Interesses poderosos no diesel e no etanol prejudicam consumidor

“...estarrecedor que interesses retrógrados e ambientalmente indefensáveis visem a prejudicar a imagem do Brasil no exterior”

bomba de biodiesel
Percentual de biodiesel no óleo diesel é tema polêmico (Foto: Shutterstock)
Por Boris Feldman
22 de maio de 2021 07:30

Um amigo voltava de viagem com seu Jeep Compass quando, de repente, parou na estrada. Chama reboque para o carro, taxi para a família e foi chamado na concessionária dois dias depois.

Diagnóstico: problemas na linha de combustível, bomba e injetores. E a análise do diesel indicando falta de qualidade.

Ele me ligou blasfemando contra o posto, mas eu expliquei que – desta vez – a culpa não era do posto, mas do próprio diesel. E que a adição do biodiesel estava provocando o problema em todo o país.

VEJA TAMBÉM:

A história se iniciou em 2005, com uma lei que tornou obrigatória a adição de 2% de biodiesel ao diesel a partir de 2008. O chamado B2. Mas o percentual iria crescendo gradualmente. O biodiesel é um óleo vegetal, que não polui e é obtido de grãos. O principal hoje é a soja.

Entretanto, estudos feitos por diversas entidades e fábricas só aconselhavam esta adição até 7%. Mas a “bancada da agropecuária” falou mais alto e convenceu o governo a elevar o percentual para 10%, mesmo sem nenhum estudo que indicasse esta possibilidade na prática. E aí começaram a pipocar problemas. O governo, insensível, ainda autorizou mais 1% ao ano a partir de 2019, até 15% em 2023.

Problema é a água

A dificuldade do biodiesel está principalmente na presença de água, inicialmente, na proporção de 500 ppm (partes por milhão), que os produtores não conseguiram eliminar. Só reduzí-la a 200 ppm. A formação de borra é inevitável tanto nos tanques dos postos como no dos automóveis, pois – ainda por cima – o biodiesel é higroscópico, ou seja, absorve umidade do ar.

Os problemas foram se alastrando, centenas de bombas nos postos danificadas, veículos a diesel deixando de funcionar, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, pela umidade mais elevada.

Geradores de energia elétrica em grandes empresas e hospitais pifando em momentos às vezes cruciais. E usuários cobrando soluções e indenizações de concessionárias, postos, distribuidoras e fábricas.

Mesmo diante desta situação, a proporção de biodiesel, para alegria de seus produtores, voltou a subir em março deste ano, de 12% para 13%. Neste momento, foi necessário um alerta para sensibilizar o governo: o preço do biodiesel chegou a quase o triplo do próprio diesel (R$ 7,50 x R$ 2,80), o que elevaria em R$ 0,35 o custo do litro na bomba e complicaria ainda mais o tumultuado relacionamento entre governo e caminhoneiros.

Decidiu-se então retornar o percentual do biodiesel a 10% , não considerado ideal, mas que não provoca tantos problemas. Em outros países que adotam o biodiesel, o percentual está limitado a 7%, com exceção da Argentina onde também é de 10%.

Diesel S-10 deve ser usado em quais veículos? Qual é o diferencial dele? Eu explico

Tiro pela culatra

Outro alerta: a partir de 2022, entra em vigor uma nova fase (P8) do Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores) com novos limites de emissões. E o B13 sequer foi testado nos motores com a nova tecnologia necessária para se cumprir as novas exigências.

Pior ainda: ao invés de reduzir a poluição ambiental, o excesso de biodiesel eleva o consumo e as emissões de óxidos de nitrogênio, hidrocarbonetos e monóxido de carbono.

O retorno do biodiesel ao percentual de 10% foi consequência de um documento elaborado pela Anfavea, Fecombustiveis e várias outras entidades afirmando que teores mais elevados do biocombustível no diesel só deveriam ser adotados após “análise ampla e criteriosa, que garanta a viabilidade técnica e a segurança para seus produtores e usuários”. E se é benéfico ou não para a atmosfera…

Menos etanol na gasolina?

bomba combustivel alcool etanol aditivado shutterstock

Outra polêmica na semana passada, desta vez entre a Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis) e a Única (que representa o setor do açúcar e do álcool).

A Fecombustiveis solicitou ao governo federal a redução da adição de etanol anidro à gasolina, hoje de 27%, para 18%, pela dificuldade na obtenção do etanol devido à quebra (entressafra) da colheita da cana. Como a legislação prevê a mistura entre os percentuais de 18% e 27%, a redução do álcool anidro (adicionado à gasolina) do máximo ao mínimo, aumentaria a oferta do etanol hidratado (vendido pelos postos) além de reduzir seus preços no mercado.

