Órgão do governo considera sistemas da Tesla enganosos

Os alvos são os sistemas de direção semiautônoma da Tesla, chamados de Autopilot e Full Self-Driving, por possuírem nomes e publicidades enganosas

tesla model s p90d vermelho frente parado em estudio
Os sistemas de direção semiautônoma da Tesla prometem funções que não poderão cumprir (Foto: Tesla | Divulgação)
Por Eduardo Rodrigues
21 de setembro de 2021 16:18

Todo carro da Tesla vem hoje com o AutoPilot, um avançado sistema de cruise control adaptativo com assistente para manter na faixa de rolagem. Pagando mais US$ 10 mil (cerca de R$ 52.842) o consumidor pode acrescentar o sistema Full Self-Driving (FSD). Esse sistema promete dar direção 100% autônoma ao carro no futuro.

O plano de Elon Musk é que os consumidores sirvam de cobaia de teste para esse sistema. Os usuários precisam concordar que o fabricante colete dados para aprimorar esse sistema. Mas a Tesla quer fazer isso possível apenas utilizando câmeras, por serem mais baratas que radares de laser (Lidar).

VEJA TAMBÉM:

Segundo especialistas em automação, o FSD da Tesla é apenas um sistema semiautônomo de nível 2 na cartilha da SAE. Ou seja, ele permite que o motorista tire as mãos do volante, mas tem que prestar atenção constantemente.

O parecer dos órgãos regulatórios

tesla model 3 azul frente em movimento
Segundo cartilha da SAE, os sistemas da Tesla necessitam de atenção constante do motorista (Foto: Tesla | Divulgação)

A Tesla quer lançar o Full Self-Driving como equipamento efetivo, atualmente ele está em fase beta, A nova gestão do Conselho Nacional de Segurança no Trânsito dos EUA (NTSB), liderada por Jennifer Homendy, quer barrar isso.

Homendy disse em entrevista ao Wall Street Journal que o FSD é enganoso e irresponsável. Para a administradora o sistema não pode ser usado nas ruas sem antes ter deficientes apontadas pelo NTSB sanadas. O próprio nome “Full Self-Driving,” “direção completamente autônoma” em português, induz ao erro.

Ele claramente induziu inúmeras pessoas a fazerem uso indevido e abusarem da tecnologia.

Jennifer Homendy diz também que não será necessário criar politicas exclusivas para limitar ou banir a tecnologia da Tesla. Mas isso demonstra que a nova gestão do NTSB será mais exigente que a anterior. No dia 17 o órgão soltou um relatório da investigação de um acidente fatal ocorrido em 2018 envolvendo um Tesla utilizando sistema semi-autônomo.

Tesla já teve problemas na Alemanha

Um tribunal regional em Munique, na Alemanha, proibiu a Tesla de usar os nomes “Autopilot” e “Full Self-Drivin” no país. Segundo a corte esses nomes são errôneos e vão contra as legislações do país.

A Alemanha é um país bastante exigente com regulamentações. Algumas funções já disponíveis e promessas desse sistema da Tesla são até considerados ilegais no país. Veículos autônomos ainda não são permitidos no país, portanto mesmo se o Autopilot seria ilegal mesmo se cumprisse o que promete.

O Boris comenta de algumas trapalhadas desses sistemas da Tesla que prometem autonomia:

1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
IVAN VASCONCELLOS 21 de setembro de 2021

Êita! Será que estão percebendo que o Rei tá nu.
Essa conversa de carro autônomo é mais um sonho vendido pelo Sr. Musk pra continuar a embolsar a grana dos milionários metidos a pavões, só querendo mesmo é aparecer. Ora, se até os trens que andam sobre trilhos em percursos preestabelecidos não conseguem ser autônomos, como é que vão querer me convencer que os carros podem?!
E tem mais, só teremos carros autônomos seguros quando tirarmos os humanos das estradas e ruas, os autômatos não conseguirão jamais lidar com os erros e defeitos humanos.

Avatar
Deixe um comentário