Os 10 sedãs compactos com revisões mais barata

Quanto custam as seis primeiras revisões dos modelos muito procurados por taxistas, motoristas de aplicativos e pessoas que precisam de porta-malas maior

Por Fernando Miragaya 11/06/20 às 15h00
Especial para o AutoPapo

Você já viu aqui no AutoPapo os SUVs e hatches compactos com as manutenções mais em conta. Agora é a vez de de verificar como são as revisões dos sedãs compactos, modelos muito procurados por taxistas, motoristas de aplicativos e pessoas que precisam de porta-malas maior.

Trazemos aqui os 10 sedãs com as revisões mais em conta do mercado. Levamos em consideração o total das primeiras visitas de modelos compactos. Os preços são referentes ao cobrado nas manutenções com preço fixo até 60.000 km (de junho de 2020), com mão de obra inclusa e base em São Paulo. O ranking traz sempre a versão com a revisão mais barata de cada modelo.

1. Nissan Versa 1.0

nissan versa spectial edition
Revisão Valor
10.000 km R$ 230
20.000 km R$ 509
30.000 km R$ 409
40.000 km R$ 609
50.000 km R$ 409
60.000 km R$ 509
Total R$ 2.675

Com o motor 1.0 três cilindros, os preços de revisões do Versa são imbatíveis. São R$ 2.675 cobrados nas seis primeiras revisões. E mesmo a variante do Versa com o 1.6 16V de 114 cv tem custo de manutenção moderada e abaixo dos R$ 3.000 (R$ 2.854).

Vale lembrar que o sedã produzido em Resende (RJ) continuará em linha com outro nome (V-Drive), mesmo após a chegada da segunda geração do modelo, que virá do México no segundo semestre.

2. Hyundai HB20S 1.0

HB20S 1.0 Evolution 2021
Revisão Valor
10.000 km R$ 201,48
20.000 km R$ 459,67
30.000 km R$ 446,92
40.000 km R$ 602,94
50.000 km R$ 419,65
60.000 km R$ 596,02
Total R$ 2.726,68

Esta segunda geração do Hyundai HB20S tem revisões um pouco mais caras que o rival da Nissan. São cerca de R$ 51 a mais na soma das seis primeiras visitas à concessionária, isso nas versões de entrada do HB20S, com motor 1.0 aspirado de 80/75 cv.

Os modelos com o 1.6 de 130/123 cv cobram pouco mais (R$ 2.899,33). Só o três-cilindros turbo que passa dos R$ 3.000 nesse quesito e pede R$ 3.188,97 no total de revisões.

3. Chevrolet Onix Plus Turbo

novo onix plus frente 1
Revisão Valor
10.000 km R$ 284
20.000 km R$ 576
30.000 km R$ 480
40.000 km R$ 640
50.000 km R$ 456
60.000 km R$ 576
Total R$ 3.012

O Onix Plus é o sedã mais vendido do Brasil é também um dos três mais baratos de manter. Assim como no hatch, o Onix Plus tem nas versões com o 1.0 turbo de 116 cv manutenções um pouco mais em conta que nas variantes com o propulsor aspirado: R$ 20, para ser mais exato.

Quem destoa na linha é o velho Prisma, chamado agora de Joy Plus (cujas vendas representam 20% da gama do sedã, pois são computadas juntas nos dados de emplacamento), com R$ 3.652 na soma até os 60 mil km.

4. Renault Logan 1.0

renault logan life vermelho
Revisão Valor
10.000 km R$ 399,99
20.000 km R$ 454,24
30.000 km R$ 454,24
40.000 km R$ 780,35
50.000 km R$ 508,49
60.000 km R$ 508,49
Total R$ 3.105,80

A baixa manutenção do Renault Logan com o 1.0 SCe de 82/79 cv garante a quarta posição para o sedã entre os sedãs compactos com revisões mais baratas do mercado.

O modelo foi profundamente remodelado em 2019, e ganhou opção de câmbio CVT para as versões com o 1.6 de 118 cv, que cobram R$ 3.517,53 na soma das seis visitas.

5. Toyota Etios Sedan

toyota etios 2020 seda sedan dianteira frente
Revisão Valor
10.000 km R$ 267,19
20.000 km R$ 531
30.000 km R$ 429
40.000 km R$ 810
50.000 km R$ 429
60.000 km R$ 765
Total R$ 3.231,19

O Etios Sedan se firma entre os cinco sedãs compactos com o pacote de revisões que menos machuca o bolso. Aqui, o custo total das revisões é o mesmo para toda a linha: com motor 1.3 de 98/88 cv ou 1.5 de 107/102 cv. Também independe da transmissão: câmbio manual (de cinco ou seis marchas) ou caixa automática de quatro velocidades.