Os produtores de álcool imediatamente se manifestaram e informaram que não há falta de etanol e que nas próximas semanas haverá um aumento na colheita e oferta. E apelam para o ecológico ao afirmar que o uso do etanol “é referência mundial e estarrecedor que interesses retrógrados e ambientalmente indefensáveis visem a prejudicar a imagem do Brasil no exterior”.

Não explicaram, ainda, como resolver o problema da escassez, hoje, do álcool.

Você sabia que o AutoPapo também está presente em suas redes sociais favoritas? Clique e confira:

TikTok YouTube Facebook Twitter Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
SOBRE
70 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
PAULO RENATO 4 de junho de 2021

BORIS, GRATO PELAS VALIOSAS INFORMAÇÕES. FRATERNO ABRAÇO.

Avatar
Raimundo Pedro do Nascimento 30 de maio de 2021

Ola
Quanto a água no Diesel isso mesmo muito antes as montadoras já tinham sistema de filtros na linha de alimentação de óleo diesel filtro decantador de Água.
Isso não é novidade para nenhum motorista profissional , mesmo na Capital de São Paulo alguns bombistas ( especialista em sistema de alimentação de combustível).
Os Bombistas recomendam a instalação de filtro sobressalente.
Quanto a qualidade do combustível no Brasil na época do Controlar em Sp por ex: muitos veículos utilitários foram reprovados no teste, pois os veículos tinham uma tecnologia antiga, mas por trás da reprovação alguns falavam que era por um projeto de tirar de circulação em 30 anos todos os veículos sem tecnologia anti poluente.
Agora para confirmar ou desmentir a qualidade do combustível ofertada por alguns postos de combustível , parte da Qualidade e por parte das Refinarias e por parte da seriedade do próprio posto.

Na contramão de tudo isso o tão criticado Biodiesel está sendo usado na Aviação Comercial.
Falando agora no Biodiesel feito com Ex: Óleo de fritura usado, tem que ter uma atenção do PH isso por parte do ‘ refinador ‘. Obs. hoje tem muitas maneiras de produzir Biodiesel até mesmo de casca de Côco, sobra muito comum em industrias de alimentos.
Como o exemplo do comentário do dono da caminhonete de 20 mil km que se tivesse problemas procuraria a justiça. Exemplos assim que motivaram as mudanças no projeto do Controlar, em fazer testagem em veículos acima de 05 anos. Para finalizar foram muitos os utilitários com menos de um ano de uso reprovados pelo Controlar de SP.

Avatar
Danilo Coimbra 30 de maio de 2021

Parabéns pela matéria, Boris. Acompanho seu trabalho há um bom tempo. Pela diversidade de razões, interesses e pela complexidade técnica, daria pra fazer uma matéria para cada tipo de motor: ciclo Otto e ciclo Diesel.
Sobre o diesel/biodiesel, acho importante citar que o Biodiesel alimenta a proliferação de colônias bacterianas nos tanques de armazenamento e nos sistemas dos veículos. A loucura é tanta que as indústrias foram obrigadas a desenvolver “antibióticos” para esse “Diesel”.
Não bastasse a redução do teor de enxofre, os veículos diesel tem que enfrentar essa progressiva adição de “Diesel altamente contaminável por água e bactérias”, o chamado Biodiesel.

Avatar
Jr 29 de maio de 2021

Fico imaginando a próxima ação dos tais biocombustíveis na aviação…
Se eh que já não está ocorrendo estás misturas.. pois além de contaminar e danificar motores aeronáuticos, ainda levam a pane no sistema e motores..
E certamente, dependendo do fabricante da aeronave, não detecta alterações… Somente quando para os motores…
E no ar… Não dá pra *estacionar*…
Fatalidades…
Fica o alerta!!!

Avatar
ideonor novaes 29 de maio de 2021

E a tão esperada venda direta do etanol aos postos de combustíveis, sem a intermediação da Petrobras ? Continuamos aguardando!

Avatar
Bravox 29 de maio de 2021

_Gozado si não está em falta etanol, porque estão subindo o preço,tem coisa errada.
_Foi só fala que vai diminuir etanol para 18%,que já si manifestaram,o povo brasileiro não é trouxa.

