Custo? Não: esses 5 equipamentos de carro sumiram devido à segurança

Segurança é fator de grande importância no projeto do veículo e afeta detalhes que muitas pessoas nem imaginam

seguranca veicular boneco dummie apos acidente dentro de carro com airbag deflagrado
Enquanto alguns equipamentos protegem em caso de acidente, outros acabavam piorando a situação (Foto: Shutterstock)
Por AutoPapo
27 de março de 2022 08:18

O custo é fator primordial para qualquer fabricante de veículos. Assim, a produção em massa acaba balizando várias decisões industriais, que passam até pela abolição de determinados itens. Mas o caso é que isso nem sempre acontece por culpa da economia em escala: a segurança ganhou enorme importância, a ponto de também determinar quais equipamentos os carros devem ter – e quais não.

VEJA TAMBÉM:

Equipamentos abolidos dos carros por questão de segurança

O AutoPapo listou 5 equipamentos que desapareceram dos carros nas últimas décadas justamente porque, em determinadas situações, podiam comprometer a segurança, seja dos próprios ocupantes ou de quem estivesse ao redor. Confira o listão!

1. Quebra-vento

quebra vento na janela de carro antigo que transporta um casal
Item, que era absolutamente comum no passado, está extinto

O quebra-vento é um equipamento charmoso que muitos carros antigos possuem. Esse item permitia ventilar melhor a cabine em uma época na qual o ar-condicionado era item raro, restrito a modelos de alto luxo. Mas, acredite se quiser, saiu de cena por uma questão de segurança: quando aberto, podia atuar como uma faca contra a cabeça dos ocupantes, causando sérias lesões em impactos laterais.

Outros motivos dois também contribuíram para a abolição do quebra-vento: esse item prejudicava a aerodinâmica quando estava em uso, e ainda facilitava a vida dos arrombadores de veículos. A popularização do ar-condicionado para carros, a partir dos anos 2000, acabou de vez com esse equipamento.

2. Enfeites de capô

mercedes benz esf 24 1974 dianteira
Superfícies protuberantes no capô aumentavam as lesões em vítimas de atropelamentos

Até a década de 1950, praticamente todos os automóveis tinham algum tipo de ornamentação no capô. Os enfeites geralmente exibiam algum mascote, ou então faziam referência ao próprio fabricante: a estrela de três pontas que simboliza a Mercedes-Benz, por exemplo, ocupava lugar de destaque nos veículos da marca. No Brasil, um dos modelos que adotava esse tipo de adorno era o Ford Landau.

Esses itens já estavam caindo em desuso, mas foram abolidos de vez no final do século XX, quando a segurança tornou-se fator primordial no projeto dos veículos. É que, em caso de atropelamentos, objetos protuberantes sobre o capô potencializam significativamente os ferimentos aos pedestres. Os poucos modelos que ainda mantêm os mascotes, como os da Rolls Royce, adotam mecanismos para retração em acidentes.

3. Quebra-mato

fiat palio advenutre
Quebra-mato chegou a vir de fábrica em alguns veículos, como nas primeiras edições das versões Adventure, da Fiat

Outro equipamento que sumiu dos carros porque oferecia risco em caso de atropelamento é o quebra-mato. É verdade que esse adereço nunca foi majoritário nas ruas, mas era visto com alguma frequência em picapes e SUVs de maior porte. Até veículos menores chegaram a trazê-los de fábrica: lembra-se de Fiat Palio Weekend e Strada Adventure e da Chevrolet Montana Off-Road?

Hoje, o quebra-mato resiste como equipamento aftermarket apenas para veículos off-road. Desse modo, acaba justamente restrito ao cumprimento a função à qual, primordialmente, se destina: proteger a dianteira do veículo de galhos e outros tipos de vegetação que possam bloquear trilhas e vias rurais.

