Onix inseguro faz MPF processar a GM: quem está certo?!

Testes de uma entidade uruguaia são válidos para determinar parâmetros de segurança dos automóveis fabricados no Brasil?

Por Boris Feldman 19/09/20 às 09h00
onix latin ncap
Teste de colisão do Chevrolet Onix em 2017 (Foto: Latin NCAP | Divulgação)

Uma ação civil pública “sem pé nem cabeça” foi desfechada na semana passada pelo Ministério Público Federal contra a GM, exigindo recall de mais de um milhão de unidades do Chevrolet Onix  e cobrando multa de bilhões de reais (5% do lucro auferido com a venda destes carros). Incluiu na ação a União Federal e o Denatran, por omissão. Mas a GM está correta de acordo com a legislação brasileira.

Testes ‘sobem a régua’

Uma entidade uruguaia independente, o LatinNCAP, realiza crash-tests (testes de impacto) em automóveis comercializados na América do Sul e Caribe para avaliar seu nível de proteção aos ocupantes. E os classifica de zero a cinco estrelas conforme os resultados dos crash-tests com dummies (bonecos). Nenhuma dúvida da importância do LatinNCAP para “subir a régua” da segurança de nossos automóveis. Porém…

LatinNCAP muda as regras

O Chevrolet Onix, lançado e submetido aos primeiros testes em 2012, foi aprovado com três (das cinco possíveis) estrelas. Mas, testado em 2017, foi reprovado: nenhuma estrela. Mudou o carro? Não: o LatinNCAP mudou seus protocolos, tornando-os mais rigorosos e incluindo teste de impacto lateral.

A GM reforçou então a estrutura do Onix, que foi novamente testado em 2018 e recuperou as 3 estrelas. Não somente por uma preocupação com a reação (ou integridade) do consumidor, mas até porque, como observa Cassio Pagliarini (da Bright Consultant), várias empresas não compram carros “inseguros” (classificados com menos de três estrelas) para suas frotas.

Leis obsoletas

A GM diz que o Onix foi projetado respeitando as leis brasileiras. Que são, em geral obsoletas, resultando portanto, na insegurança dos nossos veículos em relação aos de outros países.  À época em que foi lançado no mercado, não havia exigência do governo de resistência a impactos laterais.

Apesar disso, o MPF decidiu acionar a GM baseado nos resultados dos testes do LatinNCAP, que jamais foi homologado ou certificado pelo governo brasileiro para avaliar nossos carros. A entidade uruguaia estabelece seus próprios critérios, sem levar em consideração as características de cada legislação. Mas o MPF alega também que o Ônix não cumpria, entre 2012 e 2017, a regulação de proteção contra impacto lateral básica das Nações Unidas [UN95]”. Pergunta-se: qual dos nossos carros observava a regulação da ONU?

Mais perigoso?

Parece que o MPF ignora a constante evolução dos automóveis sob todos os aspectos, inclusive os de segurança. Neste caso, ele deveria acionar todas as fábricas brasileiras que respeitam nossa legislação, porém com modelos mal avaliados pelo LatinNCAP, como o Nissan March, Fiat Mobi, Peugeot 208, Renault Logan e outros.

O MPF não explicou porque virou sua artilharia contra o Onix. Justifica seu comportamento alegando que, os produzidos entre 2012 e 2017, não oferecem proteção aos ocupantes no caso de impacto lateral. Entretanto, correm mesmo risco os ocupantes de outras dezenas de milhões de carros circulando no Brasil.

Ou as estatísticas de acidentes por acaso apontaram o carro da GM como veículo mais perigoso que os demais?

Teste de impacto lateral com o Onix em 2017
Teste de impacto lateral com o Onix em 2017 (Foto:Latin NCAP | Divulgação)

Medo de represália?

O LatinNCAP testou e reprovou a picape Ford Ranger vendida na Colômbia sem airbags. E publicou aqui o resultado com um pequeno asterisco (explicando a diferença de legislação), para “amenizar” a aberração, uma entre as diversas que prejudicam nossa indústria.

Mas nossas fábricas se silenciam diante dos deslizes dos uruguaios, pois temem represálias: existem critérios subjetivos ao atribuir pontos negativos aos carros testados, avaliados pelos técnicos do LatinNCAP.

Lei obsoleta, recall inexequível

Carros comercializados no Brasil devem ser aprovados pelo governo em testes homologatórios. Esta é a exigência legal. Ponto. Então, a solução não é o MPF multar a fábrica, mas evoluir a legislação.