Avatar
Reinaldo Rodrigues moreno 29 de maio de 2021

Tenho uma Hilux vou fazer agora a segunda revisão de 20.000, ate hoje não tive nenhum problema. Se acontecer alguma coisa, entro na justiça. Como adicionar o bio diesel no diesel sem fazer nenhum estudo.so o Brasil que acontece isso. Um monte de incompetente

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Dois equívocos no teu comentário.
Países como EUA, Indonésia, Argentina e vários países europeus também possuem programas de estímulo à produção e consumo de biodiesel.
Sempre são realizados testes em universidades e institutos de pesquisas para validar os teores de biodiesel no diesel comum.

Avatar
André Luis Silva Soares 29 de maio de 2021

Bom em poucas palavras sobre o álcool, observamos a mesma coisa aconteceu com a carne bovina aumentou absurdamente e a ave e a carne suína acompanhou porque será?
A gasolina aumentou e o álcool, diesel e o gás está acompanhando o aumento no qual nós samos o produtor e o consumidor kkkkkkkk.
Realmente nós samos trouxas .
Pode aumentar um país que não tem lei, a onde o mais corruptos do mundo são os nossos políticos e o imposto mais caro do mundo.
Como dizia Brasil um país de todos os trouxa.
Cada vez mais difícil a onde quem sempre beneficiado são sempre os mesmos.

Avatar
MICHEL NOTTBECK BECHTEJEW 29 de maio de 2021

Biodiesel além de caro prejudica a bomba ,bicos e tanque portanto deve ser revisto a lei que impõe seu uso

Avatar
José Carlos Rosa 29 de maio de 2021

Se comprovado a mistura bio diesel ao diesel danifica pecas dos motores a diesel.deveriam fazer o governo pagar o prejuizo pois autorizacao veio do governo no percentual de bio disel no oleo.

Avatar
Rizelio Martins Silva 29 de maio de 2021

Boa tarde gostei da quantidade e qualidade das informações contidas em tão poucas linhas, parabéns e quer dizer então que o problema não se limita ao ICMS estaduais, e que se nós ativermos, apenas a preço os problemas já são graves e é claro que os interesses, mais diversos dificultam mais a transparência do assunto e suas controvérsias e se entrarmos no âmbito da discussão ambiental aí a coisa pode ficar mais séria e danosa.

Avatar
Eduardo 29 de maio de 2021

Bom ver pessoas idoeneas e honestas expressarem suas opiniões. A imprensa está cada vez mais vendida.

Avatar
EDSON DE JESUS CAMARGO 29 de maio de 2021

Lendo a matéria parei e pensei, para se acrescentar uma mistura temos que fazer vários testes para que se possa confirmar o seu bom funcionamento.Ou seja como fazer uma mistura do diesel com o biodiesel, para que o veículos funcione adequadamente teria que mandar amostras para a fábrica de autos faça o teste para se saber como os motores irá funcionar.

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Mas isso é realizado.
A meu ver, provavelmente há dois problemas: a indústria automotiva não consegue acompanhar e evolução dos combustíveis (pois a inserção do biodiesel no óleo diesel mineral é um política pública) e (ou) os distribuidores e responsáveis por postos de combustíveis não conseguem manter o padrão de qualidade destes.

Avatar
SOCRATES DE S. CONSENTINO 29 de maio de 2021

É.. biodiesel nao polui, mas a mistura dele com outra coisa pode gerar uma fumaça violenta.

Exemplo é vc misturar âgua límpida com gasolina e colocar pra queimar no MOTOR do seu carro. Vira uma nuvem tóxica.

Avatar
Luiz Marcelo 29 de maio de 2021

O Brasil é um país abençoado, pena que a cultura de ganhar sempre cresce a cada dia, favorecendo uma parcela ínfima da população em detrimento da grande maioria do povo, a impressao que dá é que ser honesto e penaar em um bom futuro para todos hoje é errado e vergonhoso, enfim, assim nos faz pensar na ideia ridícula que da vergonha de ser brasileiro

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Que ideia ridícula que está referindo?
A do uso do biodiesel, adotada com sucesso em vários países?

Avatar
PEDRO 29 de maio de 2021

Este problema, é uma boa janela para os advogados entrarem com processos

Avatar
Yuri nascimento 28 de maio de 2021

Mas só descobriram agora ???? Eu trabalho com manutenção e desde 2008 quando começaram a mistura já apareceu os problemas e ninguém faz nada…… tirar o enxofre e adicionar um produto biodegradável com a desculpa de redução de poluição…… é só caminhão e ônibus que polui agora

Avatar
Samuel Ferreira Lima 28 de maio de 2021

Antes tarde do que nunca! Descobri! Melhor usar gasolina ao invés de Etanol! Ainda que o custo seja maior! (Ilusões e ou desilusões) 🇧🇷

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Depende do modelo do veículo.
Quando estou no estado de São Paulo, só abasteço com etanol.

