Farol LED e DRL duram até 15 anos, mas, se queimarem, prejuízo é alto

Cada vez mais comuns nos veículos brasileiros, luzes seguem parâmetros diferentes das halógenas no que se refere a substituição, valor e vida útil

Por AutoPapo 23/10/20 às 15h48
farol led com drl em carro preto
Faróis LED duram 15 anos, cinco vezes mais que os comuns (Foto: Shutterstock)
Clique para ouvir
Voiced by Amazon Polly

As lâmpadas LED têm ganhado espaço no mercado automobilístico. A explicação para o fato é simples: a luz apresenta maior durabilidade e menor consumo de energia. Mas, com a mudança, chegam novas questões. Como fazer a manutenção dos faróis LED? Qualquer veículo pode adotar a nova tecnologia? A lei permite a substituição?

LEIA MAIS

farol led com drl em carro preto
Faróis de LED duram 15 anos, cinco vezes mais que os comuns (Foto: Shutterstock | Divulgação)

Qualquer carro pode usar LED?

De acordo com a Philips, as lâmpadas LED estão disponíveis para faróis (alto, baixo e neblina), sinalização e luzes internas. A empresa informa, no entanto, que existem algumas poucas restrições de compatibilidade eletrônica e de encaixe para certos modelos, o que significa que nem todos os carros podem receber a tecnologia.

Para ter certeza de que o veículo suporta as lâmpadas LED, é necessário procurar um profissional ou conferir a informação na lista de compatibilidade das distribuidoras do produto.

Atualmente o Código de Trânsito Brasileiro permite a troca das lâmpadas halógenas pelas LED. Acontece que a substituição só pode ser realizada até 2021. Isso porque a Resolução 667 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que entra em vigor em janeiro, passará a determinar que “É proibida a substituição de lâmpadas dos sistemas de iluminação ou sinalização de veículos por outras de potência ou tecnologia que não seja original do fabricante.”

Atenção! Apesar de ser permitida, a troca das lâmpadas convencionais por LED deve ser registrada no Departamento Estadual de Trânsito.

Durabilidade das lâmpadas LED

Daniel Silveira, gerente de Marketing de Produto da Valeo Service – fornecedora global de produtos automotivos, confirma que o farol LED tem durabilidade superior ao halógeno.

“A durabilidade do LED é de no mínimo 15 anos, enquanto as lâmpadas comuns têm durabilidade média de 3 anos”, explica.

O especialista também esclarece a questão da manutenção: a nova tecnologia não precisa de cuidados especiais. A dica para aumentar a vida útil das lâmpadas LED é manter todo o sistema elétrico do veículo em bom estado:

Evitar modificações como a instalação de acessórios não originais e garantir que a bateria esteja sempre em bom estado é o ideal. Embora o circuito eletrônico do farol possua todas as proteções necessárias, é importante que o mesmo não seja estressado com picos de corrente, surtos de tensão e variações na tensão de saída da bateria.

Uma curiosidade sobre as tecnologias é que em Dispositivos de Iluminação Diurna (DRL), no caso de um dos pontos de LED se queimarem, é preciso substituir todo o conjunto – e não somente o pedaço sem luz. E se a durabilidade é um ponto a favor das lâmpadas LED, o valor está contra.

Em pesquisas rápidas feitas na internet é possível constatar que a nova tecnologia custa, em média, três vezes mais que as luzes comuns. O custo-benefício, se considerarmos valor e durabilidade, ainda sim é melhor nos dispositivos LED.

Substituição

A parte mais complexa de realizar a troca das lâmpadas halógenas por LED é encontrar um dispositivo compatível com o presente no veículo. Feito isso, basta desconectar a antiga lâmpada e colocar a nova no lugar.

Vale ressaltar que em alguns modelos o computador de bordo pode mostrar equivocadamente o aviso “lâmpada queimada” após a substituição. Isso se deve ao fato do consumo do LED ser tão pequeno que certos sistemas não conseguem identificá-lo.

A troca nos automóveis que possuem lâmpadas LED de fábrica – quando o farol queimar, por exemplo – requer um mínimo de habilidade, mas pode ser realizada pelo próprio motorista. A recomendação oficial da Philips, contudo, é que as substituições sejam feitas por um profissional habilitado.

“Apesar do LED Philips ser projetado para obedecer os mesmos parâmetros de emissão de luz da lâmpada original, é sempre bom checar a regulagem dos faróis. Essa regulagem é simples e deve ser feita em uma oficina ou auto elétrica”, divulga a marca.

1 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Leandro 23 de outubro de 2020

    O preço que fica pra regularizar o LED dá pra pagar umas 5 multas rsrs

Avatar
Deixe um comentário