Pior ainda é a incompetência técnica do MPF ao exigir um inexequível recall dos Onix produzidos entre 2012 e 2017: não se trata de trocar um parafuso ou um componente, mas substituir a carroceria completa do automóvel, única solução para dotá-lo da mesma estrutura lateral incorporada a partir de 2018.

SOBRE
49 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
André De Maria 7 de março de 2021

Se a Latin NCAP descobre que foi ludibriada pela GM que forneceu para os Crash Test de avaliação do modelo veículos com a estrutura formadora da zona de deformação lateral feita com aços com diferentes características daquelas que realmente foram utilizadas na linha de produção, a Latin NCAP não está certa?

Se vc descobre que foi enganado não realizaria novos testes como ela fez?

Avatar
Fabiano Roberto 9 de janeiro de 2021

Boa tarde! Alguém tem alguma informação sobre essa ação ou vamos ficar de bobo mais uma vez, por favor senhores advogados vamos tomar alguma atitude pois chega de ser palhaço ajuda a gente vamos todos juntos tomar alguma atitude pois desvaloriza nosso bem e ninguém fala mais nada

Avatar
Fabiano Roberto 4 de janeiro de 2021

Engraçado, ninguém fala mais nada todos os proprietários devemos se juntar e tomar alguma atitude pois desvaloriza nosso bem e fica pir isso mesmo juntos somos mais vamos tomar alguma atitude pois inao somos maia fortes.

Avatar
Hiann 26 de outubro de 2020

Recall no Fusca? Recall no Monza? Só coloque esses carros pra encostar no Onix, é capaz dele se desmontar todo!

Avatar
Amarildo rossi papa 20 de outubro de 2020

Alguém lá no fazendão te querendo levar algum $$$…

Avatar
Angélica 25 de setembro de 2020

Pois é, tenho um Onix e realmente é muito frágil, quando eu lavo na hora de secar tenho medo de amassar parece de papel,temos que ter algum respaldo jurídico, pois estou com receio de sair com minha família no carro. Temos que ter orientação de um advogado, não podemos ficar no prejuízo e ver nosso bem ser desvalorizado e pior ainda nos colocar em risco.

Avatar
Gesner 20 de setembro de 2020

Bom, é como fica o usuário no fim das contas?? Sobre os problemas do Onix!!!

Avatar
Mathias 20 de setembro de 2020

Coitado dos donos de onix. Além de não adiantar nada essa ação, ainda vai desvalorizar ainda mais o carro.

Avatar
Wilson jose de freitas 20 de setembro de 2020

Boa tarde , é sabido que para mercado interno é normal agirem desta forma , pois o consumidor brasileiro por cultura não exige , se fosse para Europa e Estados Unidos era diferene .
Alias tenho onix 2015 tirado zero km e até momento estou satisfeito ao contrário daqueles que criticam o onix na sua qualidade.

Avatar
Ney Verdandi 20 de setembro de 2020

Infelizmente o lucro das fabricantes na América Latina, costuma ser o dobro quando comparado com a Europa e EUA; mesmo assim os veículos são caros e inseguros. A corrupção dos nossos órgãos de fiscalização persiste a décadas. Temos modelos como VW Gol, Fox e Voyage que ainda se utilizam de plataformas da década de 90; no sistema atual de testes obteriam “zero” estrelas. Sem contar os inseguros: Sandero/Logan, Kia Rio, Ford KA, Nissan March, Fiat Mobi, Clio, etc. Vale ressaltar que as “CINCO” estrelas obtidas pelo VW UP em dezembro/13, foi nada menos com um veículo do mesmo ano “fabricado” na Europa, sendo que o modelo nacional entrou em produção somente em fevereiro/2014. Mas como sempre, o “marketing” está acima de tudo para as montadoras. Na minha modesta opinião, trata-se nada menos do que uma Ação “financiada” pela VW. Essa montadora jamais foi incomodada pelo MP, mesmo fabricando carros inseguros conforme citei, e nem mesmo quando deu um prejuízo para mais de 320 mil consumidores, através da sua carniça de motor denominado EA111.

Avatar
Carlos Cruz 20 de setembro de 2020

Excelente analogia

Avatar
Valcí Araujo 20 de setembro de 2020

Boa tarde! Se alguém souber, por favor responda: O Ônix 2020 LT 1.0 turbo, é um veículo seguro? Caro eu sei que é.

Avatar
Mathias 20 de setembro de 2020

Sim. Inseguro era o da geração anterior.