Avatar
Rodrigo MARTINIANO 28 de maio de 2021

> POLÍTICA ENERGÉTICA <
. . . . .
A contribuição do Regime Militar para o Brasil, particularmente neste campo, POLÍTICA ENERGÉTICA, foi incomparavelmente relevante.
Findo o Regime Militar, de imediato os comunistas e seus vassalos trataram de dar cabo da referida contribuição, só não conseguindo por pouco.
Disse o Presidente General Figueiredo ao repórter Alexandre Garcia que, quando ele (Figueiredo) estava no quartel, discutia-se apenas sobre como resolver problemas brasileiros, ao passo que na presidência, ele (Figueiredo) presenciou somente discussões a propósito de se solucionarem “problemas” (entre aspas) pessoais.
EU RATIFICO A AFIRMATIVA DO GENERAL: NO CTA DE 1978 NÓS QUERÍAMOS FAZER UM CARRO A ÁLCOOL E “FIM-DE-PAPO”; NOSSOS PROBLEMAS PARTICULARES NUNCA SE APROXIMARAM NEM SEQUER DA GUARITA.
. . . . .
Até 2050, a VOLKSWAGEN pretende eliminar o uso dos motores de combustão interna em seus veículos, que serão elétricos na totalidade.
Sem dúvida alguma, motores elétricos são superiores aos de combustão interna, em tudo, e, sobretudo no quesito poluição: motores elétricos simplesmente não poluem.
O ponto-chave reside em como produzir tanta eletricidade se – digamos – 50% (“apenas” 50%) da frota mundial de veículos fosse elétrica. Provavelmente seria necessário lançar mão da termeletricidade, queimar combustíveis fósseis para produzir energia elétrica. Por outro lado, em tal conjuntura, decerto aumentariam o preço da eletricidade e o risco de blackouts (= apagões).
Assim, embora os veículos elétricos sejam 100% melhores que os a combustão interna, creio que eles devem aguardar o momento no qual houver técnica condizente com lhes permitir gerar sua própria energia por efeito fotovoltaico, captando a luz do Sol, para, então, substituírem de vez os veículos a combustão interna.
E até lá, o que fazer para ajudar não atingirmos “+2ºC – O PONTO SEM VOLTA”? O Brasil tem a solução faz tempo, desde a era do PROÁLCOOL, início da década de 80 do século passado.
Findo o regime militar brasileiro, o PROÁLCOOL foi deixado ao léu, mais por uma questão de picuinha entre os novos detentores do Poder (civis) e os antigos (militares) do que por problemas técnicos devidos ao uso de álcool, apesar de o álcool daquela época “não ser lá essas coisas”: por exemplo (1), desconhecia-se como eliminar a flegma, subproduto da destilação de álcool, nocivo aos motores (no meu Gol GTI 1995 a álcool era indispensável limpar as válvulas de injeção de combustível com grande regularidade, sob pena de o carro não funcionar); por exemplo (2), o consumo de um caminhão Chevrolet A-60 – A de ÁLCOOL – chegava às raias de absurdos 1 km/litro; por exemplo (3), inexistia liga metálica resistente à corrosão gerada pelo álcool primitivo, até a liga ZAMAC não era 100% imune; etc., etc. A despeito de tais inconvenientes, desde os seus primórdios o carro a álcool se mostrou superior ao a gasolina, com a principal vantagem de poluir muito menos, os caminhões a álcool de poluir muitíssimo menos que os a diesel.
Hoje, 2019, praticamente todos os problemas relativos ao emprego de álcool (= etanol) combustível foram eliminados, bem como otimizadas certas vantagens inerentes ao combustível vegetal: não há mais flegma no etanol vendido nos postos, a poluição – antes pequena – agora está ainda menor, o consumo – antes exagerado – agora é compatível (meu up! IMOTION alcançou a marca de 19,1 km/litro de etanol aditivado com vinagre de farmácia).
Em vista do exposto, eu propus ao governo atual retomar o PROÁLCOOL, nos moldes conforme originalmente concebido, isto é, o álcool (= etanol) na condição de substituto da gasolina e do diesel. Renomeei-o de e & e, ênfase & etanol.
Resta perguntar se plantar cana em escala massiva prejudicaria o cultivo de alimentos, e a resposta é não, desde que se use racionalmente a terra, alternando ou “casando” culturas, de acordo com o que já é prática de décadas na região onde eu nasci (Ponte Nova – MG). Ressalte-se que a extensão de terras cultiváveis no Brasil é vastíssima, incluído aí o Nordeste, quando irrigado.
Também é conveniente a pergunta sobre se plantar cana polui, por conta de adubagem da terra. Sim, polui, mas igual a qualquer outro plantio, problema este minimizado pelas referidas alternância e “casamento” de culturas (= terrenos cultivados).
Na Suécia rodam ônibus SCANIA movidos somente a etanol, lá “batizados” de SCANIA-ETANOL: consideremos quão complicado é produzir etanol na Suécia, porquanto cana-de-açúcar não “vinga” naquele país. Por acaso eles importam etanol para os seus ônibus? Não, não! Eles o produzem a partir de madeira, beterraba, etc., num processo caro e complexo, apenas para diminuir a poluição.
Portanto, deveria ser mandatório o abastecimento da frota brasileira de veículos comerciais, no mínimo a que opera nos grandes centros urbanos, EXCLUSIVAMENTE COM ETANOL.
Deixo registrado aqui minha homenagem ao Professor Cel Urbano Ernesto Stumpf, “pai do carro a álcool”, à equipe dele (da qual participei como estagiário de Engenharia), e ao CTA, sem os quais nossos carros (mesmo sendo BMW) jamais seriam FLEX.
Grato por sua atenção,
Engº MSc Rodrigo Otávio Aragão MARTINIANO Ferreira.
. . . . .