6. Toyota Yaris Sedan

toyota yaris 2020 3
Revisão Valor
10.000 km R$ 267,19
20.000 km R$ 558
30.000 km R$ 468
40.000 km R$ 816
50.000 km R$ 450
60.000 km R$ 693
Total R$ 3.252,19

Marca com fama de carro que não dá dor de cabeça, a Toyota emplaca seu outro compacto entre os sedãs com revisões mais competitivas do país. O Yaris pede R$ 21 a mais apenas na soma das revisões até os 60 mil km na comparação com seu companheiro de fábrica, o Etios.

Os motores do Yaris são os mesmos do parente (1.3 e 1.5), mas o câmbio automático disponível para a linha é do tipo CVT – continuamente variável.

7. Ford Ka Sedan 1.5

novo ka sedan
Revisão Valor
10.000 km R$ 449
20.000 km R$ 549
30.000 km R$ 449
40.000 km R$ 799
50.000 km R$ 499
60.000 km R$ 599
Total R$ 3.344

Assim como no hatch, o Ford Ka Sedan – além de usar propulsores três-cilindros considerados dos melhores do mercado – tem uma peculiaridade: as variantes mais caras com o motor 1.5 Dragon de 136/128 cv têm o total de seis revisões mais barato. A soma de R$ 3.344 é exatamente R$ 200 mais em conta que o cobrado nas manutenções com preço fixo dos modelos 1.0.

Avaliamos o modelo.Confira no vídeo:

8. Fiat Cronos 1.3

fiat cronos drive gsr 2
Revisão Valor
10.000 km R$ 300
20.000 km R$ 548
30.000 km R$ 472
40.000 km R$ 1.192
50.000 km R$ 488
60.000 km R$ 684
Total R$ 3.684

O sedã compacto mais moderno da linha Fiat figura entre os com manutenção mais competitiva do segmento. Mas isso graças ao bom 1.3 Firefly de 109/101 cv. Com este motor, a soma das revisões até os 60 mil km do Cronos sai por R$ 3.684.

Bem mais interessante que os R$ 4.164 pedidos no total nas versões com o 1.8 E-torQ de 139/135 cv. O 1.3 supera com folgas até o velho Grand Siena, cujas manutenção passa dos R$ 3.900.

9. Caoa Chery Arrizo 5

caoa chery arrizo5 2021 18
Revisão Valor
10.000 km R$ 442,25
20.000 km R$ 546,11
30.000 km R$ 807,25
40.000 km R$ 928,87
50.000 km R$ 442,25
60.000 km R$ 546,11
Total R$ 3.712,84

A fama de chinês caro de manter cai por terra com o Arrizo 5. O carro produzido pelo Grupo Caoa no Brasil fica à frente de muita marca tradicional em nosso mercado e está entre os 10 sedãs com as revisões mais baratas. São R$ 3.712,84 no total das primeiras visitas à concessionária. O Arrizo 5 sempre o 1.5 turbo de 150 cv, agora com opção de transmissão automática do tipo CVT.

***Volkswagen Virtus Highline TSI

Virtus Highline 200 TSI
Revisão Valor
10.000 km
20.000 km R$ 219,62
30.000 km R$ 120,70
40.000 km R$ 1.247,32
50.000 km R$ 531,40
60.000 km R$ 1.086,89
Total R$ 3.205,93

O monte de asterisco é para explicar a situação do VW Virtus. É que duas versões do sedã oferecem as três primeiras revisões “grátis” – as aspas são para reforçar que, no plano de manutenção exposto no site da VW, ficam de fora “itens adicionais” como fluido de freios, filtros de ar e de pólen e até kits de correias (apontados como trocas necessárias pela própria montadora).