Avatar
Piero 20 de setembro de 2020

Fabricante esta errado… segurança em primeiro lugar…chega de defender as fabricantes neh? Vamos exigir mais segurança…parabéns MPF

Avatar
Christian france 20 de setembro de 2020

O carro não bate sozinho tem que ter um jumento no volante

Avatar
Fabricio 20 de setembro de 2020

N esqueça que temos q dirigir para nós e para os outros.

Avatar
Mathias 20 de setembro de 2020

O problema é se o jumento bater em você.

Avatar
Fabrício Oliveira 20 de setembro de 2020

Quem esta certo é o MPF pq o onix desde seu lançamento foi um carro ruim em tudo!!!

Avatar
Mathias 20 de setembro de 2020

Mas e os outros carros? Porque só o onix? Porque não entrar com uma ação contra o governo que sempre autorizou isso?

Avatar
Danilo 20 de setembro de 2020

porque é o mais vendido

Avatar
ENDRIGO ARROLDO DE OLIVEIRA 20 de setembro de 2020

No mínimo é intriga da oposição. Surreal

Avatar
Irlan 28 de setembro de 2020

Provavelmente foi pressão (ou propina) da Fiat, já que a ação veio do MP de MG

Avatar
Paulo Henrique Fanfa 20 de setembro de 2020

Bom dia, parabéns a todos os profissionais que cuidam desta página, pois aqui me sinto seguro para ter informações e tirar dúvidas.

Avatar
Carlos Corrêa 20 de setembro de 2020

O MPF muitas vezes trilha caminhos obscuros, com viés ideológico ou comercial, de todos os modos estão caindo no ridículo, desacreditando o órgão diante da opinião pública. É uma vergonha e uma abstração esse processo, pior ainda quando um ministro do STF acata essa loucura.
O Brasil sempre foi depósito de veículos lixo, ultrapassados em outros países, como se fôssemos consumidores burros.
Por aqui chegam os projetos rejeitados na Europa e EUA por serem inseguros e arcaicos.

Avatar
Fkavio A.B. 20 de setembro de 2020

Isso é o resultado de consumidores e fabricantes fanáticos e revoltados. Fanáticos e obsecados por suas marcas e revoltados por suas marcas ou modelos frustados por não conseguirem o mesmo sucesso de preferência do público, tentam e talvez até compram órgãos para impedir esse sucesso, com argumentos públicos para degredir a imagem de seu concorrente foco,para assim terem mais espaço com seus veículos. Isso tudo é desrespeito ao consumidor, que ao invés de tentarem fazer um produto melhor e mais tecnológico, que atinjam melhor o público consumidor, tentam degredir a imagem dos seus principais concorrentes para conseguirem espaço junto ao consumidor. Como aqui não existem leis, salvem-se quem puder.

Avatar
Paulo Roberto Rodrigues 20 de setembro de 2020

Totalmente viciada a matéria de vocês. Afinal então vale mais a legislação obsoleta brasileira ou a segurança das pessoas? Que dúvida que vocês estão levando uma bola da GM hahahahah. Hipócritas!

Avatar
Alexandre 20 de setembro de 2020

Ônix é o carro que eu jamais compraria, pois tem baixa avaliação de segurança desde o seu lançamento e agora esse novo modelo tem preço semelhante a veículos muito mais completos e bem melhores avaliados tanto na segurança, quanto no desempenho.

Avatar
Pedro Neto 20 de setembro de 2020

Onix ,Sempre Perdendo na segurança,já vi Muito isso é só ir no YouTube que acha!

Avatar
amelo5402@gmail.com 20 de setembro de 2020

Meu ovo

Avatar
Gustavo Pereira Lima Magnani 19 de setembro de 2020

Concordo, em parte. Na parte jurídica realmente a ação vai dar dor de cabeça e realmente não vai deve dar em nada.
Todavia, a LatinCap, é um braço da Eurocap que realiza esses testes há décadas seguindo normas Comissão Econômica das Nações Unidas para a Europa, que há 50 anos tenta padronizar os itens de segurança nos veículos por meio do World Fórum for Harmonization of Vehicle Regulation (WP.29).
Lembro que o Brasil aderiu à Década Mundial de Ação pela Segurança no Trânsito 2011-2020 e inclusive recebeu em 2015 Ministros de todo mundo em Brasília para reforçar o apoio a Década, sendo que um dos 5 eixos são “veículos mais seguros”, seguindo as normas da UNECE, . O Brasil não consegue se adequar totalmente as normas de segurança veicular sobre o pressuposto de Que itens de segurança encarecem os veículos, só nos resta enterrar nossos 40.000 mil mortos no trânsito, abrir mais vagas caríssimas de UTI, pagar benefícios via INSS para famílias que foram “atropeladas” pela partida de um ente querido, comprar mais próteses de membros inferiores, e por aí vai, pq nós enxergamos o acidente de trânsito como uma causalidade e nós somos apenas “dummies” neste contexto.

