Honda CB 650R e CBR 650R: mesma moto, propostas diferentes

Equipadas com o mesmo e atualizado conjunto mecânico, os modelos CBR 650R e CB 650R diferem nas propostas e estilos, entre esportivo e naked moderno

Por Teo Mascarenhas 11/08/20 às 12h10
linha honda cb 650
Honda CB 650R e CBR650R (Foto: Caio Mattos | Honda |Divulgação)

A sigla CB que batiza a badalada linha de motocicletas Honda, nasceu há seis décadas, com o modelo CB 92 Benly Super Sport, equipada com motor 250 cm³, inspirada na alemã NSU.

Porém, 10 anos depois, durante o Salão de Tóquio de 1968, a Honda assombrava o mundo lançando a CB 750 Four, com motor de quatro cilindros em linha de 68 cv e freio a disco dianteiro, introduzindo e revolucionando o conceito de super bikes. Desta vez, a moto foi uma criação da própria engenharia e fez tanto sucesso no mundo (incluindo o Brasil, com o apelido de Sete Galo), que foi eleita a moto do século tempos depois.

VEJA TAMBÉM:

De lá para cá, a sigla CB ganhou permanentemente os holofotes, ficando associada às motos equipadas com motorização de quatro cilindros em linha, embora, a gama de modelos tenha se diversificado para outras arquiteturas, como as CB 500 (F e X), com motor de dois cilindros.

A própria sigla CB, que pode ser traduzida por Citzen Band (faixa do cidadão em tradução livre), sugere motos versáteis, para uso diário. No Brasil, por exemplo, o modelo CB 600F Hornet com quatro cilindros em linha, foi a mais vendida no mundo, entre todos os países onde era comercializada.

Lacuna da CB 600F Hornet

Entretanto, quando a naked esportiva Hornet foi “substituída” pela CB 650F em 2013, que, mesmo com o motor saltando para 650 cm³, teve a potência reduzida (em função das novas normas de emissões) e uma proposta mais amigável e econômica de utilização (com quadro em tubos de aço em vez de alumínio), deixou uma legião de viúvos.

Desta forma, para tentar suprir a lacuna, a linha CB 650, além da versão naked CB 650 F, ganhou a versão carenada e esportiva CBR 650F. Os dois modelos, porém, dividiam o conjunto mecânico (motor, rodas, quadro, freios e painel), mudando somente a ergonomia de pilotagem e o visual, em uma prática cada vez mais comum para reduzir custos de desenvolvimento e produção, formando famílias de motos.

Seguindo este mesmo conceito de família, a nova geração das naked CB 650R e a esportiva CBR 650R, que trocam o F pelo R do batismo anterior, chegam agora ao mercado com preços sugeridos de R$ 39.416 e R$ 41.080 respectivamente.

linha Honda CB 650R
Honda CB 650R e CBR 650R: mesmo motor de 650 cm³

Os planos de lançar as motos no início deste ano, logo após exibir os modelos no Salão das Duas Rodas em fins de 2019, tiveram que ser adiados em quase um semestre, em função dos efeitos da pandemia.

Os modelos utilizam exatamente o mesmo motor de quatro cilindros em linha, quadro, suspensões, painel, tanque, escapamento, rodas, pneus e freios, além de substituírem os modelos antecedentes, com o sufixo F (CB 650F e CBR 650F), pelo sufixo R (Race), que significa mais esportividade.

Entretanto, se o conjunto mecânico é praticamente todo compartilhado, os visuais são inteiramente distintos, assim como as propostas de utilização. A CB 650R tem o conceito Neo Sports Café, ou café racer moderna (adotado inicialmente na CB 1000R, já comercializada aqui) e vocação mais urbana

A CBR 650R, tem conjunto de faróis e carenagens inspiradas na superesportiva CBR 1000RR Fireblade (também comercializada aqui), guidão e posição de pilotagem mais inclinada para frente, proporcionando uma pegada ainda mais esportiva.

Com 649 cm³ e 16 válvulas, o motor de quatro cilindros em linha tem uma inclinação de 30° à frente, o que permite a instalação do motor de arranque atrás da bancada, compactando as dimensões. A potência atinge 88,4 cv a 11.500 rpm e o torque 6,13 kgfm a 8.000 rpm.

Mudanças na caixa do filtro de ar, desenho dos pistões, da câmara de combustão e do comando de válvulas, aumentaram a entrega de potência e torque em médios giros, aumentando o fôlego nas retomadas. Além disso, a embreagem passa a ser assistida e deslizante, acoplada ao câmbio de seis marchas.

Evolução na CB 650

A eletrônica também dispõe do controle de tração, que pode ser desativado. O quadro, igualmente comum aos dois modelos, é em tubos de aço do tipo diamond (com o motor fazendo parte da estrutura), com redução de 1,9 kg de peso em relação ao dos modelos F antecessores, através de modernizações nas fixações.

Motor da Honda CB 650R
Motor de quatro cilindros tem 8,4 cv a 11.500 rpm e o torque 6,13 kgfm a 8.000 rpm

A suspensão dianteira da CB 650R tem sistema invertido Showa, com 120 mm de curso, 41 mm de diâmetro e funções separadas. Uma bengala tem papel de amortecedor e a outra de mola. A suspensão traseira é mono, com 120 mm de curso e sete regulagens na pré-carga.

Os freios da CB 650R tem sistema ABS e duplo disco de 310 mm na dianteira com pinças radiais de quatro pistões e disco simples de 240 mm na traseira. As rodas são em liga leve com aros de 17 polegadas e o tanque comporta 15,4 litros.

O painel tem bloco retangular com tela LCD digital com fundo black out que minimiza reflexos, indicador de marcha e shift light. O estilo café racer CB 650R, tem toque moderno com iluminação em LED e adoção de farol redondo com aro circular de luz de posição diurna, além de rabeta mais curta para reforçar o visual compactado.

As posições de pilotagem igualmente mudaram em relação às antecessoras F.  Na CB 650R o guidão foi adiantado em 13 mm e rebaixado em 8 mm. As pedaleiras foram recuadas em 3 mm e elevadas em 6 mm, deixando a posição mais esportiva.

Na CBR 650R, equipada com carenagem integral e duplo farol afilado em LED, os semi-guidões, foram avançados em 30 mm. Ambas contam com sistema que reconhece frenagens de emergência e acionam automaticamente o pisca alerta.

Fotos: Caio Mattos | Honda | Divulgação

Teo Mascarenhas

Especialista na cobertura do mercado de motocicletas e competições com mais de 30 anos de experiência.

Teo Mascarenhas
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Mauricio Carlos Queiroz 13 de agosto de 2020

    Boa tarde, Equipe Auto Papo. gostaria de saber de vocês o porque que a montadora HONDA MOTOS do BRASIL, não lança em nosso mercado ás motos custon de preço mais baixo, para competir com às lendárias Harley Devidson. Pois na Europa a Familia Honda REBEL, tem até na versão de 250cc. Tenho certeza que tal produto agradaria em muito os consumidores brasileiros deste segmento motobilistico.

    Desdes já grato pela prestimosa atenção.
    Att.
    Mauricio Carlos Queiroz

  • Avatar
    Roberto 11 de agosto de 2020

    Linda a cbr 650 preta fosco
    Aqui nos Estados Unidos têm a cor preta fosco.95CV MAIS FORTE Muito linda PARABENS A HONDA !!!

Avatar
Deixe um comentário