Placa cinza vai voltar? Resolução do Contran pode causar dúvida

Texto publicado no Diário Oficial da União volta a tratar das especificações do antigo padrão, mas modelo Mercosul continua obrigatório

Por AutoPapo 16/07/20 às 17h46
homem instalando a placa de identificacao veicular piv cinza
Resolução publicada pelo Contran ressuscita especificações das antigas placas cinzas (Foto: Shutterstock)

Desde fevereiro de 2020, todos os estados brasileiros estão emplacando seus veículos de acordo com a Resolução nº 780/2019, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece as regras para as novas Placas de Identificação Veicular (PIV) ou placas padrão Mercosul. Eis que o órgão publica, no Diário oficial da União, um novo texto, a Resolução nº 792, que volta a tratar de especificações do modelo antigo, a placa cinza.

LEIA MAIS

A nova Resolução referenda a Deliberação nº 176 do Contran, de 4 de novembro de 2019, que restaura a vigência dos artigos:

  • 1º a 10 da Resolução nº 231 do Contran, de 15 de março de  2007; e
  •  do § 2º do art. 1º da Resolução nº 286, de 29 de julho de 2008.

E também das Resoluções abaixo:

  • nº 241, de 22 de junho de 2007;
  • nº 309, de 06 de março de 2009; e
  • nº 372, de 18 de março de 2011.

De acordo com o Contran, a restauração dos artigos citados foi devido ao fato de ainda existirem placas cinza em uso no Brasil.

“A fiscalização precisa ser feita e esses artigos a amparam. Enquanto houver veículos de placa cinza rodando, esses artigos vão estar em vigor”, explicou a assessoria de imprensa do órgão.

A redação da Resolução 780 determina que o novo padrão seja obrigatoriamente adotado nos seguintes casos:

  • Primeiro emplacamento;
  • Mudança de categoria do veículo;
  • Roubo, furto, extravio ou dano da placa;
  • Mudança de unidade federativa;
  • Instalação de segunda placa traseira.

Em nota ao AutoPapo, o Contran reitera que “não existe mais processo produtivo da placa antiga, apenas da nova PIV. Desta maneira, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) só terá um sistema para realizar o controle”.

homem instalando a placa de identificacao veicular piv cinza

 O que diz a Resolução que volta a tratar da placa cinza

Dentre outros detalhes, a Resolução nº 792 restaura a vigência do texto a seguir, o que pode causar confusão nos proprietários de veículos.

Art. 1º Após o registro no órgão de trânsito, cada veículo será identificado por placas dianteira e traseira, afixadas em primeiro plano e integrante do mesmo, contendo 7 (sete) caracteres alfanuméricos individualizados sendo o primeiro grupo composto por 3 (três), resultante do arranjo, com repetição de 26 (vinte e seis) letras, tomadas três a três, e o segundo grupo composto por 4 (quatro), resultante do arranjo, com repetição, de 10 (dez) algarismos, tomados quatro a quatro.

§ 1º Além dos caracteres previstos neste artigo, as placas dianteira e traseira deverão conter, gravados em tarjetas removíveis a elas afixadas, a sigla identificadora da Unidade da Federação e o nome do Município de registro do veículo, exceção feita às placas dos veículos oficiais, de representação, aos pertencentes a missões diplomáticas, às repartições consulares, aos organismos internacionais, aos funcionários estrangeiros administrativos de carreira e aos peritos estrangeiros de cooperação internacional.

Foto: Shutterstock

SOBRE
5 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Weverton Fernandes 18 de fevereiro de 2021

Precisa é de fiscalização mais competentes porque estamos em fevereiro de 2021 e ainda existem algumas empresas EMPLACADORAS fabricando placas antigas (Cinzas).Como acreditar em um órgão sério desses ,fora esse sistema frágil.

Resolução x Favorecimento.

Avatar
Alvaro César Rodrigues leite 14 de dezembro de 2020

Um absurdo! Mais taxa para arra
ncar dinheiro do povo, deveria ser de graça pelo IPVA e outros impostos que pagamos!!! Um roubo!

Avatar
Izildinha Aparecida Carlini 22 de outubro de 2020

Absurdo exigir a troca das placas por causa da perda/roubo da placa cinza em carros de mais de 5 anos, fazer o proprietario gastar em torno de 600 reais com documento de transferência, vistoria e placas novas. Absurdo pq quem tem carro mais velho e pq não tem dinheiro pum novo. As resoluções do contran são, nesse caso e em outros, punitiva ao cidadão simples, humilde, sem recursos. Canalhas!

Avatar
Ricardo 21 de julho de 2020

Não consigo me conformar com essa placa “nova”, na qual não constam nem o Estado nem o Município de registro do veículo! Alguém pode me explicar isso?

Avatar
Dedeo 4 de setembro de 2020

Alô para o pessoal que ainda está em dúvida em relação á como ver o estado e município da nova placa Mercosol, nela temos um QRcode onde ao ser escaneado mostra os dados do veículo como ano de fabricação, modelo e o estado e município de onde o veículo pertence.

Avatar
Deixe um comentário