Graças à promoção, o Virtus Highline cobra R$ 3.205,93 e o GTS, R$ 3.423,46 Nas versões mais baratas (1.6, 1.6 AT e Comfortline 200 TSI), sem a “promoção”, o total das revisões supera os R$ 4.700

Fotos: Divulgação

16 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Rodrigo MARTINIANO 26 de julho de 2020

    “Os 10 sedãs compactos com revisões mais barata”…
    A matéria é boa, mas no título… FALTA um “s” !!!
    Sobre revisões em conta, gostaria de comentar as do melhor carro que eu tive (INFELIZMENTE – de novo – É IMPOSSÍVEL POSTAR FOTOS):
    (1º) um BMW M3 preto 2001, de 6 cilindros e 343 CV, capaz de fazer até 6,3 km / l de álcool, depois das devidas modificações para o álcool não danificar o sistema de combustível. O carro nunca deu qualquer defeito.
    (2º) um Gol GTI 1995, comprado ZERO em Pouso Alegre-MG, com bancos RECARO EM COURO CINZA, volante revestido em couro cinza e preto, um air-bag de motorista, freios ABS, rodas 15″ que depois equiparam o GTI 16V. e tinha também som VOLKSLINE com entrada para CD, embora os discos fossem raros.
    (3º) um Gol “Rolling Stones” 1995, também preto, comprado usado com cerca de 12 mil km, que aos 100 mil km, sem fazer uma única revisão (exceto as manutenções realizadas por mim, por exemplo, troca dos freios dianteiros por de Gol 1.8, escapamento dimensionado feito pelo velho amigo “Tavinho” Soffiatto, bancos em couro de GTI 16V e aerofólios marca AERO) roda ainda hoje, trocado com meu pedreiro por obras na minha casa.
    (4º) Passat GTS POINTER, dezembro de 1988, cor AZUL SAFIRA, a álcool puro, perto de sua despedida em GRANDE ESTILO, o carro que alcançou o mais alto grau de refinamento técnico para encerrar com louvor a carreira do modelo.
    (5º) VW up! : É EXCELENTE!!!

  • Avatar
    Gabriel 24 de junho de 2020

    Como eu falei abaixo, mas aqui só vou falar de aditivo de óleo pois tem gente que não tem paciência de ler todos os problemas que tive.
    Como disse, me ofereceram na Concessionária por no meu Onix 1.4-L 2019/2019 um aditivo de óleo de base teflon.
    Ocorre que aditivo de óleo tenho receio de que estrague o motor, então é um risco e um carro com apenas 4000 km e 6 meses de uso não necessita disso.
    O Engº Eduardo Polati, que foi funcionário da equipe F1 Ferrari, do Canal Youtube “Academia Motor”, disse que aditivos podem alterar a viscosidade, sendo que ninguém que usa estes produtos faz ensaio de viscosidade para ver se o aditivo de fato não alterou a viscosidade por ser condicionador de metais apenas. Mas esse engenheiro disse que fez testes, mas não citou nomes das marcas de aditivos.
    Vejam no Canal dele o vídeo: “Academia Motor – Live sobre óleo lubrificante mais moderno do mercado API-SP”
    Neste vídeo o Engº Polati fala em alguns trechos sobre aditivos adicionados no óleo. Esse vídeo é um verdadeiro show de aula de lubrificantes, mas tem 1 hora de duração, mas garanto que vale muito a penas assití-lo na integra.
    E para quem não tem paciência vejam o vídeo dele mais curto: “Academia Motor – É necessário aditivo para óleo de motor ?”

  • Avatar
    Gabriel 24 de junho de 2020

    Tabela é a teoria, a prática é outra.
    Fui fazer a 1a revisão de troca de óleo do meu Onix 1.4-L 2019/2019 com apenas 6 meses de uso e 4000 km rodados, e a Concessionária Chevrolet me cobrou R$ 320,00 pela troca de óleo e filtro de óleo (0W-20 – AC Delco).
    Além disso me empurraram:
    – aditivo de óleo de motor (base teflon);
    – cristalização da pintura;
    – instalação do filtro da cabine.
    Ocorre que a Chevrolet explicou no site “Reclame Aqui” o seguinte:
    Resposta da Empresa20/02/18 às 13h32
    “Olá, Andrey!
    1. Entendemos seus questionamentos referentes ao filtro de partículas, porém, conforme explicamos em nosso contato hoje, 20/02, durante testes de desempenho realizados no pré-lançamento do veículo verificou-se que, devido ao design desse modelo, o índice de entrada de ar ou poeira era muito baixo”.
    Não pretendo mais fazer a revisão de 1 ano ou 10.000 km do meu carro… vou no meu mecânico de confiança.
    2. Comprei pela internet no site de uma Concessionária e o óleo foi R$ 32,00 o litro, e na Concessionária que fiz a revisão de 6 meses paguei R$ 72,00 o litro do mesmo óleo, ou seja, mais que o dobro.
    3. Aditivo de óleo tenho receio de que estrague o motor, então é um risco e um carro com apenas 4000 km não necessita disso. O Engº Eduardo Polati, que foi funcionário da equipe F1 Ferrari, do Canal Youtube “Academia Motor”, disse que aditivos podem alterar a viscosidade, sendo que ninguém que usa estes produtos faz ensaio de viscosidade para ver se o aditivo de fato não alterou a viscosidade por ser condicionador de metais apenas. Mas esse engenheiro disse que fez testes, mas não citou nomes das marcas de aditivos.
    Vejam no Canal dele o vídeo: “Live sobre óleo lubrificante mais moderno do mercado API-SP”, em que ele fala em alguns trechos sobre aditivos. Esse vídeo é um show de aula de lubrificantes.

