Gravação do exame de direção será regra no Brasil?

Em razão dos benefícios trazidos pela tecnologia, expectativa é de que todos os estados adotem a telemetria; mudança ainda não é determinada pela Justiça

Por Laurie Andrade 03/09/20 às 16h47
telemetria camera filmando exame pratico de direcao foto detran amazonas 1
Cada carro de autoescola em Manaus conta com três câmeras e cinco sensores, além de um HD (Foto: Detran Amazonas | Divulgação)

Os exames práticos de direção da categoria B começaram, em Manaus, a contar com um sistema de telemetria para capturar as ações dos alunos e examinadores. Com o objetivo de garantir mais transparência no processo de obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), os softwares registram imagens e sons que podem ser acessados depois do teste. E fica a questão: a gravação do exame de direção é o futuro?

O AutoPapo questionou o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) sobre os benefícios do novo sistema – que é realidade também em outras unidades federativas – e aproveita para explicar o seu funcionamento.

LEIA MAIS

telemetria camera filmando exame pratico de direcao foto detran amazonas 1
Cada carro de autoescola em Manaus conta com três câmeras e cinco sensores, além de um HD (Foto: Detran-AM | Divulgação)

A telemetria vem sendo testada no Amazonas desde o segundo semestre de 2019, quando foi iniciada a instalação dos equipamentos em todos os 280 veículos utilizados pelas autoescolas da capital do estado. Em cidades de Minas Gerais, por exemplo, a implementação começou a ser estudada e colocada em prática ainda em 2013.

Em São Paulo, onde está localizada a maior frota do país, a tecnologia também já se faz presente. Mas é importante registrar que ainda não há legislação que obrigue os Departamentos de Trânsito a realizarem a gravação do exame de direção. Perguntado, o Denatran não respondeu – até a publicação da reportagem – se há projetos nesse sentido.

Como funciona a gravação do exame de direção

O sistema utiliza câmeras, sensores e um software que registra e armazena a avaliação. Além desses equipamentos no veículo, o examinador passa a utilizar um tablet, no qual são lançados os apontamentos e as penalidades cometidas durante o exame de direção.

A telemetria conta com três câmeras de vídeo com captação de áudio, além de cinco sensores (na embreagem, setas, freio de mão, cinto de segurança e motor) e um HD para armazenar as informações. Os dados captados também são transmitidos, em tempo real, para a central do sistema.

Antes de começar o exame de direção, o sistema faz o reconhecimento biométrico do aluno a partir da coleta da impressão digital no tablet do avaliador. Na sequência, o próprio sistema apresenta os dados do condutor e do veículo utilizado, registra o desempenho durante o percurso e gera um relatório do teste com o tempo de duração, a distância, o caminho percorrido, a velocidade, as faltas e infrações cometidas.

Todas as informações colhidas durante o teste são disponibilizadas gratuitamente para os candidatos a motorista após a realização do teste. No Amazonas, as imagens podem ser encontradas na área do aluno do Portal de Serviços do Detran.

“Antes da implantação desse sistema, quando havia alguma divergência no exame, era a palavra do aluno contra a do examinador. Isso gerava um desgaste muito grande para ambas as partes. Agora acabou, porque havendo dúvida basta puxar o áudio e o vídeo do exame”, disse o examinador Geraldo Magela da Silva.

Essa é a primeira fase de utilização da telemetria nos exames práticos de direção do Amazonas. Pelo planejamento do Detran do estado, o sistema também será implantado nas categorias A, C, D e E. Inclusive os testes nos exames práticos da categoria A já começaram.

Custo

A verba necessária para implementar a gravação do exame de direção em todas as categorias – na capital e no interior do Amazonas, é de R$ 8.449.528,40. O valor será custeado pelo Detran-AM e não será repassado para os interessados em obter a CNH. Isto é, não ficará mais caro tirar a CNH em razão da gravação do exame de direção.

Recentemente a direção do Detran do Tocantins foi ao estado para entender o uso prático da tecnologia. “Viemos conhecer o funcionamento desse sistema inovador para futura implementação no estado do Tocantins. Além da modernização, a credibilidade do sistema é interessante, pois passa a ser uma situação que evita fraudes”, afirmou Cláudio Alex Vieira, diretor presidente do Detran de Tocantins.

1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Carlos Silva 4 de setembro de 2020

Tem que acabar é com esse sistema de emplacamento com vistoria. Basta a pessoa pegar a placa e aparafusar no veiculo. Que adianta esse selo que colocam? Não serve pra nada. So perda de tempo das pessoas.

Avatar
Deixe um comentário