Corolla esportivo é mentira da Toyota (tanto nas ruas quanto nas pistas)

Nova versão GR-S chega às concessionárias em 2021 com visual agressivo, mas mecânica pacata: "propaganda enganosa" segue a receita da Stock Car

Por AutoPapo 12/12/20 às 11h30
frente do toyota corolla gr s 2021 branco
Corolla GR-S só parece esportivo (Toyota | Divulgação)

A Toyota acaba de lançar uma nova versão do Corolla: a GR-S. Trata-se de mais um esportivo de mentirinha, que apela para adereços visuais, mas não traz modificações mecânicas. O sedã ganhou um para-choque frontal com estilo mais agressivo, igual ao do similar produzido em Taiwan, além de spoiler na traseira e alguns elementos pintados de preto. Pronto: foi o suficiente para a marca japonesa chamá-l0 de “esportivo”.

VEJA TAMBÉM:

No material de divulgação, a Toyota não hesita em associar o Corolla GR-S à divisão Gazoo Racing, voltada para competições. O modelo, aliás, traz várias logomarcas dessa ramificação esportiva, tanto na carroceria quanto no interior. Na prática, a preparadora mexeu apenas na suspensão, que ganhou novos amortecedores e molas e braço estrutural ligado ao chassi, para torna-la mais firme em curvas. Ah, sim, o fabricante destaca ainda que há defletores aerodinâmicos no assoalho…

Boris Feldman fala sobre o Toyota Corolla GR-S: assista ao vídeo!

A questão é que, na hora de acelerar, o Toyota Corolla GR-S não conseguirá abrir vantagem alguma sobre as demais versões, tampouco sobre a maioria dos concorrentes de outras marcas. Isso porque, sob o capô, não há qualquer modificação: a versão “esportiva” traz o mesmíssimo motor 2.0 aspirado do restante da linha (com exceção da versão Altis Hybrid). São 177 cv de potência com etanol e 169 cv com gasolina, além de 21,4 kgfm de torque com ambos os combustíveis.

Se o motor já não inspira grandes emoções, a transmissão muito menos. O câmbio é automático do tipo CVT, mas o fabricante se gaba de disponibilizar borboletas no volante para que o motorista possa trocar sequencialmente as 10 marchas simuladas. Olha, quanta esportividade, hein? Direção e freios também são iguais em relação ao restante da linha.

Corolla esportivo, mesmo, só no exterior

A verdade é que a versão GR-S não muda a aura que o Toyota Corolla sempre teve no Brasil: a de um pacato sedã familiar. Ele é muito competente na função de transportar os ocupantes do ponto A ao ponto B, mas nada emocionante para dirigir. De tão insosso, o modelo recebeu o apelido de “Vovôrolla”… A diferença é que, agora, ele veste uma roupa de jovem para fazer de conta que é esportivo.

O preço ainda não foi informado: a Toyota só revelará os valores quando o Corolla GR-S chegar ás concessionárias no primeiro trimestre do ano que vem. Porém, espera-se que o esportivo de mentirinha da Toyota seja posicionado entre a versão intermediária XEi (R$ 126.590) e a top Altis Premium (R$ R$ 146.390). E vale lembrar que, até a chegada do modelo, a linha ainda poderá sofrer reajustes.

Nessa faixa de valor, bem que a Toyota poderia oferecer a mecânica Corolla GR, desenvolvido para a Europa: esse, sim, é bravo de verdade, pois vem equipado com um propulsor 1.6 turbo de 260 cv de potência. Entretanto, no Brasil, a empresa prefere vender versões pseudo-esportivas. Aliás, essa mentirinha foi antecedida por uma mentirona que a marca japonesa conta por aqui.

Toyota: da mentirona na Stock Car à mentirinha do Corolla GR-S

No início de 2020, a Toyota entrou na Stock Car Brasil, a mais prestigiada categoria de automobilismo do país. Muita gente pensa que as unidades do Corolla vistas nos autódromos são as mesmas que circulam pelas ruas, só que devidamente preparadas. Essa é uma mentirona da Toyota, pois os veículos de competição não têm absolutamente nada em comum com o homônimo vendido nas concessionárias.

