias excetuadas da política de isolamento, é necessário manter condições mínimas de trabalho para o transportador autônomo, e, assim, assegurar o abastecimento de alimentos, insumos médicos e hospitalares, além de outros produtos essenciais à vida e à sanidade das pessoas”, argumenta o deputado Nereu Crispim (PSL-RS), autor da proposta.

Foi apresentado pedido de urgência para a votação da matéria pelos líderes do PSL, Joice Hasselmann (SP); do PCdoB, Perpétua Almeida (AC); e do bloco PL, PP, PSD, MDB, DEM, Solidariedade, PTB, Pros e Avante, Arthur Lira (PP-AL), além da deputada Érika Kokay (PT-DF).

Para acompanhar a tramitação do PL que quer suspender o pagamento de financiamentos e empréstimos de caminhoneiros, acesse a página da matéria no site da Câmara.

0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário