Triumph Tiger 900 Rally Pro e GT Pro: avaliamos os novos modelos

Com novo motor, quadro, painel, iluminação em LED e vocações diferentes, as novas Triumph Tiger 900 também contam com amplo pacote eletrônico

triumph tiger 900 rally pro na terra
Triumph Tiger 900 Rally Pro (Foto: Alexandre Marques | Triumph | Divulgação)
Por Teo Mascarenhas
08 de dezembro de 2020 17:00

Desde que a Triumph chegou ao Brasil em 20212, os modelos aventureiros da linha Tiger se transformaram em campeões de vendas da marca elevando também o Brasil como seu maior consumidor mundial. A tarefa de manter os bons  números ganhou um reforço com a nova geração das Triumph Tiger 900 em cinco versões, Standard, GT, GT Pro, Rally e Rally Pro.

Elas são equipadas com motor de três cilindros, aumentado de 800 cm³ para 900 (exatos 888 cm³), novos faróis mais estreitos em LED, quadro, suspensões, painel com tela TFT colorida e novo pacote eletrônico.

VEJA TAMBÉM:

Programada para chegar ainda no primeiro semestre da Tailândia, onde são produzidas, para serem montadas em Manaus (AM), enfrentaram as paralisações da pandemia e agora tentam descontar o atraso.

Já disponíveis aqui, andamos com os modelos topo de linha Tiger 900 GT Pro, com vocação mais para o asfalto e a Tiger 900 Rally Pro, mais para a terra.

Motor da Triumph Tiger 900

O motor, comum aos dois modelos, continua com os três cilindros em linha, mas, a capacidade foi aumentada de 799 cm³ para 888 cm³. As mudanças incluíram novo virabrequim, comando de válvulas, pistões, bielas e balancins, que alteraram também a ordem de ignição e até o som do escape.

Toda as modificações na Triumph Tiger 900 foram feitas para atender às normas de emissões (Euro 5 lá e Promot 4 Fase 2 aqui) sem que a potência fosse reduzida. Porém, o pulo do gato (neste caso, “pulo do tigre”) foi que a potência chega mais cedo. São 95 cv a 8.750 rpm, contra 95 cv a 9.500 rpm do motor anterior.

O torque foi melhor ainda. Além de aumentar significativamente, também chega mais precocemente. Passou de 7,8 kgfm a 8.000 rpm, para 8,8 kgfm a 7.250 rpm.

A configuração permite retomadas mais vigorosas, melhorando a pilotagem, especialmente no fora de estrada, com a Rally Pro, que tem ainda pacote eletrônico e suspensões mais apropriadas.

Uma queixa recorrente nas Triumph Tiger anteriores era a transferência de calor do motor para pernas e “adjacências” do piloto em baixas velocidades. O novo motor, agora, conta com auxílio de dois radiadores no arrefecimento, um de cada lado, além de novas abas na carenagem que dissipam a temperatura e incomodam menos.

Triumph Tiger 900 Rally Pro

A Triumph Tiger 900 Rally Pro, com preço sugerido de R$ 63.990, está recheado de facilitadores de pilotagem e equipamentos de série, como cavalete central, barras de proteção do motor, protetor de cárter em alumínio e faróis de milha em LED.

Na ergonomia o banco pode ser ajustado na altura entre 850 e 870 mm e tem aquecimento, que pode ser controlado pelo passageiro. O guidão está 10 mm recuado e os punhos também contam com aquecimento e os controles com iluminação interna em LED.

Já o centro de gravidade da Triumph Tiger 900 Rally Pro foi avançado em 40 mm e rebaixado em 20 mm, graças ao novo quadro em tubos de aço em treliça e subquadro em alumínio, que reduziram 5 kg do peso do modelo.

Eletrônica embarcada

A eletrônica deu um salto na Triumph Tiger 900, com a presença da central de medição inercial (IMU), que detecta a aceleração, frenagem, inclinação lateral e longitudinal e ajusta automaticamente o nível de intervenção do controle de tração e do ABS, ambos com função de curvas.

A Triumph Tiger 900 Rally Pro também conta com sistema de monitoramento da pressão dos pneus e shift assist, que permite trocar as marchas sem desacelerar e sem uso da embreagem, facilitando bastante a pilotagem no fora de estrada em pé. Outro facilitador são os seis modos de pilotagem.

O modo Rain (Chuva), deixa a entrega de potência mais progressiva e o controle de tração mais atuante. O modo Road (Estrada), possibilita mais potência. O modo Sport (Esporte) libera a potência e os controles de tração e freios. O modo Off-Road (Fora de Estrada) ajusta os controles para mínima intervenção.

O modo Rider (Piloto) permite regular, conforme a preferência do piloto, os níveis de interferência do controle de tração, da resposta do acelerador e dos freios ABS, ou mesmo desligá-los. O modo Off-Road Pro, que só a Triumph Tiger 900 Rally Pro possui, é  para percursos mais radicais e  tem ainda a sofisticação de aumentar os giros do motor em baixas velocidades para não “apagar” e prejudicar a pilotagem.

O painel da Triumph Tiger 900 passa a contar com tela em TFT colorida de 7 polegadas, que pode ser ajustado em estilos de exibição e contraste, além da conectividade com o celular, via bluetooth, e acessar sistema de navegação, músicas e até a câmera GoPro. As informações do painel e regulagens dos modos de pilotagem são feitas por joystick no punho e aparecem no painel.

Suspensão e freio

A suspensão dianteira Showa é invertida, com tubos de 45 mm de diâmetro e 240 mm de curso. Na traseira, sistema mono Showa (gás pressurizado) com 230 mm de curso. Ambas ajustáveis na compressão e retorno.

O freio dianteiro conta com o recente desenvolvimento Brembo Stylema. São dois discos de 320 mm, com pinça radial monobloco de quatro pistões e função ABS de curvas, capaz de brecar uma locomotiva. Na traseira, disco simples.

Impressões ao pilotar: Triumph Tiger Rally Pro

Na hora de pilotar a Triumph Tiger Rally Pro, a roda dianteira raiada, com pneu sem câmara com aro de 21 polegadas reduz a agilidade no asfalto. Entretanto, o para-brisa regulável na altura manualmente e o piloto automático são mordomias bem-vindas em maiores distâncias.

Na terra, porém, o aro 21 faz muita diferença na Triumph Tiger. Rodar em pé e sentir as suspensões copiando as irregularidades deixa a posição confortável e a impressão que é um modelo menor pela facilidade na tocada.

As regulagens nos modos de pilotagem mudam bastante o comportamento do motor. Na terra, com a função Off-Road, a adrenalina sobe de nível, permitindo derrapagens e comportamento mais arisco.

Como “teste”, ao rodar no modo Sport em um trecho de terra bem irregular, dá para sentir toda aquela teoria de controle de tração trabalhar certinho e entrar em funcionamento na prática cortando o motor. Aí, a facilidade de operar os comandos, mesmo em movimento, adequando os modos de pilotagem certos é fundamental.

Triumph Tiger 900 GT Pro

A Triumph Tiger 900 GT Pro, versão top de linha para asfalto tem preço sugerido de R$ 61.990 e um pacote um pouco diferente da Triumph Tiger 900  Rally Pro. O que muda são as rodas, em liga leve, com aro menor, de 19 polegadas de diâmetro na frente, que também reduz a altura do banco para 810 mm, ou 830 mm, os modos de pilotagem, que em vez de seis passam para cinco, com a supressão da função Off-Road Pro, e, principalmente, as suspensões.

Rodas aro 19

A suspensão dianteira Triumph Tiger 900 GT Pro é Marzocchi invertida, com tubos de 45 mm e 180 mm de curso, regulável manualmente na compressão e retorno. A suspensão traseira Marzocchi do tipo mono com gás pressurizado, tem 170 mm de curso e o requinte das regulagens de compressão e retorno, de forma eletrônica.

São quatro ajustes na pré-carga e nove de amortecimento selecionados no painel, conforme o peso do piloto, piloto e garupa, piloto garupa e bagagem e modos de pilotagem escolhidos. A Triumph Tiger GT Pro é bem mais estradeiro e urbano, embora, também possa encarar uma terra.

Na hora de rodar, o aro dianteiro de 19 polegadas, permite encaixar melhor as curvas, mas, também castiga o piloto nas escapadas pela terra. A ergonomia muda ligeiramente com um banco mais baixo, porém, o para-brisa, regulável manualmente, o piloto automático, a tomada 12 V e os faróis de milha permanecem.

O que saem na Triumph Tiger 900 GT Pro são a proteção em tubos do motor e a cobertura de alumínio do motor, conhecida como peito de aço. Com isso, o peso a seco também muda. De 201 kg, cai para 198 kg, melhorando também a maneabilidade.

Fotos: Divulgação

Teo Mascarenhas

Especialista na cobertura do mercado de motocicletas e competições com mais de 30 anos de experiência.

Teo Mascarenhas
3 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Luciano santos 24 de dezembro de 2020

Troquei minha 800 por uma 900 gt pro. Muito boa a moto. Melhorou seu comportamento em curvas. Tem um torque excelente. Na estrada é perfeita e tbm, muito boa na cidade. Fiz teste drive com a multistrada 950, e não fiquei com duvidas.

Avatar
Alexandre Silva 12 de dezembro de 2020

Janeiro troco a minha 800 pela 900 bora rodar

Avatar
Rafael 8 de dezembro de 2020

Nao obrigado, a multistrada 950s é muito mais moto.

Avatar
Deixe um comentário