Ficção ou realidade? Conheça 5 erros comuns sobre carros em filmes

Em filmes tudo é possível, mas quem é apaixonado por carro repara algumas cenas que não condizem com a realidade

shutterstock equipe de filmagem trabalhando com um carro
Muitos carros também são estrelas de cinema e precisam atuar (Foto: Shutterstock)
Por Eduardo Rodrigues
07 de fevereiro de 2022 19:03
  • É comum um entusiasta de algo notar erros relacionados ao assunto em filmes.
  • Com carros não é diferente, o cinema gosta de usar os veículos de forma fantasiosa.
  • Listamos alguns dos erros mais comuns do cinema.

No mundo da ficção vale tudo: super-heróis, alienígenas, monstros, dinossauros e o que fazem em Velozes e Furiosos. Mas sempre que chega a hora de ter alguma cena com carro ou perseguições, os diretores e editores dos filmes sempre repetem os mesmos erros.

O AutoPapo listou alguns desses erros automotivos comuns dos filmes e séries. Alguns deles são apenas desleixo, enquanto outros são feitos para enfatizar algo na cena. Mas todos sempre chamam a atenção de quem gosta de carro. Com direito a pessoa que está do lado mandar calar a boca e falar “é só um filme!”

VEJA TAMBÉM:

1. Carros capotam fácil

aston martin dbs capotando em 007 cassino royale
Acha que é fácil capotar um Aston Martin? A produção precisou usar um canhão (Foto: Metro-Goldwyn-Mayer | Reprodução)

O filme 007 – Cassino Royale (2006) foi um marco para a saga de James Bond: ele trocou a fantasia dos gadgets e vilões megalomaníaco por uma pegada mais realista na esteira de A Identidade Bourne (2002). O realismo foi repetido pela curta perseguição do filme, onde o agente 007 interpretado por Daniel Craig corre atrás do Jaguar XJR do vilão por uma estrada vicinal de Montenegro.

O realismo é quebrado (para os entusiastas de carros) quando ele desvia de sua amada, que estava amarrada no asfalta, e o Aston Martin DBS capota girando sete vezes. Esse é apenas um exemplo de como os carros capotam com facilidade em filmes.

Para essa cena de Cassino Royale a produção tentou fazer o carro capotar várias vezes usando uma rampa, mas o centro de gravidade baixo do carro atrapalhou isso. A manobra que vemos no filme foi realizada um canhão montado no lugar do banco do passageiro, que atira um projétil para baixo e faz o carro capotar. O canhão foi tão efetivo que a manobra entrou no livro dos recordes como a capotagem com mais giros da história do cinema.

Confira a cena:

2. Carros explodem com facilidade

mitsubishi eclipse explodindo em velozes e furiosos
Enquanto no filme fazem parecer que alguns tiros são capazes de explodir o carro, no mundo real foi uma produção trabalhosa (Foto: Universal Pictures | Reprodução)

Nós sabemos que vocês fazem piadas com certos carros do mercado brasileiro serem explosivos. E os filmes fazem parecer que qualquer batida, capotamento ou queda de locais altos fazem os carros explodir.

Mas na realidade é difícil fazer isso acontecer sem usar explosivos. Em caso de batidas que causem a ruptura do tanque de combustível e algo cause a ignição da gasolina que vazou, a probabilidade maior é de causar “apenas” um incêndio.

E sabe aquela explosão verde de óxido nitroso, o famoso nitro, que causou o fim do Mitsubishi Eclipse de Velozes e Furiosos (2001)? Seria impossível. Os tiros iriam apenas causar o vazamento do gás e nada mais. A produção usou várias técnicas para causar a explosão e nenhuma contava com nitro.

3. Suspensão aguentar saltos

ferrari 355 saltando em a rocha
Pode ter certeza que depois desse salto a perseguição teria terminado para a Ferrari (Foto: Jerry Bruckheimer Films | Reprodução)

A não ser que você seja proprietário de um carro de rali, de uma Ford F150 Raptor ou uma Ram 1500 TRX, não espere realizar um grande salto e continuar dirigindo como se nada tivesse acontecido. A suspensão de um carro é feita para receber até certa quantidade de impacto 0 durante um salto grande ela recebe todo o peso do carro multiplicado.

Muitas vezes, a licença poética dos filmes vai além e colocar esportivos pulando como se fosse um carro de baja. Quem não se lembra de Nicolas Cage perseguindo um Hummer pelas ladeiras de San Francisco com uma Ferrari 355 em A Rocha (1996)? Haja coluna. E falando no Cage, no filme 60 Segundos (2000) ele salta com um Mustang Shelby GT500 por pelo menos 200 metros, em um feito incrível realizado pela computação gráfica.