Avatar
ANTONIO CLAUDIO DOMINGUES 27 de maio de 2021

Eles falam do meio ambiente, mas depois eles são os maiores compradores de pesticida do mundo kkkk

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

É difícil de calcular e quantificar, mas baseado no teu comentário, você acha que o impacto dos pesticidas no meio ambiente é maior que o impacto provocado pelo consumo de combustíveis fósseis?

Avatar
GILSON 27 de maio de 2021

Boa noite
Fiz a revisão da minha s 10 gastei 3.500,00 aí fui viajar 200 km a luz acusou água no filtro aí já viu a garantia não cobre e simples assim tem que limpar e mais grana.

Avatar
Edson Bencini 27 de maio de 2021

Tenho uma Sorento 2008/2009 diesel e tive sérios problemas com esse diesel S10 com adição dessa porcaria de biodiesel. A SUV foi rebocada para meu mecânico de confiança o qual teve que abrir o tanque na janela de inspeção e remover todo diesel contaminado e fazer uma limpesa completa de todo circuito de combustível, trocando filtros, desmontando bicos injetores e revisão geral nos mesmos onde formou uma espécie de goma viscosa parecida com chiclete dissolvido. Uma loucura. Por pouco não perco os bicos. Tenho até fotos do interior do tanque se alguém quiser ver, contate-me por email ou comente para poder responder. Gastei com tudo mais de 3.000 reais. O governo incompetente deveria me ressarcir. Imposto de renda não perdoam.

Avatar
Benedito lima 29 de maio de 2021

É, nós brasileiros somos mesmo o alimento dos famintos; Famintos da ganância pela maior fatia do bolo.E como não há governantes de vergonha na cara para fazer valer as leis que nos favorece,”Porque tem uma fatia destes que são corruptos”, estão não temos saídas para um caminho melhor,e que nós ajude a sair deste lamassal chamado; Vergonha nacional.

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Não dá para saber se o problema está apenas no biodiesel. Há vários motivos para que um veículo a diesel tenha problemas.
Se o biodiesel é uma porcaria, como vc. escreveu, o problema está no transporte e armazenamento do diesel B, ou a indústria automotiva não acompanha a evolução deste combustível.

Avatar
Lazaro Macedo 27 de maio de 2021

Por essas e outras é que faço a troca dos filtros de minha Mitsubishi Triton a cada 5.000km,ou 6 meses!
Abastecimento somente em postos de grande rotatividade,mesmo assim,por ocasião da última descarbonização do sistema de admissão e válvula EGR,tomei um susto,o troço fica feio mermão!!!

Avatar
Luciano Neves 27 de maio de 2021

Vai lá na BOLÍVIA, a gasolina e pura sem ÁLCOOL. E custa mais barato que aqui no BRASIL. Que manda a gasolina para eles. País sem vergonha esse Brasil.

Avatar
Luis Santos 27 de maio de 2021

A questão do biodiesel é técnica. A questão do álcool é econômica! Nenhum lugar do mundo vendo gasolina pura porque ISSO NÃO ECXISTE!!!! A gasolina pura tem baixa octanagem, e algo sempre tem que ser acrescentado a ela para aumentar a octanagem. E o álcool anidro é uma excelente opção para isso.

