Quanto custa uma moto elétrica na sua conta de luz?

Um motociclista que roda 3.600 km por mês gastará pouco mais de R$42,00 mensais utilizando uma moto elétrica Voltz

Voltz moto elétrica quanto custa
A moto elétrica Voltz com custo inferior a R$50,00 mensais de combustível (Foto: Voltz | Divulgação)
Por Lucas Silvério
05 de junho de 2022 12:03

Os veículos elétricos vêm prometendo um menor custo financeiro para os motoristas. Para evitar gastar muito dinheiro em postos de abastecimento, principalmente nesses tempos de alta dos combustíveis, os pilotos podem optar pelas motos elétricas, que dizem ser bem mais econômicas que as movidas a gasolina ou etanol. Estas opções movidos a energia elétrica e podem ser recarregados nas tomadas residenciais também geram custos, mas na conta de luz.

As motos movidas a energia elétrica geram custos na fatura de energia do local em que são recarregadas. Elas impactam o bolso do motociclista, assim como outros combustíveis. Mas afinal, quanto custa “abastecer” uma moto elétrica?

VEJA TAMBÉM:

Para saber quanto custa abastecer uma moto elétrica, e se é mais viável que uma movida a gasolina ou etanol, é necessário saber quantos Quilowatt-hora (kWh) de capacidade tem sua bateria. Também deve-se ter conhecimento do valor do kWh tarifado pela companhia que fornece a energia para o imóvel.

Quanto custa o kWh?

O valor do kWh é a base do preço da conta de luz. A grosso modo, a mensalidade cobrada pela companhia de energia é composta pelo valor dos kWh gastos na propriedade, além de outras cobranças como por exemplo a taxa de iluminação pública. Os preços ainda podem variar de acordo com as tarifas das bandeiras que indicam a intensidade do consumo de cada casa. As bandeiras verdes, exemplificando, indicam um consumo moderado, já as vermelhas apontam um gasto elevado de energia.

O custo do kWh varia para cada região e companhia de distribuição de energia do país. Segundo o Ranking da Tarifa Residencial – R$/kWh, divulgado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a tarifa convencional de energia com valor mais barato do kWh é de R$ 0,403 (SC) e o valor mais alto é de R$ 1,313 (RJ).

Como calcular a minha conta?

O valor do kWh pode ser calculado facilmente, basta multiplicar o valor da tarifa do kWh pela quantidade de kWh gastos no mês.

Por exemplo, em São Paulo a tarifa convencional gerada pela AES Eletropaulo é de R$ 0,594 por kWh. Em uma casa que a conta tenha gasto 100 kWh o valor da conta será de R$ 59,40, desconsiderando os impostos e bandeiras.

R$/kWh x kWh = valor da conta de luz (R$)

0,594 x 100 = 59,40

Quanto gasta a moto elétrica?

De acordo com o manual das motocicletas Voltz, elas podem ter dois tipos diferentes de baterias – varia com o modelo adquirido. Uma com capacidade de 2,4 kWh e outra com 1 kWh.

O cálculo do custo do abastecimento de cada bateria é semelhante ao do valor da conta de luz. Nesse caso basta trocar o valor do consumo mensal de energia, pela capacidade da bateria. Ou seja, para dar uma carga em uma bateria de 2,4 kWh de capacidade, vão ser gastos R$ 1,425 e para a bateria de 1 kWh serão custeados R$ 0,594.

R$/kWh x capacidade da bateria Voltz (kWh) = valor da conta de luz (R$)

0,594 x 2,4 = 1,425

R$/kWh x capacidade da bateria Voltz (kWh) = valor da conta de luz (R$)

0,594 x 1 = 0,594

Os valores de R$ 1,425 e R$ 0,594 estão relacionados a uma carga completa de bateria, que tem autonomia de 100 km a 120 km. A cada recarga, o valor será somado à conta de luz.

Vale a pena ter uma moto elétrica?

O custo-benefício deve ser avaliado para a necessidade de cada piloto. Se considerado que um motociclista de São Paulo rode 120 km por dia (valor total de uma bateria Voltz de 2,4 kWh), em 30 dias ele terá um aumento de R$ 42,75 reais na sua conta de energia.

