É oficial: último ano dos carros a combustão na Europa será 2035

A partir de então, só veículos novos completamente elétricos poderão ser vendidos nos países da União Europeia

fumaca carros a combustão
Escapamento e fumaça devem sumir das ruas da Europa nas próximas décadas (Foto: Shutterstock)
Por AutoPapo
14 de julho de 2021 17:03

O fim está próximo: a Comissão Europeia, entidade executiva que representa os interesses socioeconômicos da União de 27 países do Velho Continente, apresentou nesta quarta-feira (14) as diretrizes para tornar o transporte mais sustentável. E o plano prevê que, a partir de 2035, todos os carros novos vendidos nos países do bloco tenham propulsão elétrica, selando a extinção do motor a combustão.

VEJA TAMBÉM:

Vale destacar que o objetivo da Comissão Europeia é que, a partir de 2035, os veículos não emitam qualquer tipo de gás poluente. Isso significa que carros híbridos, que unem o motor a combustão à propulsão elétrica, também serão banidos. Só veículos totalmente elétricos, com baterias ou movidos por célula de hidrogênio, serão vendidos no continente.

E o plano não para por aí. Até 2030, os fabricantes terão que reduzir as emissões dos veículos leves em 55%. Para modelos pesados e comerciais, a determinação é reduzir a poluição em 50%. Nem os aviões escaparam das novas diretrizes ambientais: o setor perderá isenções tributárias relativas a combustíveis, a menos que passe a utilizar similares renováveis.

Carros a combustão respondem por 15% das emissões

Com esse plano, a União Europeia pretende tomar uma medida decisiva para descarbonizar a própria economia e evitar mais mudanças climáticas. Segundo a comissão, cerca de 15% das emissões de CO2 dos países do bloco provêm dos automóveis.

O plano, porém, ainda não começou a valer: precisa passar pelo parlamento europeu para entrar em vigor. Por enquanto, o texto ainda trata de intenções. Mas a maioria dos países do bloco está bastante comprometida com a causa ambiental. Ao que parece, os carros com motor a combustão realmente devem ter menos de duas décadas de sobrevida antes da chegada do tsunami elétrico por lá.

9 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Paulo 6 de agosto de 2021

Acho que fazem muita expectativa sobre a eletrificação, como isto fosse reduzir a destruição do meio-ambiente.

Avatar
Fabio Silva 21 de julho de 2021

Destruição em massa dos empregos

Avatar
Eu 19 de julho de 2021

Mais uma parvoíce á moda da Europa… Não é que não devamos todos reduzir emissões, DEVEMOS, mas nós Europeus estarmos a pagar a fatura da redução enquanto a china constrói novas centrais a carvão… Desculpem lá mas não nos tomem por idiotas. A China é quem polui mais, a china que reduza primeiro e que perca postos de trabalho a PIB a fazê-lo, depois, ou até ao mesmo tempo, tudo bem, vamos nós (os que poluem menos). Agora nós estarmos com esta obsessão do clima enquanto os outros se aproveitam e nos ganham ainda mais terreno… NÂO!!!

Ainda para mais a única maneir, efectiva, de reduzir a poluição é reduzir a população, isso significa que os países mais populosos devem ter menos filhos e os que estão a estabalizar ou até reduzir a sua população (Europa / USA) não devem admitir o excesso de pop. dos outros, mas apostar na robótica para substituir os que vão sendo demasiado velhos para trabalhar.

Europa: Deixem-se de idiotíces e vamos ser mais espertos, racionais e, se necessário, implacáveis na defesa da nossa cultura e economia.

Avatar
Mister Gasosa 14 de julho de 2021

Eu acho que produzo mais dióxido de carbono do que meu Onix ano 2019, pois eu uso este carro em média 5,5 horas por mês, já eu respiro durante 24 horas por dia.
Assim quanto dióxido de carbono nós seres humanos produzimos por mês?

Avatar
charles edu lampert lampert 14 de julho de 2021

Dióxido de carbono ( CO2 ) não é o problema…. o problema é o monóxido de carbono ( CO )…química básica.!!!!

Avatar
Mister Gasosa 15 de julho de 2021

Charles,
Exatamente! Mas ocorre que o jornalista que escreveu esta matéria não sabe disso e disse que o CO2 que é o problema das emissões. Não teve coragem nem de assinar a matéria.

Avatar
IVAN VASCONCELLOS 14 de julho de 2021

Deixem de sensacionalismo barato pra vender click’s, por favor.

1. Recomendaram que a partir de 2035 não sejam mais FABRICADOS carros a combustão, ninguém disse e nem seria LOUCO de dizer, que todos na Europa terão que sucatear seus carros à combustão, ou híbridos, e substitui-los por elétricos.

2. Daqui até lá serão 14 anos e nesse período muita coisa pode acontecer.

Não sou contra carros elétricos, apenas acho que a imprensa especializada tem exagerado na propaganda de algo que só vai se tornar realidade em, no mínimo trinta anos aqui no Brasil, e no mundo só deus sabe.

Avatar
Rodolfo 14 de julho de 2021

O PL 5332/20 do Senado do Brasil pretende proibir a circulação de carros a combustão já em 2040. Acho que esse PL vai ser engavetado, pois imagine tirar todos automóveis movidos a diesel, gasolina ou a álcool do Brasil, então teria que ter uma solução de transporte público de qualidade para a população, como: trens, metrô e ônibus. E isso demanda muito dinheiro.
Sabemos que nos dias de hoje a malha ferroviária brasileira devia ser muito maior para transporte de passageiros e que os ônibus estão lotados como uma lata de sardinha aqui em São Paulo, SP. Teria que até 2040 ser investido pesado na construção de novas usinas de geração de energia elétrica, mas não vale substituir carros a gasolina e a álcool por usinas termoelétricas e poluir as cidades que geram energia elétrica para as metrópoles.
Por fim, as baterias dos carros elétricos um dia vão arriar e o que será feito com todas elas e as sucatas das carcaças dos carros elétricos? Pois quando a bateria de um carro elétrico arreia fica inviável trocá-las por um jogo novo. Eu não acho isso nada favorável para o meio ambiente, pois para reciclar um carro se gasta energia e para fabricar um novo se gasta energia.
Na família tivemos um Gol 1,8-L ano 1990 por uns 23 anos e o vendi com 29 anos de uso e 242.000 km rodados e funcionando muito bem. Será que veremos acontecer isso com carros elétricos? Tem gente que acredita que com o aumento da produção de carros elétricos o preço deles vai cair, mas não acredito nisso. Me diz quando o preço dos carros aqui no Brasil caiu o preço a longo prazo? Se fosse assim carro a gasolina hoje seria muito barato, pois vende muito.

Avatar
Teles 14 de julho de 2021

Acabou o prazer de dirigir depois de 2035 na Europa…

Avatar
Deixe um comentário