Projeto determina registro do chassi de ciclomotores em banco de dados

A proposta de ter um número de chassi em ciclomotores para registrá-los no RENAVAM é para facilitar o trabalho da fiscalização nas cidades

ciclomotor shineray phoenix 50 preto
Ciclomotores são motos de até 50 cm³ (Foto: Shineray | Divulgação)
Por AutoPapo
08 de fevereiro de 2022 14:01
Com Agência Câmara de Notícias

O Projeto de Lei 3552/21 exige que fabricantes de ciclomotores e motonetas de baixa cilindrada registrem o número do chassi na Base de Índice Nacional (BIN), que integra o sistema do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam).

O texto em análise na Câmara dos Deputados insere o dispositivo no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Atualmente, o registro é dispensado para veículos de duas ou três rodas com cilindrada inferior a 50 centímetros cúbicos.

VEJA TAMBÉM:

“Se não há registro do número do chassi na BIN, o veículo não figura no Renavam e não pode ser objeto de registro e licenciamento”, afirmou o autor da proposta, deputado Carlos Bezerra (MDB-MT). “Isso impede órgãos de trânsito de exercer controle mais rigoroso sobre a circulação de ciclomotores”, disse o parlamentar.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
0 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário