Fusion sai de linha e Ford mira em SUVs: veja como fica a gama

Fusion sai de linha no Brasil enquanto Ford prepara enxurrada de SUVs para o mercado brasileiro: um está confirmado e outros 2 devem vir - além de picapes

Por AutoPapo 01/05/20 às 20h11

O Ford Fusion caiu do telhado… O sedã médio-grande foi retirado do site da montadora e está oficialmente fora de linha no Brasil. As unidades comercializadas eram 2019/2020, já que o modelo não era importado desde o ano passado para o Brasil.

Já era esperado o Fusion sair de linha. O presidente da Ford, James Hackett, já havia anunciado isso em maio do 2018. Um substituto direto está descartado: a fabricante abandonará os segmentos de sedãs médios e grandes para focar nos SUVs. No fim deste ano, o modelo já não será produzido mais na fábrica da Ford no México.

Além do país latino, o Fusion também é fabricado na Espanha, mas sua importação de lá para o Brasil tornaria seu valor inviável em nosso mercado.

Ford Fusion Titanium 2019
Ford Fusion: unidades disponíveis eram 2019/2020

Linha da Ford no Brasil

Por aqui, a Ford tem sua linha composta por carros compactos (Ka e Ka Sedan), SUVs (EcoSport e Edge ST), picape (Ranger) e o esportivo Mustang. A reformulação começou no ano passado, quando Fiesta e Focus – ambos em carroceria hatch e sedã – saíram de linha. A Ford também fechou a fábrica de São Bernardo do Campo.

O próximos lançamento da Ford no Brasil será o SUV médio Territory.

O que é o Ford Territory

A empresa americana está confiante no sucesso do SUV médio por suas dimensões: 4,58 m de comprimento, 1,94 m de largura, 1,67 m de altura. O principal apelo do Ford Territory é o porte do Chevrolet Equinox e do Toyota SW4, mas com preço estimado próximo ao do Compass.

Espaço interno também impressiona, inclusive para os passageiros do banco traseiro. Oferecerá câmera de visão 360 graus, controle de velocidade de cruzeiro adaptativo, estacionamento automático, alerta de permanência em faixa e monitoramento de ponto cego, entre outros itens.

Um sistema de modem na central multimídia permitirá, remotamente, travar, destravar, dar partida, localizar, obter informações de telemetria e serviços como seguro mais barato. Até internet a bordo.

O Ford Territory  virá importado inicialmente importado da China, mas deverá ser produzido na Argentina. O motor será um 1.5 turbo. Todavia, em outros países, modelo tem mais opções sob o capô, entre as quais um 2.0. Há até versões com tecnologias híbridas de propulsão, que, ao menos até o momento, são incertas por aqui.

Territory vai eliminar a imagem negativa dos carros chineses? Boris Feldman comenta!

Bronco e Escape: mais dois SUVs importado?

A Ford voltou a fabricar, nos Estados Unidos, o antigo Bronco: um misto de SUV com um ‘jipão’, com aquele jeito meio quadradão do Land Rover Defender.

O Bronco poderá ser importado para o Brasil. Nos Estados Unidos, é produzido com a versão quatro portas e uma menor, de duas, chamada de ‘Baby Bronco’. O modelo maior leva um motor V6 turbo.

Mas o ‘Baby’, que deverá vir para o Brasil, tem motores 1.5, três cilindros, turbo de 180 cavalos e dois litros, quatro cilindros turbo de 250 cavalos.

A Ford também estuda trazer o Escape para o nosso mercado (pouco menor que o Territory). Duas possibilidades poderão estar à mão: trazê-lo dos EUA ou da Espanha. Há ainda uma terceira possibilidade: ele pode ser feito na Argentina.

Ford Escape
Ford Escape pode ser vendido no Brasil

Outros planos: nova Courier ou a anti-Toro da Ford.

Para 2021, a Ford prepara uma nova geração do EcoSport. E para 2022, um novo SUV ainda menor para substituir o Ford Ka. Mas o modelo mais aguardado é uma picape do porte da Fiat Toro que pode resgatar o nome Courier no mercado brasileiro.

A nova picape da Ford será posicionada, em todos os sentidos, abaixo da Ranger. Além de ter menor porte, ela será vendida por preços mais baixos: a expectativa é de comercializá-la, nos EUA, por valores a partir de US$ 20 mil, cerca de US$ 5.000 a menos que a “irmã” maior.

Por enquanto, o projeto é identificado apenas pelo código P758. A produção deverá ficar a cargo da unidade industrial de Hermosillo, no México. De lá, o modelo seria exportado para a América do Norte e para o nosso mercado.

Fotos Ford | Divulgação

2 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Leandro 5 de maio de 2020

    Essa é uma fabricante que se falir não fará falta alguma….

  • Avatar
    Fabio 2 de maio de 2020

    Se o plano de trazer o Território é vender pouco, pois vai concorrer com Spin e SW4, está certo. A Ford não percebeu que existe um tamanho ideal que fica no inconsciente do comprador. Não adianta por mais acessórios, porque se o comprador quer do tamanho do Compass, o Spin, Sw4, etc , podem ser mais baratos, mas o cliente continuará preferindo o que está no seu imaginário e, mais um detalhe: vai sair caro esperar 2 meses a peça chegar da China, quando precisar!!!

Avatar
Deixe um comentário