[Vídeo] Corolla Cross x Sedan: vale a pena pagar R$ 20 mil mais pelo SUV?

"Esses SUVs tipo meia-boca se utilizam da mesma plataforma do sedã porém um pouco mais altinhos. E custam bem mais, porém nada oferecem em troca"

3 toyota corolla cross flex 2022
Corolla Cross custa R$ 20 mil mais que o sedã (foto: Toyota | Divulgação)
Por Boris Feldman
15 de março de 2021 22:15

A Toyota acaba de apresentar o SUV derivado do Corolla sedã, o Corolla Cross. A fábrica não poderia ficar de fora deste segmento que virou a (meio inexplicável) moda do mercado mas que se traduz em ótimos lucros para as fábricas pois esses SUVs tipo meia-boca se utilizam da mesma plataforma do sedã porém um pouco mais altinhos. E custam bem mais, porém nada oferecem em troca.

Exatamente o caso do Corolla Cross. A Toyota pegou a plataforma do sedã e colocou uma outra carroceira para ficar “na moda”, porém custando de R$ 140 mil a R$ 180 mil. Exatos R$ 20 mil mais que o sedã, que vai de R$ 120 mil a R$ 160 mil.

VEJA TAMBÉM:

Em termos mecânicos, o Cross manteve as duas opções de motorização do sedã, o 2.0 a combustão e o 1.8 híbrido com dois motores. Mas a Toyota fez uma lambança na suspensão traseira. E em outros itens. Na minha opinião o Corolla Cross custa muito mais, porém oferece menos que o sedã. Veja porquê no vídeo:

Desvantagens do Corolla Cross

Espaço: o Cross perde para o sedã sob todos os aspectos. Como seu entre-eixos (distância entre rodas dianteiras e traseiras) é 6 cm menor, quem vai no banco traseiro vai mais apertado que no sedã. Pior é no porta-malas: um SUV não é um carro para a família? Como explicar a aberração de seu porta-malas ter apenas 440 litros de capacidade, enquanto o sedã oferece 470, 30 litros maior?

Acabamento: O SUV, por ser mais caro, deveria oferecer acabamento melhor que o sedã, mas, qual o quê? Revestimentos de plástico duro prá todo lado. E a cereja do bolo é abrir a tampa do console central: Alí, a impressão é de um quebra-galho de última categoria: um tosco pedaço quadrado de borracha solto no fundo para encobrir dois grotescos parafusos.

Freio de… pé! Carros bem menos modernos e caros que o Corolla Cross já adotaram comando elétrico para o freio de estacionamento acionado por um botão no painel. Enquanto isso, a Toyota teve a coragem de instalar um obsoleto e ridículo pedal para o pé esquerdo. Coisa de quatro a cinco décadas atrás.

Suspensão: Ponto alto da mecânica do Corolla Sedã é sua suspensão traseira do tipo multibraços (multilink), um sistema sofisticado que consegue estabilidade e conforto simultaneamente. Para reduzir custo e peso do Cross, a Toyota não vacilou em adotar o obsoleto eixo de torção, mesma solução mequetrefe que equipa modelos mais antigos e baratos do mercado.

Estepe: O pneu sobressalente de emergência, aquele bem fininho idealizado para não roubar espaço no porta-malas, espanta e preocupa o motorista. Mas, não oferece riscos desde que seja cauteloso até chegar no borracheiro.

Entretanto, a Toyota foi muito além e não vacilou ao deixar no porta-malas do Cross o estepe de emergência de 17” mesmo nos modelos que usam as rodas de 18”. Com o diâmetro final menor, o SUV vai meio que “manco”, prejudicando o funcionamento dos controles eletrônicos, odômetro e velocímetro, raio de rolagem, e outras.

