Por que o Bronco e não o Troller?

Os norte-americanos se apaixonaram pelo Troller e questionaram a Ford porquê não levá-lo para os Estados Unidos

Por Boris Feldman 14/07/20 às 11h28
ford bronco amarelo x troller t4 na terra
Ford Bronco (acima) e Troller T4 (abaixo) (Foto: Montagem sobre Divulgação)

O Ford Bronco foi produzido durante 30 anos nos EUA (de 1966 a 1996) mas descontinuado numa época em que jipes deram lugar a SUVs. E o Bronco tinha apenas uma versão de duas portas, com projeto de carroceria e chassis que impossibilitava produzir uma variante de quatro. Impossível, também, de assumir a categoria de utilitário esportivo.

A adaptação seria tão onerosa que a Ford decidiu investir num outro projeto utilizando o chassis do picape F-150. Desistiu do nome Bronco e batizou o novo modelo de Expedition, lançado em 1996, mesmo ano em que descontinuou o Bronco.

Erro de seus marqueteiros, pois só facilitou a vida da Jeep que sempre manteve um modelo “raíz” (Wrangler) ao lado dos mais sofisticados Cherokee, Grand Cherokee, Compass e Renegade.

Curiosamente, a Ford produziu no Brasil a linha Jeep quando comprou a Willys Overland em 1967, mantendo-a até 1983.

Ford compra a Troller

Em 2007, a Ford anunciou a aquisição da fábrica Troller, no Ceará, de propriedade de Mário Araripe, que produzia jipes e o picape Pantanal. Este, com incorrigíveis erros de projeto no chassis, teve suas unidades recompradas pela Ford, para evitar um inviável recall.

Por quê a poderosa empresa norte-americana comprou uma insignificante fábrica de jipes no interior do Ceará?

Não que lhe faltasse know-how para produção de off-roads, ou pela qualidade (duvidosa…) dos jipes “By Araripe”, mas simplesmente para se aproveitar dos benefícios fiscais da Troller. Devidamente transportados para sua fábrica de Camaçari, na Bahia, onde produz Ecosport e Ka.

Brincava-se, na época, que a Ford não tinha comprado uma operação de jipes, mas uma “fábrica de incentivos”.

Como se comprometeu com o governo do Ceará em manter a operação para não demitir operários, a Ford aplicou todo seu know-how e componentes de outros produtos (Ecosport e Ranger) para um up-grade do Troller e garantir um mínimo de qualidade para o jipe.

Fotos do Troller T4 2020

Troller nos EUA?

A imprensa especializada norte-americana soube deste jipe “raiz” da Ford no Brasil e sugeriu (chegou a insistir) sua fabricação (ou comercialização) nos EUA. Argumentava ser um substituto perfeito para o Bronco (então já desativado) e concorrente sob medida para o Jeep Wrangler.

Só que “as aparências enganam” e a Ford jamais considerou essa hipótese, por absoluta falta de condições de levar o Troller para o mercado norte-americano. Sua carroceria de fibra, chassis artesanal, montagem em grande volume quase impossível e outros deslizes de projeto inviabilizariam esta operação.

A engenharia da empresa no Brasil fez o possível para aperfeiçoar o “jipe do Araripe” e conseguiu bons resultados. Mas, longe de enfrentar a concorrência de um Jeep, tanto que o Troller jamais ostentou o logotipo Ford.

Agora, quase 25 anos depois de desativá-lo, a Ford relança o Bronco nos EUA e pretende importá-lo para o Brasil. A área de marketing em Detroit cogita fazer do Bronco não apenas um modelo, porém uma marca do grupo Ford, como é hoje a Lincoln ou foi a Mercury.

Aqui, estará num segmento acima do Ecosport e perfeito concorrente do Jeep Compass. A Ford não confirma, mas poderá desembarcar no nosso mercado em 2021.

Fotos do Ford Bronco 2021

Fotos: Divulgação

SOBRE
10 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Maroo Cezar 18 de março de 2021

Nunca foi o Senhor Araripe quem criou o Troller, ele apenas comprou metade da fábrica inicialmente e depois que virou o dono majoritário. O fundador e criador foi o engenheiro Rogério Farias do Ceará.

Avatar
Jair Chaves 15 de julho de 2020

É Renegade da Ford.kkkkk

Avatar
RENE SOARES BATISTA 15 de julho de 2020

mais uma vez a indústria automotiva querendo sabotar e enterrar o potencial dos brasileiros para comprar continuar sugando o nosso povo com seus produtos lixoo troia é tão bom que querem destruir ele colocando outro produto no lugar que não tem nada a ver com o Brasil e não representa o povo brasileiro

assim nós continuamos escravos de impérios estrangeiros e nossa capacidade industrial nunca vai se desenvolver

Avatar
RENE SOARES BATISTA 15 de julho de 2020

o que a Ford quer no final é acabar com o troller enterrar o troller porque não é um produto criado por ela e é um produto de altíssimo padrão para concorrer com qualquer um até mesmo nos Estados Unidos

Avatar
Julio 15 de julho de 2020

Norte americano é bucha, já estão de olho no nosso troller, nosso jipe e lindo só peca em ser muito rígido, este Bronco vai ficar pouco tempo e depois param as vendas e aí quem comprou fica no prejuízo.

Avatar
Costa 15 de julho de 2020

O farol do Bronco lembra o dial de um rádio…

Avatar
Seegio 14 de julho de 2020

Independente do lançe da Ford com a troller Brasil o orojeto ficou muito bacana e não exuste no mercado outro jeep de verdade ha nao ser o Troller, se vier o Bronco será uma pedra no calcanhar desses jeepinhos de plasticos.

Avatar
Daniel Santiago 14 de julho de 2020

Vergonha! Já viram o Bronco americano? A Ford e todas as montadores sempre enfiando subprodutos nos brasileiros. Vergonha!

AutoPapo
AutoPapo 14 de julho de 2020

Olá, Daniel. Tudo bem? Você deve estar fazendo confusão. A nova geração do Bronco foi lançada nesta segunda (13) com tecnologia de ponta.

https://autopapo.uol.com.br/noticia/ford-bronco-e-lancado-brasil/

Avatar
Eduardo Teixeira Küll 14 de julho de 2020

Já que a questão fica mesmo na “fábrica de incentivos”, por que não, então, não passar a montar este Bronco, o casca grossa, não o Sport, aqui, aproveitando-se exatamente desses tais incentivos?????

Avatar
Deixe um comentário