Caso esse cálculo fosse feito em cima de uma moto de 160 cm³ que tenha autonomia de 40 km/l e levando em conta o preço médio da gasolina no Brasil, R$ 7,26 de acordo com a Agência Nacional de Petróleo (ANP), o mesmo motociclista gastaria R$ 653,40 ao longo do mês.

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
13 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Cassiano 21 de junho de 2022

Eu tenho uma BIZ 2010 125 e gasto cerca de 35 reais por semana com ela e só abasteço gasolina aditivada. E ela não trava quando chove 😉

Avatar
Glaucia 9 de junho de 2022

Já é homologada pelo Detran?

Avatar
Fabrício 9 de junho de 2022

O problema das motos elétricas é autonomia e velocidade final. Eu rodo muito em rodovia. E moto deve ter velocidade de cruzeiro mais alta. Para mim então não serve!!!

Avatar
Samuel 7 de junho de 2022

Bateria de moto elétrica tem garantia e pelo menos 5 anos aguenta tranquilamente. Nesse tempo quanto vc aí puxa saco de posto de gasolina já gastou quanto enchendo o tanque e trocando óleo, aditivo e outras coisas na sua carroça movida a gasolina? Não tem desculpa, veículo elétrico é mais econômico em qualquer hipótese

Avatar
Geraldo 7 de junho de 2022

Só um detalhe: sem considerar gastos com baterias. Qtas motos tem no Brasil, qtos carros? Temos energia para isto tudo? Acho que não, para não dizer que tenho certeza que não. O futuro não é carro elétrico e sim combustíveis verdes como álcool, çélulas de hidrogênio, gasolina sintética e etc…

Avatar
Sebastião Nazaret júnior 6 de junho de 2022

Cálculo mal feito. Deveriam calcular o custo efetivo total na vida útil da motocicleta e comparar com os modelos convencionais… Enfim, mais uma matéria mal elaborada

Avatar
Tropa 8 de junho de 2022

Essa moto ate o ano passado era 17k e a supersoco 19 ,ou o inverso , vaj verno valor agora , Brasileiro senso Brasileiro , acho que primeiro ,eles deveriam investir em peças de reposição , especializar mão de obra , e abrir mais lojas por estados e cidades , pq quando quebra , a peça chega no fim da garantia , ninguem da loja sabe mexer, e tem que viajar para outro planeta pra arrumar .

Avatar
Jose Edson 6 de junho de 2022

Porque as pessoas não fazem calculo do custo da bateria, a bateria não é infinita, Ele dura “ciclos” de recarga, e o preço é salgado (metade do valor da moto) e com o passar do tempo vai precisar trocar, então se a bateria é necessario pra alimentação ” ELA É COMBUSTIVEL”, e tem quer por na conta de consumo.

Avatar
Vinny Rocha 6 de junho de 2022

No site da Voltz tem essas informações. A bateria custa R$ 4.500,00 o que é menos de 25% do valor da moto. E ela dura em média 8 anos de uso. Além disso quando fica ruim perde a autonomia mas continua funcionando. Fora que moto elétrica não troca óleo, relação, bateria de chumbo nem filtros como as de combustão.

Avatar
Leonardo Vieira 7 de junho de 2022

Alguns “comentaristas” demonstram desconhecer motos elétricas e a combustão. Motos elétricas têm cerca de 10% do total de peças de uma similar a combustão. A manutenção de uma moto a combustão com transmissão por corrente é mais complexa, pela lubrificação e ajustes de folga. Falando da vida útil das baterias, a Voltz anuncia 3.000 ciclos com potência total. Um ciclo com duas baterias dá cerca de 150 km, ou seja, 450.000 km de vida útil. Depois disso, a bateria fica mais fraca, mas, não inútil. E os custos das manutenções periódicas que não existem nas elétricas?

Avatar
Rui 7 de junho de 2022

Pedido de informação: Seguradoras cobrem esse tipo de moto?

Avatar
Edgard 5 de junho de 2022

Tem peça para reposição em quanto tempo?

Avatar
Edgard 5 de junho de 2022

Moto elétrica hoje tem peças de reposição? Qual a durabilidade da moto elétrica?

Avatar
Deixe um comentário