‘Herói olímpico’, Darlan Romani teve Kombi 71 reformada no Lata Velha

Darlan Romani tinha dificuldades financeiras e não conseguia realizar o sonho de reformar sua Kombi. Quadro Lata velha foi a sua esperança

Kombi padrão luxo de Darlan Romani
Kombi padrão luxo de Darlan Romani (Foto: Youtube | Rusty Barn TV)
Por Bernardo Castro
06 de agosto de 2021 15:38

Darlan Romani disputou a final do arremesso de peso nas Olimpíadas de Tóquio no último dia 4 e por pouco não conquistou uma medalha olímpica. O atleta teve uma história de superação, treinando em um terreno baldio, entre outas dificuldades. Um verdadeiro “herói olímpico”. Contudo, a história que contaremos aqui hoje não está ligada ao esporte, mas à Kombi que o atleta brasileiro sonhava em reformar para homenagear o falecido pai.

Romani não tinha condições financeiras para realizar esse sonho. Com muita luta, desembolsou R$ 3.000 e comprou uma Kombi velha que parcelou em dez vezes no cartão de crédito. Agora com o modelo em mãos, o atleta passou a escrever para o quadro Lata Velha do Luciano Huck, até que foi o escolhido para a reforma.

VEJA TAMBÉM:

A reforma da Kombi de Darlan Romani

A restauração ficou por conta da oficina Rusty Barn em uma parceria com a 455garage, e exigiu bastante esforço dos profissionais.

Começando pela lataria: ela precisava de uma nova seção dianteira. Porém, com a dificuldade para achar modelos para a van, a oficina precisou comprar uma sucata para retirar a frente e enxertar na Kombi de Darlan. Outras peças menores da lataria que não foram possíveis encontrar novas também foram retiradas da sucata doadora.

Foi preciso fazer uma troca no assoalho (que estava podre), nas laterais (região próxima às rodas) e no local onde vão as portas. Além disso, a lateral do veículo precisou ser alinhada.

Apesar de esteticamente a van estar completamente surrada, a mecânica foi uma grata surpresa: Embreagem, freios e o motor estavam em condições relativamente boas. A suspensão foi apenas reajustada e teve uma troca no amortecedor.

kombi 71 darlan romani atleta olimpio lata velha traseira

A família de Darlan informou que a Kombi não seria utilizada para rodar muito em estradas. Assim, no motor – que passou apenas por uma revisão – foi colocado um alternador para melhorar parte da carga da bateria e uma ignição eletrônica para se livrar do platinado que, poderia apresentar problemas.

Darlan queria manter o veículo o mais próximo possível da originalidade para receber a placa preta. As alterações realizadas no motor não atrapalham no momento da avaliação para receber a identificação de originalidade, visto que ela foi realizada para melhorar o desempenho e está relacionado à segurança.

Padrão luxo da época

No momento de escolher a cor, a oficina optou pelo Azul Pavão – uma cor bonita, pouco chamativa e que compunha a paleta de cores oferecida pela VW na época.

Ademais, o modelo 71 contava com frisos, tapeçaria em duas cores e maçanetas e retrovisores cromados, tendo sido tudo refeito de acordo com os padrões originais. Apesar de a Kombi brasileira ter sido projetada para o transporte de cargas, o modelo de Darlan recebeu pneus radiais – para segurança e conforto.

Romani recebeu a Kombi no programa do Luciano Huck que foi exibido em 2020, e foi reexibido em julho antes do começo dos jogos Olímpicos. Na ocasião, o atleta precisou cantar se vestir de Michel Teló como prova para ganhar o carro.

Veja como foi o processo de restauração:

1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Lavozier Estevao Dos Santos 7 de agosto de 2021

O Darlan é o mais puro representante brasileiro, sem muito para mostrar, sem patrocínio de “porte”, mais com uma “garra” enorme que tem todos os brasileiros do “dia a dia”,
É a simplicidade que neste momento “contagia” o Brasil e é isso que estamos precisando “viver” neste país de incertezas.

Avatar
Deixe um comentário