4. Faróis escamoteáveis (e também os com lentes de vidro)

farol escamoteavel mazda mx5 miata
Farol escamoteável é mais um item abolido em prol da segurança dos pedestres

Já reparou que, já há algum tempo, os faróis escamoteáveis estão extintos? Mas esses equipamentos eram comuns nos carros esportivos das décadas de 1980 e 1990. Pois a causa da abolição desse item também é… A segurança dos pedestres. Quando estão acesos, esses itens projetam-se para fora do capô, potencializando ferimentos em atropelamentos.

Vale destacar que os faróis comuns também passaram por uma mudança focada na redução dos danos causados por atropelamentos: em vez de vidro, as lentes passaram a adotar policarbonato, material bem menos propenso a causar cortes nas vítimas de acidentes. De quebra, os fabricantes informam que eles têm poder de iluminação ligeiramente maior.

5. Tecidos naturais no interior

interior de um cadillac series 67 touring sedan 1941
Materiais de revestimento interno não podem propagar chamas rapidamente

Até meados do século XX, era comum o uso de fibras naturais nos estofamentos dos automóveis. Modelos de luxo, claro, ostentavam revestimentos nobres, como seda e casimira. É verdade que esses materiais foram naturalmente dando lugar a similares sintéticos, que se popularizaram a partir de então. Mas também há uma questão de segurança nessa equação.

É que tecidos naturais geralmente são bastante inflamáveis. E, claro, isso não combina com motores a combustão, tampouco com acidentes… Materiais menos sensíveis às chamas acabaram se tornando padrão.

Carro antigo é mais seguro? Claro que não! Boris Feldman explica em vídeo!

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
10 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Jaime Bento Silva 2 de abril de 2022

A reportagem é rica em elucidar pormenores que poucos ou talvez ninguém os pescebessem, é de grande valia.

Avatar
Sergio ourique 1 de abril de 2022

Gostaria de saber se estes equipamentos que tiram o DALAY do acelerador trazem algum prejuizo. Estou pensando em instalar no meu Jaguar XF, 3,0, 2011. Grato

Avatar
Roberto Carlos 2 de abril de 2022

Dalay? Deve ser primo do delay…antes de comprar um carro inglês, aprenda o idioma

Avatar
Georges C. Costaridis 1 de abril de 2022

Uma coisa que não consigo entender que seja seguro são essas telas de multimídia que parece que foram adaptadas sobre o console, parecendo um tablet mal ajambrado. Em caso de acidente não existe o risco de alguém meter a cara ou a cabeça nele, ou mesmo ele se soltar e ser projetado, mesmo utilizando o cinto de segurança? Ou estou enganado? E olha que tem marca famosona que faz isso também. Quanto a usar couro de verdade nos bancos e arredores vão falar que é ecologicamente correto não utilizar mas, dependendo do cacau que o cavalheiro tiver, vai achar alguns modelos com esse luxo ainda.

Avatar
Rafael 31 de março de 2022

E com isso, certas coisas que deixaram de serem usadas deixaram o item menos durável, como por exemplo o farol de policarbonato que é bem pior que o vidro na questão de durabilidade. Outra coisa que não vejo mais em carros originais de fábrica é couro. Agora é só couro de mentira, vulgo couro ecológico.

Avatar
Professor paskoally 1 de abril de 2022

Percebe-se que você não leu a matéria.
Tampouco importa-se com a vida de pedestres ou com a sua e de seus familiares caso seu veículo esteja em incêndio.
Parabéns, gênio.

Avatar
Georges C. Costaridis 1 de abril de 2022

O sr. Rafael comenta sobre as lentes de policarbonato, que embaçam com o tempo e sobre utilizar couro nos estofamentos e arredores. Portanto não creio que seu comentário seja apropriado sr. Paskoally.

Avatar
Arthur 27 de março de 2022

Legal. Parabéns pelo conteúdo.

Avatar
Marcos Miranda 27 de março de 2022

Se não estou enganado, a estrela de 3 pontas voltou ao capô da nova Mercedes-Benz E300.
Será que o enfeite tem algum dispositivo para evitar maiores ferimentos a um possível atropelado?

Avatar
Luiz AG 1 de abril de 2022

Que eu saiba o simbolo da mercedes sempre foi maleável, preso por uma mola.

Avatar
Deixe um comentário