Avatar
Pedro Miguel Tavares da Silva 20 de setembro de 2020

Bom no Brasil realmente não sabem que carros case todos são uma porcarias em relação a Europa aqui são caros e consomem muito não sei porq mas e brasil

Avatar
Vitor Hugo Sampaio 19 de setembro de 2020

Pelo que entendi o MPF está enfiando os pés pelas mãos, o órgão uruguaio não é confiável,a mudança que querem exigir foi implantada a partir de 2018 e não tem como trocar a carroceria de um milhão de carro, eu tenho um ônix 2015 estou muito contente com ele e uma pergunta, se tivessem levantado essa questão alguém iria reclamar, claro que não, o carro é bom é se alguém quiser um carro reforçado contra acidente que compre um carro de corrida.Acidentes acontecem, porém a segurança é o condutor que faz.

Avatar
Marcelo 19 de setembro de 2020

Padrão Brasil.
Carroças a preço de super Premium em outros países. É tipo assim.
“Tem sempre um trouxa querendo ser enganado”.

Avatar
Fabiano Roberto 19 de setembro de 2020

Tem que indenizar a todos pois pegamos muito pelo carro e nao temos segurança

Avatar
Barcelos 20 de setembro de 2020

Concordo! Acho até que para reforçar a questão os proprietários do veículo que não são alienados deveriam entrar com uma ação usando como base essa questão levantada pelo MPF

Avatar
Alexandre Henrique Oliveira 19 de setembro de 2020

Excelente, enfim uma opinião sensata.

Avatar
Luiz Fernando 19 de setembro de 2020

Sempre tive Onix desde o lançamento em 2013 e nunca me decepcionei com a marca.
Onix forever

Avatar
Robson mariucci 20 de setembro de 2020

Já sofreu acidente com algum deles ?
Se isso acontece ,seu carro não tem segurança nenhuma aí já era vai deixar a esposa para nós kkkkkk

Avatar
Raimundo Bruno Silva 19 de setembro de 2020

Gostaria de saber se o.onix motor aspirado1.0 mt lt 2020 é um veiculo confiavel.ou esta na mira do MPF

Avatar
Carlos 19 de setembro de 2020

Boris, vc compraria um Onix de 2012 a 2017 para viajar com sua família ? Gostaria de muita sinceridade na resposta.

Avatar
Everton 19 de setembro de 2020

Eu compraria. Andei a infância inteira em cima da tampa do motor da variante e sem cinto.
Andei de Brasília, fusca,corcel,belina,147 ,prêmio, Marajó e estou aqui
Essa latincap é cheia de frescura

Avatar
Flávio 20 de setembro de 2020

Então, porquê o Onix que vc admira, não está com preço de Brasília, Fusca, corcel, Belina, Fiat 147 marajó, para vc está aí e pagar?

Avatar
Barcelos 20 de setembro de 2020

É por causa desse tipo de comentário acima que nosso país não avança não tem como comparar os carros antigos aos novos ainda sim prefiro muitos carros antigos aos novos pelo acabamento, conforto fora o respeito tapetes inclusos estepe na mesma medida das demais rodas

Avatar
Cícero 20 de setembro de 2020

Sim compraria, existe carros moito mas inseguro rodando por ai,e ninguém ver.

Avatar
Assis 19 de setembro de 2020

Pela matéria parece que o MP quer exigir da GM a correção da estrutura de veículos já fabricados, algo inviável econômicamemte, apesar desses veículos serem altamente inseguros para seus ocupantes, como é amplamente conhecido. É preciso ouvir os dois lados, mas a regra deve ser a mesma para todas as montadoras pois nossos carros são caros e inseguros.

Avatar
Guimarães 19 de setembro de 2020

Isso de cheiro de vw por trás !

Avatar
Esfolado 19 de setembro de 2020

Parece algo seletivo, pois tem outros carros igualmente “fracos”

Avatar
Barcelos 20 de setembro de 2020

Se me permite o comentário
Denuncie ao órgão e cobre que se faça o mesmo com os demais seria muito melhor e ajudaria aos invés de apenas questionar ou criticar

Avatar
Ildemar Gomes da silva 19 de setembro de 2020

Boris,quero fazer uma pergunta é uma boa compra a tiguan 19/20 confortline,já que está perto de passar por uma plástica e de qualquer forma a tiguan é uma boa compra…

Avatar
Deixe um comentário