Mais 10 trapalhadas: leitores (e Camus) enriqueceram a lista

Famoso escritor francês esteve por aqui nos anos 50 e disse que os motoristas brasileiros são “alegres loucos ou frios sádicos”

Por Boris Feldman 20/03/21 às 08h00
transito motoristas estresse stress 1
De acordo com Albert Camus, motoristas brasileiros ou são alegres loucos ou frios sádicos (Foto: Shutterstock)

Muitos leitores também se manifestaram sobre o motorista brasileiro, acrescentando outras trapalhadas às mencionadas em nossa última coluna. Aliás, até o escritor francês Albert Camus se assustou com o nosso trânsito…

VEJA TAMBÉM:

Luzes

São muitos os motoristas que não dão a menor pelota para os outros na estrada ou na cidade quando o assunto são os faróis. Que vivem desregulados. Ou se desregularam por excesso de peso no porta-malas ou caçamba e o motorista não teve o cuidado de acionar o ajuste. Incomodam também os originais substituídos por LEDs, xênon ou semi-holofotes instalados irregularmente.

Infração

O esperto não se preocupa com congestionamentos na rodovia. Afinal – pensa ele – acostamento é exatamente para eu ultrapassar todos estes trouxas esperando aí nas faixas centrais. E não hesitam em acelerar pelo acostamento. Acabam formando outra fila, que vai impedir a passagem dos carros de socorro como bombeiros ou ambulâncias.

Fila?

É possível a conversão à esquerda numa avenida, com semáforo. E enquanto fechado, forma-se uma fila de carros aguardando o verde. Mas tem sempre o esperto que passa por todos e, próximo ao semáforo, “espreme” os que aguardavam pacientemente, fura a fila, converte e vai em frente…

“Preferência”

Tem motorista que não vacila em acionar a seta direcional para mudar de faixa na avenida ou na estrada. E acha que por isso não precisa se preocupar com os outros carros vindo por ela. Afinal – pensa o esperto – se eu sinalizei, então tenho a preferência para entrar ou mudar de faixa. Quem vem nela que reduza para que eu possa entrar…

Cinto

Por incrível que pareça, o cinto do banco traseiro ainda não é afivelado pela maioria dos passageiros. Estatísticas da policia rodoviária revelam que nem a metade de quem vai atrás se protege com ele. Pois acham ser obrigatório apenas nos bancos dianteiros. “Então, – perguntam –  para quê usá-lo atrás, se tem o encosto do banco dianteiro me protegendo?”. Mas, além de nada proteger, cinto de segurança é obrigatório para todos os passageiros.

Mínima

O Código de Trânsito é muito claro: proibido circular numa rodovia a uma velocidade inferior à metade da máxima. E o que mais se vê são carros rodando a 40 km/h ou 50 km/h em estradas em que a máxima é de 110 km/h.

São, em geral, aqueles chatos que rodam na faixa da esquerda sem dar passagem para os que chegam mais rápidos. Ou vão reduzindo a velocidade em plena rodovia à procura de alguma placa ou sinalização. Ou até para facilitar que o passageiro tire uma foto do local. Pode?

Diferença

motorista dirigindo a noite em alta velocidade

Há quem argumente que a maioria dos acidentes na estrada não é provocada pela velocidade em excesso, mas pela diferença dela entre dois carros. Se um deles, por exemplo, vem a 110 km/h atrás de outro que reduz subitamente para 40 km/h (em função de um radar, por exemplo…), é batida certa.

Cristal

São muitos os “descuidados” que decidem converter à esquerda ou direita sem acionar as setas direcionais. Ou de desliga-las após a conversão. Como se o motorista que vem atrás tivesse uma bola de cristal para adivinhar suas intenções…

Psicopatas

O volante infelizmente não opera transformações na postura ou no caráter do indivíduo. Egoísta não fica generoso, nem selvagem vira civilizado. Aliás, pelo contrário, o motorista até revela facetas até então ocultas ou muito discretas de sua personalidade quando assume a direção. Surgem ao volante psicopatas, egoístas, confusos e valentões. A propósito, disso, Camus também se manifestou…

Loucos

O famoso escritor francês Albert Camus (1913-1960), Prêmio Nobel de Literatura, esteve no Brasil na década de 50 e suas impressões de viagem foram publicadas no livro “Camus, o Viajante”. Ele esteve em Porto Alegre, São Paulo, Rio, Salvador e Recife, numa época em que o país ainda engatinhava em termos de trânsito, automóveis e motoristas.

Apesar disso, ele relata suas impressões sobre nossas ruas: “Os motoristas brasileiros ou são alegres loucos ou frios sádicos. A confusão e a anarquia deste trânsito só são compensadas por uma lei: chegar primeiro, custe o que custar”. Imaginem só o tamanho do seu espanto se repetisse a visita em tempos mais recentes…

Para dirigir bem, motorista deve manter posição correta: siga as dicas do Boris Feldman!

SOBRE
5 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Matusa 20 de março de 2021

Tem quem aciona as setas direcionais depois de fazer a conversão.
Aí não precisa mais, oras… as setas devem ser acionadas antes da conversão, para comunicar ao motorista que vem atrás, do que ele vai fazer.

Avatar
Fernando B 20 de março de 2021

Disse na outra matéria e repito nessa: faltou citar aquele motorista com síndrome do Piu Piu pequeno. É aquele Zé Ruela que não anda nada, aí quando finalmente chega a linha tracejada, você vai efetuar a ultrapassagem e ele resolve acelerar freneticamente o carro para impedir/ dificultar sua ultrapassagem.

Avatar
Matusa 20 de março de 2021

Você já comentou duas vezes e te ignoraram, hehe.

Avatar
Comentarista 20 de março de 2021

Não podemos esquecer dos motoqueiros também, muitos com o escape aberto e aquele barulho que perturba, buzinam e xingam por qualquer coisa se achando os donos da rua e se o motorista achar ruim , ainda querem briga. Kkk

Avatar
Sir.Alves 22 de março de 2021

Pois é, multas deveriam ser dobradas para motoqueiros, por exemplo: passar sinal vermelho R$ 293,47 X2, e etc…, mais da metade dos atendimento das Upas é por motoqueiros acidentados e não por atendimentos de patologias…. é uma vergonha a educação destes duas rodas nesse Brasil.

Avatar
Deixe um comentário