Ainda mais com os motores de combustão atuais bi-combustível cuja taxa de compressão é sempre alta, puxando mais para o lado do álcool.

Não discorra sobre assuntos técnicos que você não entende!

Avatar
Carlos Eduardo De Aguiar 27 de maio de 2021

Antigamente se usava chumbo tetraanidra para aumentar a octanagem,com adição de álcool o chumbo pode ser banido da gasolina tipo c, mas não necessita 27%, basta 10 % como nos EUA!

Avatar
Pedro Oliveira 27 de maio de 2021

parabens pela resposta. serve para calar a boca de imbecis que soh falam m

Avatar
Ney Pedra 26 de maio de 2021

E os prejuízos ficam com os consumidores enquanto alguns ganham com o aval do inerte governo nesse quesito. Até parece a pasta do Guedes.

Avatar
antonio cezar faustini 25 de maio de 2021

O certo é mandar a conta para o Governo,e todo consumidor acionar a justiça,o pessoal só visa lucro e dane se o consumidor.

Avatar
Luiz Antonio Rezende Luz 25 de maio de 2021

É simples de resolver o problema do etanol. É so taxar as esporotações do açucar….

Avatar
RONALDO DUARTE DE SOUZA 25 de maio de 2021

O nome disso, GANÂNCIA!! O pior “animal do mundo se chama homo sapiens. Pronto falei!

Avatar
Marcelo 24 de maio de 2021

A adição de biodiesel no diesel e etanol na gasolina só serve para atender interesses dos produtores. A questão ambiental é pretexto para atender a esse tipo de interesse. O Brasil deveria sim estimular o uso de combustíveis vegetais que poluam menos, mas não essas “gambiarras” de misturarem um combustível com outro. O motor flex é um exemplo, funciona pro propósito que foi feito, atende as vontades dos produtores e consumidores, mas não é nada eficiente.

Avatar
MICHEL NOTTBECK BECHTEJEW 29 de maio de 2021

Na verdade o álcool aumenta a octanagem e reduz a quantidade do anti- detonante ( chumbo tetra etila) que é poluente.
Já o biodiesel foi um sonho petralha para dar notoriedade ao governo

Avatar
Italo Luiz Daneluzzi 24 de maio de 2021

Qdo chegarem os carros elétricos muitas empresas e empresários desonestos perderam está mamata toda. Mas com Certeza nós usuários finais tbm ainda vamos ficar com a nova conta e bem mais cara, pois com certeza acharam uma nova forma de nós enganar e ou roubarem.

Avatar
Mathias 26 de maio de 2021

Concordo. Não vejo a hora desse dia chegar e não dependermos mais de petrobrás, usineiro e governo.

Avatar
Adalberto 29 de maio de 2021

Carros elétricos são sem dúvida o caminho, porém o nosso querido Brasil vai continuar refém de grupos gananciosos. Não temos energia elétrica suficiente. A ANEEL já anunciou bandeira vermelha pra junho e julho. Imagina uma frota gigante de carros elétricos dependendo de energias já escassas. Além do problema da geração…temos sérios desafios da distribuição…basta ver o setor eólico…

Avatar
Comentarista 23 de maio de 2021

⚠️ Nem compensa ter carro… Ter um carro custa muito caro dá trabalho preocupação e até estresse: combustível caro, IPVA caro, seguro caro, manutenção cara, financiamento caro, tem a depreciação do carro, gastos com estacionamento, trânsito estressante, multas, licenciamento, seguro obrigatório, pedágio, medo de assaltos, trabalho pra lavar, secar, limpar, passar aspirador, encerar, polir, calibrar os pneus toda semana. Preocupação com a manutenção, com a forma de dirigir para economizar combustível, medo de ser enganado pelo mecânico, a raiva com os motoristas barbeiros e com os motoqueiros estressados que buzinam e xingam por qualquer coisa se achando os donos da rua…  Ufa! Kkk. Melhor não ter carro. Viajar só de Uber é bem melhor mais econômico e sem neura. É outra vida.

Avatar
Eloy 25 de maio de 2021

Imagina a hipótese de todos terem a sua mentalidade, q não está errada, cadê o seu Uber… Pois nem ele vai querer ter carro , todos andando a pé… Não leve como crítica, só reflexão..

Avatar
Luiz 29 de maio de 2021

Kkkkk. Carro parece aquilo, é um mal necessário. Kkk

Avatar
marcio 27 de maio de 2021

Falou tudo e mais um pouco,kkkkk…

Avatar
Neilson Brito 27 de maio de 2021

Perfeito!

Avatar
Valdemir 28 de maio de 2021

Perfeito. Sem carro, sem neuras.