Os carros de todas equipes da Stock Car Brasil são tecnicamente idênticos: utilizam um motor V8 5.7 de 550 cv, de origem estadunidense, e chassi tubular. A carroceria não passa se uma bolha confeccionada em um composto de plástico e fibra de vidro, que imita o design do Toyota Corolla ou do Chevrolet Cruze. Isso acaba gerando uma espécie de propaganda enganosa para esses sedãs.

A rigor, o Toyota Corolla da Stock Car não tem sequer um parafuso em comum com o modelo produzido em série. Mas, a julgar pelo marketing da marca japonesa, não será surpresa se ela vier a destacar atributos como o “desempenho” e a “resistência” do veículo utilizado nas pistas quando a versão GR-S chegar, de fato, às lojas.

toyota corolla stock car
Corolla da Stock Car não tem sequer um parafuso em comum com o modelo convencional
SOBRE
8 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Lucas Fração 8 de abril de 2021

Se quer um esportivo de verdade, a coisa fica acima de 300 mil. Acho que a o Corolla GR-S tem melhores especificações que um Xei e o preço um pouso superior. Achei o carro bonito, aliás o mais bonito entre os modelos. Não ligo pra andar a 200 km/h, nestas estradas ruins. Prefiro manter a minha média de 100 – 120 km/h, gastar menos $ e estar vivo.
Numa viagem, 20 30 minutos, não farão são insignificantes, será que 2, 3 segundos valem toda uma discussão? Idiotice!

Avatar
WAGNER ROSSANO DE GOIS 14 de fevereiro de 2021

É uma grande decepção para nós simples consumidores do produto stock car, que esses carros não tenham nada haver com as marcas Toyota e Chevrolet. Assim passo a torcer apenas pelo piloto!

Avatar
Marcelo 14 de dezembro de 2020

Tenho 2 pontos:

1. Concordo que essa versão GR Sport basicamente é uma perfumaria em cima de uma versão padrão do Corolla, a XEi. Mexeram um pouco na suspensão, ok! Colocaram o piloto automático adaptativo, ok! Mas é mais do mesmo, não tem nada de esportivo de verdade lá.

2. Com relação à Stock Car, o colunista precisa se informar melhor. As carrocerias eram de fibra de vido, com maquiagem para parecerem com um Cruze ATÉ O ANO PASSADO. Este ano, passaram a usar a carroceria dos modelos de fábrica, adaptados ao chassis tubulares. O motor utilizado nos Toyotas também não é o mesmo dos motores utilizados pelos GMs, apesar de possuírem potências semelhantes. *

Para quem acompanha a Stock Car, as diferenças eram perceptíveis, principalmente no início da temporada, quando os Toyotas estavam ganhando dos GMs.

Avatar
Wagner Vaz 13 de dezembro de 2020

Infelizmente as montadoras fazem isso pq sabem que nós Brasileiros aceitamos tudo como trouxas que somos em nossa maioria. O pior é que com crtza vai ter fila de espera pra comprar esse vôrolla a preço de ouro!

Avatar
Jorge Nicolau 13 de dezembro de 2020

Querer transformar o vovorolla em esportivo é quase a mesma coisa que colocar aerofólio em Kombi.

Avatar
José Gabrielli Del Luz 12 de dezembro de 2020

Parabéns pela matéria! Realmente insosso, caro, não-verdadeiro, pacato e veículo de vovozinho! Quer vergonha, Toyota!

Avatar
iLo Sperb 13 de dezembro de 2020

É,o corolla não mais o mesmo. Apos 4 corolla o quinto que comprei em 2018 XEi,em estrada de chão entra pós como se estivesse a janela aberta. Pensando em ir para o Civic 2021.

Avatar
Jorge Nicolau 13 de dezembro de 2020

Mesmo defeito encontrado na Hilux, entra pó na cabine além de ser a pior camionete em matéria de suspensão e estabilidade.

Avatar
Deixe um comentário