Altura: Um dos itens mais importantes de um SUV é seu vão livre, ou seja, a distância entre sua parte inferior e o piso. Esta medida define a capacidade do veículo de superar obstáculos como valas, lombadas e outras irregularidades do asfalto ou da terra. O Corolla sedã tem vão livre de 148 mm (14,8 cm), mas a fábrica só aumentou míseros 13 mm (1,3 cm) no Cross, para 161 mm (16,1cm). Estritamente o necessário para ser classificado como SUV pelo Inmetro (160 mm). Então, o SUV não tem – a rigor – maior capacidade de ultrapassar irregularidades e pequenos obstáculos do que o Corolla sedã.

Grade: Não que o estilo do Corolla sedã seja arrojado, mas tem linhas modernas, harmoniosas e agradáveis. Não sei onde a Toyota quis chegar com a grade do Corolla Cross. Questão de gosto, e subjetiva. Alguém até gostou, mas eu achei horrível.

Eu fico com o Sedan

A nova geração do Corolla sedã foi uma reviravolta no carro que passou a oferecer muita tecnologia mecânica e eletrônica. O recém-lançado Corolla Cross fica devendo ao sedã em suspensão, espaço, porta-malas, acabamento e relação custo/benefício.

Entre os dois modelos da linha Corolla, eu não compro um Cross, mas levo um sedã de olhos fechados.

SOBRE
15 Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários com palavrões e ofensas não serão publicados. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Maurício Garcia 15 de maio de 2021

Boris, vc matou à pau. Eu não mudaria uma vírgula sequer.

Avatar
Erivaldo 15 de abril de 2021

Concordo plenamente com a análise apresentada, até porque senti na pele como essa onda de SUV’s meia boca (se bem que esse corolla cross tem é uma tremenda bocarra, kkkkkk), não passa de um modismo tolo mesmo! Tive um SUV “porta de shopping” como esse aí, que foi o HONDA HRV, que apesar de ser um bom carro, perde para os sedans em alguns quesitos, como a dirigibilidade prazerosa por exemplo. Hoje tenho o corolla sedan, na versão de entrada que é a GLI, que possui tudo que eu preciso e é um carro excelente, gostoso de dirigir, super confortável, confiável e elegante. Enfim, pretendo continuar no corolla sedan e não trocaria jamais por essa enganação aí desse CROSS.

Avatar
Paulo 23 de março de 2021

De acordo. Tenho o Totota RAv 4 motor 2.5 4×4. Anos luz a frente dessa gambiarra cara e ruim.

Avatar
bruno 17 de março de 2021

As Vantagens de SUVs são muitas: 1. Melhor visibilidade. Tudo é visto do alto e parabrisas vc vê o céu. 2. Teto maior dá mais espaço pra cabeça e até nos ombros com maior arejamento. 3. Vc consegue enxergar carros à frente pelos vidros de outros suvs à sua frente, isto tráz segurança. 4. São mais seguros em impactos pois seu corpo todo está mais alto em impactos laterais e menos risco de entrar por baixo de caminhões e até maior absorção em capotamentos. 5. Trazem Status pois todos querem se sentir mais altos. 6. É gostoso dirigir na posição sentada, e mais confortável para muitos doentes com hérnias. Efetivamente são melhores em pisos ruins e estradas de terra. 7. Vou parar por que vai ficar chato eu desmoralizando aqui … 8. PORÉM, esse Corolla cross é bosta mesmo! Com eixo rigido atras não dá…aprenda com a FIAT como construir carros altos e seguros como um Fiat Toro MARAVILHOSA em estabilidade com multilink que nem pikups maiores tem….alias minha dica é comprar uma Toro ou Jeep Compass, são divinos pelo preço não tem 0km melhor.

Avatar
Washington 17 de março de 2021

O brasileiro médio não gosta de carro, gosta de se exibir para os vizinhos e parentes. Aí não importa o tamanho do financiamento nem a qualidade da carroça: se tem possibilidade de “causar inveja” por conta do status, os bocós vão lá e compram qualquer coisa