Avatar
Lourdes Locks Junqueira Torsone 27 de junho de 2021

Por isso o melhor é morar na roça e andar à cavalo.Vida tranquila, sem stress nenhum, curtir a natureza e pescar e fazer um bom churrasco com uma 🍻 Brincando com sua braveza mas concordando com tantos gastos que o carro nos traz!! Realmente um absurdo.

Avatar
André Garcia. 23 de maio de 2021

a cada aumento da porcentagem de biodiesel os caminhões pioram seu consumo.
para proteger um setor, prejudicam os usuários.

Avatar
jorge 23 de maio de 2021

O Brasil é um universo paralelo. Gasolina com adição de 27,5% de álcool – rendimento pífio – enquanto os demais países com adição de +/- 10%. Também o único pais do mundo que proíbe veículos de passeio movidos à diesel(desde 1974)

Avatar
Georges C. Costaridis 24 de maio de 2021

Ué? Mas tem um monte de SUVs e picapes movidas à diesel? Geralmente os mais bem de vida e se aproveitam do barulho que os caminhoneiros fazem para pegar carona num diesel subsidiado. Já os produtores de álcool usam marotamente a planilha “73% de diferença da alcolina” para formarem seus custos e preços. Com relação à umidade no diesel, não existe nenhum filtro que possa capturar a umidade e borra antes de alimentar o sistema de injeção? É um custo a mais mas muito menor que uma revisão de injeção/motor.

Avatar
Eloy 25 de maio de 2021

Até existe, mas Duvido vc deitar todo dia debaixo do carro antes de sair, pra expurgar o racor… Imagina a mulherada q anda de carro a diesel fazendo isso… só uma reflexão…

Avatar
Georges C. Costaridis 25 de maio de 2021

Não entedi, Eloy. As SUVs não são caminhões da década de 50 onde o caminhoneiro esquentava o motor colocando uma lata com fogo embaixo.É bater a chave e sair.

Avatar
Jorge 26 de maio de 2021

Georges – o conceito de suv e picapes é chamado de utilitário. O número de assentos é maior. Você não vê, por ex. um carro pequeno com a motorização à diesel, devido a essa lei antiga.

Avatar
Georges C. Costaridis 26 de maio de 2021

Jorge pode até ter conceito de utilitário mas quem tem SUV usa no dia a dia com a família, como se fosse um veículo igual aos demais.Vê-se a toda hora pessoas a utilizando para levar e buscar filhos no colégio ou fazendo compras em supermercados ou até na frente de cabeleireiros e lojas. Essa é a minha observação de que estão pegando carona na segurada de preço do diesel. Concordo plenamente que deveríamos ter a opção de carros menores movidos à diesel também.

Avatar
Sílvio 23 de maio de 2021

O brasileiro está nas mãos dos poderosos e o povo sofre com isso.nao temos governo.

Avatar
Marcelo 22 de maio de 2021

Finalmente concordo em algo com o Boris! Esses 27% de etanol na nossa gasolina são uma sacanagem! Quando o açúcar está com preços altos no exterior, eles mandam às favas os consumidores de etanol, priorizando a exportação de açúcar. Porém , em ciclos onde os preços do açúcar estavam baixos, reclamaram com o governo que o consumo de etanol estava baixo, e conseguiram aumentar absurdamente a quantidade de álcool na gasolina. Agora, temos essa gasolina ruim, com consumo alto! É o seguinte: eu não vejo NENHUM problema dos produtores priorizarem a exportação quando os preços estiverem interessantes. Porém, se o livre mercado vale para isso, eles nunca poderiam ter feito lobby para aumentar o etanol na gasolina! Livre mercado para o etanol também, inclusive sem a adição do mesmo na gasolina!