  • Avatar
    cleidson 13 de junho de 2020

    Até aí tudo bem o problema é a mão de obra aqui em Pernambuco cobram 245 a hora de trabalho na concessionária Chevrolet de prazeres,uma peça que custa ai seus 200 reias fácil mente vira 500 ou 600 com ela no lugar,fui comprar um núcleo evaporado do arcondicionado 600 reias com a mão de obra sairia mas 1200 reias absurdo,parem de fazer revisão nas concessionárias um mecânico de sua confiança faz o serviço mas barato e até melhor

  • Avatar
    Prof. Luiz 12 de junho de 2020

    Valores de referência porque a concessionária sempre procura uma desculpa para inflar a conta…

  • Avatar
    Elton Caeatno 12 de junho de 2020

    O Voyage não faz parte deste segmento?

  • Avatar
    Anderson 12 de junho de 2020

    Não entendi essa lista, o Nissan Versa 1.6 cvt custa R$ 2.854,00 até 60.000km, deberia ser o terveiro da lista, não?

  • Avatar
    Marcelo Carvalho 12 de junho de 2020

    Diferentemente do que consta na reportagem, não existe Etios ou Yaris com motor 1.3.

  • Avatar
    Wanderley Santos Menezes 12 de junho de 2020

    Nas revisões do meu Onix, só deixei trocar óleo de motor, mais nada. Só na quarta que deixei trocar velas. Restante faço fora.

  • Avatar
    Marcos 11 de junho de 2020

    Compramos um gol a 1 revisao foram 1050,00 muito caro carissimo, isso com alinhame to e balanceamento e troca do filtro de cabine, esses ultimos fora juntos nao custam 200,00 entao caro demais.

  • Avatar
    Francisco 11 de junho de 2020

    Eu comprei um Onix active ano passado a concessionária exigiu que eu fizesse a primeira revisão com 5 mil km lá si foi mais de 200 reais agora fiz de 10 mil mais 264,00 isso e normal pra um carro de 62 mil?

  • Avatar
    Mario Antonio Tavares 11 de junho de 2020

    Em 2014 comprei um Onix na Chevrolet,nas revisões até que não me senti lesado,em minha opinião deveria ser mais em conta. Gostaria de trocar por outro, mais infelizmente valorizam muito baixo o nosso carro,hoje o meu com 54000kmp.

  • Avatar
    Rodrigo 11 de junho de 2020

    Pois é, rwvisoes tabeladas e tal porem e muita mentira isso ai, chega la o mecanico vira pra vc na revisao de 10mil km e fala tem que alinhar pois ta na hora dai e mais 90 contoe dai e bom trocar o filtro da cabine mais 50, ta na hora de igienizar ele fala mais 90 , tem que lubrificar as canaletas e fechaduras mais 40, e ainda diz de um aditivo de 70 que faz soltar os bicos que faz gastar menos vombustivel!? Pera ai pilantragem so só. O meu e Ford e foi assim.me senti lesado .ultima vez que vou la.

    • Avatar
      Marcelo Carvalho 12 de junho de 2020

      Ninguém é obrigado a aceitar “sugestões” dos mecânicos. Eu faço somente o que consta no manual do carro, o que é obrigatório pra manter a garantia. Alinhamento, balanceamento, etc, faço em loja particular.

  • Avatar
    Carlos Eduardo façanha Antunes 11 de junho de 2020

    Porque a revisão do Ka 1.0 não entro a do 1.5 , o mais caro tem a revisão mais barata ?
    Ele sabe que 1.0 vende muito mais .

Avatar
Deixe um comentário