Um exemplo de como Hollywood faz os carros saltarem é o filme Os Gatões (2005), remake do seriado homônimo dos anos 70. Cada salto do filme destruía um Dodge Charger. E em vários dos saltos usavam uma carroceria vazia que era arremessado por lançador.

Veja o voo de Eleanor em 60 Segundos:

4. Precisa ir mais rápido? É só trocar a marcha

troca de marcha em ricky bobby a toda velocidade
Troca de marcha em filmes sempre faz o carro ir mais rápido (Columbia Pictures | Reprodução)

As milhares de trocas de marchas de Velozes e Furiosos (2001) já viraram memes. Existe um vídeo com mais de cinco minutos com todas as trocas de marchas até o oitavo filme da franquia. Muitas delas são em câmbio automático.

Isso não acontece apenas nos filmes de “rachadores”. Produções de automobilismo como Dias de Trovão (1990), Ricky Bobby: A Toda Velocidade (2006) e até mesmo o premiado Ford vs Ferrari (2019) usam esse artifício. O piloto está ficando para trás e realiza uma troca de marchas dramática para ir mais rápido.

Será que os diretores acham que pilotos passam maior parte da corrida na última marcha com meia aceleração para fazer média?

5. Estacionar o carro apenas deixando o câmbio em P

cambio sendo colocado em p em os irmao cara de pau
Usar o freio de estacionamento é raridade em filmes (Foto: Universal Pictures | Reprodução)

Comecem a reparar nos filmes e séries: quando os personagem estacionam o carro, eles nunca usam o freio de estacionamento, apenas colocam o câmbio em P. É comum ver o ator saindo do carro balançando para frente e para trás, pois o câmbio não segura o carro tão bem quanto o freio de mão.

Essa escolha pode ser justificada para dar dinamismo a cena, a pessoa chega ao local e já pula para fora do carro. Acionar o freio de estacionamento, desligar o rádio, procurar a carteira e o celular toda vez que um personagem sai do carro acrescentariam nada a cena. O incômodo fica para os entusiastas vendo a caixa de marchas sendo forçada.

Bônus: Quem é bateria? Faróis ficam ligados com o carro desligado

pontiac grand prix parado com farois ligados em arquivo x
Os agentes Scully e Mulder devem andar com baterias extra para deixar tantos carros desligados com os faróis acesos (Foto: 20th Century Fox Television | Reprodução)

Esse tipo de cena é bastante comum: um ou mais personagens chegam de carro a um lugar a noite, desligam o carro e deixam o farol ligado. Muitas vezes um assassinato ocorre e a polícia chega horas mais tarde, o carro continua com o farol ligado.

O farol é um dos acessórios que mais consome bateria, deixar o veículo desligado com qualquer luz acesa é garantia que ele não dará partida mais tarde. Inclusive é recomendado dar a partida sempre com o farol desligado, para poupar o sistema elétrico.

Quer ver um carro que é digno de cinema e não é maltratado? Conheça o Aston Martin DB6 do Boris:

👍  Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.

TikTok TikTok YouTube YouTube Facebook Facebook Twitter Twitter Instagram Instagram

Ah, e se você é fã dos áudios do Boris, procure o AutoPapo nas principais plataformas de podcasts:

Spotify Spotify Google PodCast Google PodCasts Deezer Deezer Apple PodCast Apple PodCasts Amazon Music Amazon Music
5 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Osmar Vituri Junior 8 de fevereiro de 2022

Faltou colocar os carros que se auto consertam. Numa cena a lateral está toda destruída, na cena seguinte, a lataria chega a brilhar de tão nova!

Avatar
Sérgio Caracciolo 8 de fevereiro de 2022

Com relação ao estacionar em P, é cultural. Americanos não usam freio de mão, alguns nem sabe para que serve.

Avatar
José Hamilton 8 de fevereiro de 2022

Exatamente isso que eu ia comentar. Só usam freios de mão naqueles carros bem antigoes.

Avatar
Rogério 8 de fevereiro de 2022

Vou acrescentar um quarto e um quinto erro:
4 – Todo carro escapa de trazeira quando forçam a velocidade numa curva,
5 – Todo motorista consegue corrigir o erro acima com facilidade.

Avatar
Rogério 8 de fevereiro de 2022

Eu acrescentaria mais três erros:
1 – Qualquer arrancada um pouco mais forte faz o carro levantar uma verdadeira nuvem de fumaça dos pneus
2 – Carros cantam pneu com facilidade mesmo quando estão andando em linha reta, ou com asfalto molhado ou mesmo em estradas de terra,
3 – Modelos distintos de carros tem desempenho similar e os motoristas também, é comum ver cenas onde um furgão de entregas é perseguido por um esportivo e eles se equivalem em desempenho, inclusive nas curvas.

Avatar
Deixe um comentário