Avatar
Marcos Antonio Dalla Rosa 22 de maio de 2021

Vocês estão sendo enganados e não sabem. O Biodiesel sai das usinas produtoras com garantia de análise feita somente em laboratórios acreditados pelo INMETRO. O biodiesel é somente o primeiro elo da cadeia, portanto, o mais fácil de ser controlado, e assim o é. Não fechem os olhos e acreditem no que parece ser a causa mais fácil dos problemas. O que quero dizer para todos os amigos, é que todo o restante dessa enorme cadeia, que retira o biodiesel da usina, transporta até a base da distribuidora, a tancagem onde é misturado, novamente o transporte até a revenda, o tanque onde o produto é acondicionado, até que vá definitivamente para o tanque do seu veículo NÃO TEM CERTIFICAÇÃO, NÃO SOFRE FISCALIZAÇÃO SUFICIENTE. Não quero aqui jogar a culpa em um setor, de distribuição ou revenda, assim como acho que esta reportagem faz com os produtores de biodiesel, deveria ouvir o setor produtivo, que aqui, está sendo reduzido a um conjunto nocivo, o que jamais será aceito. O que acontece é que existem AGENTES dentro de cada setor, que não se preocupam com a qualidade, assim, transferem a responsabilidade sempre para o outro setor. Para finalizar, peça ao seu revendedor de combustíveis ou distribuidor, um certificado de garantia de qualidade e veja o que vai acontecer. Agora, peçam para uma usina produtora de biodiesel que apresente seus controles de qualidade, CARGA A CARGA, e verão a quantidade de controles, análises e garantias que os produtores oferecem.
Por fim, é uma falácia que o biodiesel não possa ser misturado ou utilizado em maior proporção, o mundo já provou, em vários países que utilizam biodiesel em maior proporção. Adicionalmente, toda a mistura utilizada hoje no Brasil, passou pelo MAIOR PROGRAMA DE TESTES DE BIOCOMBUSTÍVEIS DO MUNDO, foi aprovado pela ANP, sendo que estes testes foram efetuados em laboratórios, bancadas, e inclusive em frotas.
O que é realmente necessário, é um conjunto de medidas de BOAS PRÁTICAS entre os agentes, produtores, distribuidores e revendedores. O SETOR PRODUTIVO JÁ FAZ ISSO, EXIJA DO SEU DISTRIBUIDOR E DO SEU REVENDEDOR AS MESMAS GARANTIAS.
Saudações a todos.

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Parabéns! Finalmente um comentário lúcido!!!!
Bem esclarecedor, bem técnico.

Avatar
Paulo cesar Rodrigues 22 de maio de 2021

Concordo com a reportagem, e acrescento onde jogar borra formada pelo biodiesel?

Avatar
Paulo Cesar Rodrigues 22 de maio de 2021

CT Com a adição do biodiesel no diesel, foram criados diversos problemas ignorados pela ANP.
O diesel puro, não se deteriora, enquanto a mistura, apodrece. O biodiesel é altamente reagente, com poucos dias se forma uma borra no fundo do tanque. Posteriormente entope os filtros, prejudicando o sistema de combustão.
Geradores e máquinas agrícolas que ficam algum tempo sem uso, quando voltam a serem usados, o combustível está podre.
Se o objetivo é a preservação do meio ambiente, o que fazer com a borra retirada dos tanques?
O que vemos é uma forte organização dos produtores de biodiesel, que aliados a políticos com apenas interesses financeiros e jamais com qualidade do produto, acrescentando o teor de biodiesel anualmente, ficando para o revendedor o ônus de vender um produto sem qualidade.

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Muito provavelmente a culpa é da distribuição e comercialização do diesel B.

Avatar
Samarone 22 de maio de 2021

A ideia do etanol era muito boa mas, a safadeza reinante no Brasil distorceu tudo, e os maiores prejudicados somos nos consumidores.

Avatar
ZEON 22 de maio de 2021

Falam tanto em ecologia, mas ninguém até hoje foi capaz de proibir o uso de agrotóxicos nos perímetros urbanos.
Ecologia serve apenas para interesse de alguns, caso contrário, ninguém dá a mínima.

Avatar
Antonio 12 de setembro de 2021

Agrotóxicos nos perímetros urbanos? Como assim? Para quê?

Avatar
Omega 12 de setembro de 2021

Aqui em Santa Catarina o pessoal só não bebe agrotóxico porque mata. Usam até para matar capinzinho que nasce nos vãos das calçadas.

Avatar
Adelino 22 de maio de 2021

Corrobora as afirmações colocadas neste texto o aumento do teor de álcool de 18 para 27 % fa com que os motores consuma até 8% mais combustível trazendo prejuízos para os consumidores.
No caso do Diesel a Petrobras já produz o Diesel S-10 com teor de enxofre reduzido o bio-diesel só beneficia os produtores nçao os consumidores e tão pouco o meio ambiente como propalado.

Avatar
João Felipe 29 de maio de 2021

Tudo besteira! Um motor diesel macho mesmo queima até o bagaço da soja depois que pega😂😂😂Mas,coitado do proprietário do (jipe de shopping)COMPASS que ficou no prego porque o motor mimimi do jipe não gostou da mistura😔 Ele queria era passear no shopping,mas o cara foi meter ele na estrada😡 “magoei,numquelo”
Kkkkkkkk!”vai ter neguim puto comigo!☮️

Avatar
Deixe um comentário