Saiba como o etanol pode ser protagonista na eletrificação do automóvel

Ao contrário de matrizes energéticas poluentes que produzem eletricidade para carregar elétricos, o etanol é a solução que não polui

nissan fuel cell eletrico movido etanol brasil1
Protótipo da Nissan utiliza etanol para gerar hidrogênio que alimenta célula a combustível (Foto: Nissan | Divulgação)
Por Boris Feldman
29 de junho de 2022 18:09

Olha! Vamos devagar com o andor com essa história de carro elétrico. É lógico que a tendência é dele mesmo. Em mais dia, menos dia, o mundo inteiro vai ter carro elétrico.

Mas no Brasil, especialmente, hã alguns probleminhas. Primeiro deles é o preço: O elétrico é muito caro porque as baterias custam muito. Segundo, com esse país de dimensões continentais, você não pode ter um carro elétrico para ir para qualquer lugar, porque nem todas as estradas, aliás, muito poucas, têm eletroposto para carregar a bateria.

VEJA TAMBÉM:

E para recarregar, às vezes, você vai demorar 1h, 2h. Sem dizer que você pode chegar no eletroposto e já ter carro na fila esperando. Já pensou?

Etanol

Além disso, nós temos uma solução excepcional, que se chama etanol. Etanol é sempre limpo. E não é como o carro elétrico, porque quando você recarrega, por exemplo, na Europa, onde tem usina térmica com diesel ou usina de carvão, você não está poluindo onde você anda com o carro, mas está poluindo lá onde se gera essa energia elétrica, não é mesmo?

O etanol não, o etanol é limpo. E o etanol permite várias soluções limpas. Por exemplo, o carro híbrido, motor a combustão e elétrico, mas o combustão, em vez de gasolina, pode usar o etanol. Então, a poluição é quase nenhuma.

Hidrogênio

Mais, o etanol dá origem ao hidrogênio, dele você pode tirar o hidrogênio. Com o hidrogênio você alimenta no carro uma célula a combustível, fuel cell. Ela gera energia elétrica para o carro andar. Então, é uma outra possibilidade do uso do etanol para evitar a poluição do ambiente e sem investir uma nota preta em um carro elétrico que, não só custa caro, como ainda existem, até hoje, restrições em muitas regiões do país para que ele seja utilizado.

Entendeu o âmago da questão?

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
SOBRE
2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Alexandre hadjinlian guerra 30 de junho de 2022

Só faltou dizer o custo dos fertilizantes (alô Putin) já que vamos deixar de consumir comida para torrar este queimando… Fora isso, até hoje não apareceu uma célula de combustível fantástica. O que tem são as SOFC da Nissan que e orelha e não tem competência para fazer uma parceria decente no Brasil. Vao sentar em cima até as baterias dominarem

Avatar
Santiago 30 de junho de 2022

Perfeito!!!
Logo de cara, e já disponível no mercado, temos o híbrido-flex. O qual pode ser ainda mais aperfeiçoado com o tempo.
Tanto assim que até já existe até um modelo de ônibus urbano, híbrido e-power, cuja eletricidade é garantida por um motor-flex do Polo (1.6 abastecido com etanol).
É só usarmos a inteligência.

Avatar
Deixe um comentário