Avatar
IVAN VASCONCELLOS 17 de março de 2021

Concordo com o Boris, a analise foi simplesmente isenta e trata apenas de aspectos técnico-econômicos e como resultado fica evidente que não vale a escolha. Há no Brasil uma febre de Corollas e Hyundais, que na minha opinião tem um pouco de “efeito manada”.
Entretanto a escolha de um carro se baseia em muitos aspectos, alguns inclusive subjetivos. Pessoalmente, tenho um SUV, mas minha escolha se baseia em quatro pontos:
Preciso de um carro um pouco mais alto. Sou uma pessoa corpulenta e alem disso possuo uma prótese no quadril que dificulta muito e entrada e saída de um sedã, caso estacione junto a um meio fio alto.
Observo e pesquiso muito, inclusive com test-drive, sobre as opções apresentadas pelo mercado, procuro adquirir aquele que me atende, sem me deixar levar por porta-trecos e penduricalhos para os quais não vejo utilidade.
Sim tem o aspecto visual, totalmente pessoal, é preciso que me agrade ou que pelo menos não me provoque aversão.
E finalmente, mas não menos importante. O custo.

Avatar
Maurílio Sebastião Castilho 17 de março de 2021

Boris. Quais são os melhores SUVs oferecidos, mas produzidos no mercado brasileiro, já que cfe seus comentários, o que concordo, esse da Toyota não faz parte?

Avatar
ADALBERTO HIDEMITI ABE 16 de março de 2021

Esperando o Jeep com motor 1.3T

Avatar
CHARLES THEDIN 16 de março de 2021

Pois é! É o seguimento da moda, aliado à marca Toyota Corolla. Podem fazer qualquer carro e colocar qualquer preço que vai vender. Brasileiro gosta de carros, mas de andar neles e não de analisar criticamente o o conjunto da obra. Exemplo: os carros franceses, principalmente da PEUGEOT e CITROEN melhoraram absurdamente nos últimos 15 anos. Porém até hoje existe um imenso preconceito contra eles. Enfim! Gostam de modas!

Avatar
Samarone 16 de março de 2021

É Feio, caro, inseguro (comparado ao sedã) e mesmo assim terá fila para comprar, isso prova o quanto o Brasileiro é suscetível ao Marketing, Toyota esta quase ao nível da Apple, não tem consumidores e sim seguidores.

Avatar
Sérgio Ramos de Siqueira 16 de março de 2021

Ainda não entendi o porquê dos SUVs fazerem tanta sucesso no Brasil. Agora vem o Corolla Cross , com uma frente sofrível, acabamento pobre , suspensão de segunda categoria , freio de mão no pé e espaço reduzido para passageiros e porta malas. A única coisa grande e boa neste carro e o preço e o lucro da montadora. Abrão os olhos brasileiros.

Avatar
Eddie 16 de março de 2021

Correta avaliação, o sedan dos japas está em nível acima ao mesmo SUV. Pra quem gosta de Jaspion CVT vá de sedan, não estará fashion obviamente, mas poderá viajar num automóvel superior e mais seguro dinamicamente.

Avatar
Ney Laert Vilar Calazans 16 de março de 2021

Como engenheiro, compreendo e entendo a análise técnica precisa do Boris. Acho que era uma visão externa que faltava deste novo veículo. Ele foi ao ponto em aspectos realmente relevantes da mecânica do carro, abordando os compromissos que a montadora fez para colocar no mercado (atrasado, mas em tempo) um competidor do Compass. No final, é compreensível que os 20mil R$ a mais beneficiam mais o fabricante que o comprador. O ponto ruim da análise é desconsiderar a força do marketing por trás do carro e da marca. Malgrado seu baixo custo-benefício, evidenciado tecnicamente pelo Boris, não tenho dúvidas que o Corolla Cross vai vender muito.

Avatar
Rodrigo 16 de março de 2021

Para mim o comentário de Boris Feldman é fraco. O carro é outro segmento. Péssima análise! Ótimo Carro.

Avatar
Ezequias GO 16 de março de 2021

Bom dia! Demoraram muito para começar a, fazer o brasileiro de idiota!
Antes do Cross, pagava-se muito caro por um produto que “valia” Apena! Agora pagaremos caro por porcaria como em carros de outrora!
Fazer o que né?
Brasileiro gosta de fazer papel de otário!

Avatar
Deixe um comentário